Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Campanha

“Não precisamos de ‘futebras’” 

Aécio Neves acusa presidente e ministro de “oportunismo” ao defenderem renovação no futebol

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
AECIMM
Coerência. Aécio defende separação entre eleição e Copa, mas o Mundial é recorrente em suas falas
PUBLICADO EM 11/07/14 - 22h00

Brasília. Depois de a presidente Dilma Rousseff (PT) defender uma renovação do futebol brasileiro, e de seu ministro do Esporte, Aldo Rebelo, sinalizar que o governo pretende criar projetos de lei que ampliem a participação do Estado na gerência do esporte, o senador Aécio Neves, candidato do PSDB ao Planalto, disse nesta sexta que o “país não precisa da criação de uma ‘futebras’” e afirmou que a petista age com “oportunismo” ao defender, agora, uma reformulação.

 

“O futebol brasileiro precisa, é claro, de uma profunda reformulação. Mas não é hora de oportunismo. Principalmente daqueles que estão no governo há 12 anos e nada fizeram para melhorá-lo”, disse Aécio, em nota publicada em suas redes sociais. Ele ainda aproveitou para, mais uma vez, pregar a marca de intervencionista em Dilma. “Nada pode ser pior do que a intervenção estatal. O país não precisa da criação de uma ‘futebras’. Precisa de profissionalismo, de gestão, de uma Lei de Responsabilidade do Esporte com foco nos atletas, nos clubes e nos torcedores”.

Nessa quinta, em entrevista à rede de TV norte-americana CNN, a presidente Dilma Rousseff defendeu uma “renovação” do futebol brasileiro para evitar a saída de jogadores jovens e, com isso, atrair mais público para os estádios.

Apesar de defender uma separação entre os temas eleição e Copa, há dias o tucano vem usando a postura do governo diante do Mundial para fazer críticas à presidente. Ele declarou que Dilma tentou “usar politicamente” o evento e que iria se “frustrar” se acreditasse que os brasileiros misturariam eleições com futebol.

Uma das iniciativas que pode iniciar essa reformulação é a Lei de Responsabilidade do Esporte que propõe o refinanciamento das dívidas dos clubes em até 25 anos, desde que eles se adequem a parâmetros de gestão financeira. O texto está pronto para ser votado na Câmara dos Deputados.

Site de vice tucano fora do ar
São Paulo.
O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga determinou que o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), candidato a vice-presidente na chapa de Aécio Neves, retire de sua página oficial no Senado o link para o site pessoal. A determinação atende à representação da candidatura da presidente Dilma Rousseff.

Segundo a determinação de Gonzaga, o senador deve desativar o link na página oficial ou remover o conteúdo eleitoral de seu site pessoal. O senador, por meio de sua assessoria, informou que nem ele nem Aécio foram notificados.

O que achou deste artigo?
Fechar

Campanha

“Não precisamos de ‘futebras’” 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter