Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Se fosse consultada

Fux diz que escolha de Moro 'foi a que a sociedade brasileira faria'

Ministro do STF afirmou que o juiz federal é um 'excelente nome' para comandar o superministério da Justiça

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Luiz Fux
O ministro Luiz Fux comentou sobre a escolha do juiz Sergio Moro para o ministério da Justiça
PUBLICADO EM 01/11/18 - 14h10

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta quinta-feira, dia 1º, ao Broadcast Político que o juiz federal Sergio Moro, da Operação Lava Jato, é um "excelente nome" para comandar o superministério da Justiça no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). "A sua escolha foi a que a sociedade brasileira faria, se consultada", disse o ministro.

Na avaliação de Luiz Fux, o juiz federal é "símbolo da probidade e da competência". Para o ministro, a escolha de Sergio Moro foi "por genuína meritocracia".

"(Moro) Imprimirá no Ministério da Justiça a sua marca indelével no combate à corrupção e na manutenção da higidez das nossas instituições democráticas, prestigiando a independência da Polícia Federal, do Ministério Público e do Judiciário", disse Fux.

'Marketing'

Um segundo ministro do STF, que pediu para não ser identificado, acredita que a ida de Moro ao superministério da Justiça foi uma "jogada de marketing" do governo Bolsonaro - com data de validade - e colocará o magistrado no centro do debate político, vulnerável a críticas sobre a sua futura gestão.

Para esse integrante do STF, juízes, de uma forma em geral, são "péssimos gestores" e a futura nomeação de Moro dá munição ao discurso do PT de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso e condenado no âmbito da Operação Lava Jato, é alvo de perseguição política e de julgamento parcial.

O que achou deste artigo?
Fechar

Se fosse consultada

Fux diz que escolha de Moro 'foi a que a sociedade brasileira faria'
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (6)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter