Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Capital

Anel Rodoviário está às escuras

Reportagem identificou ao menos três trechos da via com iluminação precária

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Anel Rodoviário
BHIP informou que faz intervenções nos pontos; manutenção deve durar 30 dias
PUBLICADO EM 11/01/19 - 03h00

Conhecido por ser palco de grandes tragédias na capital, o Anel Rodoviário está cada vez mais perigoso na avaliação de parte da população. Além de sentir medo devido ao alto risco de acidentes, quem passa pelo local também precisa se esforçar para enxergar com clareza a rodovia. Levantamento da reportagem de O TEMPO mostra que ao menos três dos trechos mais importantes do Anel estão com iluminação precária. O mesmo problema é detectado em outros pontos de BH.

No trecho da rodovia próximo ao Aeroporto Carlos Prates, o trabalhador de serviços gerais César da Boa Viagem, 49, atravessava a passarela que dá acesso ao bairro por volta das 21h30 dessa quarta-feira (9). De acordo com ele, na volta, faria outro caminho. “Não vai dar para enxergar nada mais tarde, e a movimentação de carros será menor”, contou à reportagem.

A contadora Camila Souza, 35, costuma passar à noite pelo Anel, na altura do bairro Betânia, todos os dias. Para ela, a situação tem ficado insustentável. “A gente passa pelo Betânia rezando. Nos últimos meses, além de tudo, está difícil de enxergar. Tem hora que a gente passa aqui, e metade dos postes está acesa, mas tem dia que não tem uma lâmpada sequer”, relatou.

Outro ponto do Anel Rodoviário que carece de iluminação é o que fica próximo ao Shopping Del Rey, no bairro Caiçara, na região Noroeste de Belo Horizonte. Estagiário em um escritório de advocacia, Ricardo Teixeira, 22, precisar pegar ônibus no local todos os dias por volta das 19h30. Segundo ele, o medo é cada vez maior: “É tenebroso. Tudo muito escuro. Dá margem para assaltos”.

Concessionária responsável pela iluminação da capital, a Belo Horizonte Iluminação Pública (BHIP) afirmou que, somente em 2018, realizou 90 mil atendimentos de manutenção na cidade. Segundo a BHIP, após uma vistoria feita no Anel Rodoviário para identificar os pontos falhos, tiveram início, na madrugada do dia 8 de janeiro, as intervenções para reestabelecer a iluminação entre o entroncamento de Sabará, na região metropolitana, e a avenida Cícero Idelfonso, no bairro João Pinheiro, na região Noroeste.

Ainda de acordo com a concessionária, a manutenção completa pode levar até 30 dias corridos. A previsão é que todos os 180 mil pontos de iluminação da capital sejam modernizados até 2020.

Contato. A população pode falar com a BHIP sobre pontos que precisam de manutenção pelo site www.bhip.com.br ou pelo 0800 941 6789. O prazo de atendimento é de 48 horas.

Incidência de roubos prejudica

A reportagem constatou ainda que pontos de BH, como a avenida Waldomiro Lobo, no bairro Guarani, na região Norte, e a região Centro-Sul da capital também estão com iluminação precária. A BHIP explicou que um dos motivos é a incidência de roubos de lâmpadas e cabos nesses locais.

Segundo a concessionária, há mais roubos em bairros da região Centro-Sul e dos arredores da rodoviária, no centro. Apenas em 2018, 50 lâmpadas de LED foram roubadas, conforme a BHIP. Desde junho de 2017, a empresa já recompôs mais de 55 mil metros de cabos roubados, a distância do centro de BH até Caeté, na região metropolitana.

O que achou deste artigo?
Fechar

Capital

Anel Rodoviário está às escuras
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (5)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter