Recuperar Senha
Fechar
Entrar

O senador, a mulher e a amante

Há exatamente um mês o país conhecia a promiscuidade da "novela mexicana" que pode derrubar Renan Calheiros

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Renan pediu desculpas, mas negou que tenha recebido dinheiro de um lobista
Há exatamente um mês o país conhecia a promiscuidade da "novela mexicana" que pode derrubar Renan Calheiros
PUBLICADO EM 24/06/07 - 20h53

Poucas vezes alguém precisou, por conta de um relacionamento extraconjugal, se explicar a tanta gente. Aos colegas parlamentares, à imprensa e, por meio dela, a todo o país. Assim, de página em página, a cada nova denúncia, o Brasil vai conhecendo a história do senador, da mulher e da amante, estrelada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a companheira Maria Verônica e a algoz Mônica Veloso, que resumiu a trama como uma "novela mexicana".

As iniciais "MV" no nome e a crença evangélica não são as únicas semelhanças entre Maria Verônica, a esposa, e Mônica Veloso, a amante. Personagens de uma história que afunda até o pescoço do presidente do Senado, acusado de ter despesas de seu relacionamento extraconjugal pagas pelo lobista Cláudio Gontijo, da empreiteira Mendes Júnior, ambas deram entrevistas publicadas no mesmo dia, ontem, pelos principais jornais paulistas.

Além do relacionamento, oficial ou por baixo dos panos, com o senador Renan Calheiros, Mônica e Verônica possuem outros gostos parecidos. Tanto é que não se estranharia se as duas dessem de cara uma com a outra em uma academia de ginástica em Brasília. É um hobby para ambas, assim como a política, da qual a primeira gostou e na qual a segunda atuou em tempos remotos.

Mônica diz que amou Renan e, por isso, iniciou um relacionamento com ele. Verônica, por outro lado, diz ainda amar e só por isso luta para que o matrimônio não desmorone como a carreira política do marido. Mas, nas entrevistas, as frases sobre o presidente do Senado parecem trocadas. "Renan é inteligente", reconhece a hoje inimiga Mônica Veloso. "Homem é mesmo muito besta", conta a esposa Verônica, com uma ponta de mágoa.

De um modo ou de outro, as vidas da jornalista Mônica, 38, e da artista plástica Verônica, 43, mudaram radicalmente, por conta da exposição que sofreram nas últimos semanas. Mas a esposa garante que continua sua rotina que, além da academia, inclui cuidados com sua variada coleção de orquídeas. Por outro lado, a amante não pode mais exercer seu gosto por cinema da forma que fazia, já que tem sido, segundo ela, alvo de preconceitos por onde passa.

Engordando
Mas muito antes de terem suas intimidades expostas, Mônica e Verônica já viam suas vidas darem guinadas motivadas pelo relacionamento extraconjugal de Renan Calheiros. Em meados de 2004, enquanto Mônica Veloso engordava por conta da gravidez, Verônica Calheiros engordava com a depressão causada pela traição do marido.

Nas entrevistas publicadas pelos jornais "Folha de S.Paulo" e "O Estado de S.Paulo", ambas afirmam terem recebido ligações anônimas, cujas suspeitas recaem sobre a outra parte da relação. Igualmente dizem desconhecer a origem do dinheiro pago pelo lobista Cláudio Gontijo, a título de pensão à filha de Mônica e de Renan. Enquanto a artista plástica conta que sequer sabia da existência dos pagamentos, a jornalista confirma que recebeu o dinheiro, mas diz nunca ter se interessado em saber de quem era.

Passado exatamente um mês após a publicação, na revista "Veja", das primeiras denúncias contra Renan Calheiros, Mônica Veloso passou a ser reconhecida na rua, ganhou especulações de que poderia posar nua, possibilidade que não negou em entrevista à "Folha", e afirmou que se agarrou no amor pelas duas filhas para conseguir esquecer a polêmica e continuar sua vida. Da mesma forma, Verônica Calheiros diz ter "lutado pela família".

Antes de perdoar, cobrou o amor que possui por Renan Calheiros e avisou: "Não vou segurar um vaso todo colado porque uma hora as peças se soltam". É exatamente o que marido faz para tentar se manter à frente de uma das mais altas instituições do país: o Congresso Nacional

O que achou deste artigo?
Fechar

O senador, a mulher e a amante
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter