Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Nota oficial

'Lava Jato seguirá em Curitiba', diz Moro após aceitar ministério

Juiz federal, que ocupará a pasta da Justiça e da Segurança Pública no governo Bolsonaro, afirmou que se afastará de 'novas audiências'

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Sergio Moro
O juiz Sergio Moro reuniu-se com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro
PUBLICADO EM 01/11/18 - 11h32

Em nota oficial divulgada nesta quinta-feira, em que confirma ter aceitado o convite do presidente eleitor, Jair Bolsonaro, para assumir o Ministério da Justiça e da Segurança Pública, o juiz Sergio Moro disse que a operação Lava Jato seguirá em Curitiba.

“A Operacao Lava Jato seguirá em Curitiba com os valorosos juízes locais. De todo modo, para evitar controvérsias desnecessárias, devo desde logo afastar-me de novas audiências”, diz um trecho da nota de Moro, que se reuniu com Bolsonaro na manhã desta quinta, no Rio de Janeiro.

A reunião com Bolsonaro durou aproximadamente uma hora e meia. O juiz deixou a residência do presidente eleito, na Barra da Tijuca, zona leste do Rio de Janeiro, sem falar com a imprensa. “Após reunião pessoal na qual foram discutidas políticas para a pasta, aceitei o honrado convite”, diz outro trecho da nota do magistrado.

Moro ganhou notoriedade à frente da Lava Jato, iniciada em 2014 para combater um esquema de corrupção na Petrobras. O juiz era, até então, o responsável pelo julgamento em primeira instância dos processos da operação. O futuro ministro chegou a lamentar, na nota, que terá de deixar de exercer a sua função.

“Fiz com certo pesar pois terei que abandonar 22 anos de magistratura”, observou o juiz federal, ressaltando que, como ministro, poderá intensificar o combate a corrupção no Brasil.

“No entanto, a pespectiva de implementar uma forte agenda anticorrupcão e anticrime organizado, com respeito à Constituição, à lei e aos direitos, levaram-me a tomar esta decisão. Na prática, significa consolidar os avanços contra o crime e a corrupção dos últimos anos e afastar riscos de retrocessos por um bem maior”, afirmou o futuro ministro.

Confira a íntegra da nota de Sérgio Moro:

“Fui convidado pelo Sr. Presidente eleito para ser nomeado Ministro da Justiça e da Segurança Pública na próxima gestão. Após reunião pessoal na qual foram discutidas políticas para a pasta, aceitei o honrado convite. Fiz com certo pesar pois terei que abandonar 22 anos de magistratura. No entanto, a pespectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado, com respeito à Constituição, à lei e aos direitos, levaram-me a tomar esta decisao. Na prática, significa consolidar os avanços contra o crime e a corrupção dos últimos anos e afastar riscos de retrocessos por um bem maior. A Operação Lava Jato seguirá em Curitiba com os valorosos juízes locais. De todo modo, para evitar controvérsias desnecessárias, devo desde logo afastar-me de novas audiências. Na próxima semana, concederei entrevista coletiva com maiores detalhes."

Curitiba, 01 de novembro de 2018.

Sergio Fernando Moro

O que achou deste artigo?
Fechar

Nota oficial

'Lava Jato seguirá em Curitiba', diz Moro após aceitar ministério
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (2)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter