revitalização

BH: Avenida Bernardo Monteiro passa por obras depois de década de abandono

Prefeitura de Belo Horizonte espera que até o fim de 2024, a região esteja totalmente reformada

Por Adriana Ferreira e Bruno Daniel
Publicado em 23 de abril de 2024 | 18:13
 
 
 
normal

"Nós estamos largados". Esse é o sentimento da gerente comercial, Luana dos Santos Barbosa, de 33 anos, que trabalha na avenida Bernardo Monteiro, entre as avenidas Brasil e professor Alfredo Balena, no bairro Funcionários, na região centro-sul de Belo Horizonte. O trecho, conhecido, tradicionalmente pela alameda de ficus centenários, atualmente está em completo abandono. O gerente de loja, Milton César de Andrade, de 57 anos, afirma que há cerca de dez anos vem faltando infraestrutura no trecho para a população. "Sujeira, falta de cuidado na aborização, jardinagem, ambiente fedorento, banheiro a céu aberto", descreve.

O engenheiro civil, Joseli Drummond, de 71 anos faz caminhada, duas vezes por semana, na avenida. Segundo ele, o trecho faz parte de uma área nobre da capital mineira que poderia ser melhor aproveitada como área de lazer, no entanto ele ressalta a situação de desleixo. "A gente fica inseguro, a gente vê morador de rua morando aqui, já passei por situações contrangedoras. É uma avenida linda, arborizada", desabafa. 

A prefeitura de Belo Horizonte (PBH) espera que até o fim de 2024, a região esteja totalmente diferente, a partir das intervenções que estão sendo feitas dentro do Programa de Requalificação do Centro de Belo Horizonte, o “Centro de Todo Mundo”, lançado em março do ano passado. O executivo informa que motoristas não precisam se preocupar, neste primeiro momento, já que não vai haver intervenções no trânsito e nas áreas de estacionamento, pois, as obras estão ocorrendo dentro da praça.

O que vai mudar?

A reforma prevê novos pisos, jardins e paisagismo, irrigação, iluminação, placas de identificação de árvores, visando a educação ambiental da cidade, com nome popular e científico (novidade em espaços públicos), toldos de sombreamento, bancos, lixeiras, câmeras de segurança, pavimento elevado nas interseções. De acordo com a PBH, as melhorias estão sendo licitadas e ao todo vão ser investidos R$ 2,4 milhões nas obras com recursos do Fundo Municipal de Defesa Ambiental.

Apesar da promessa e da colocação dos containers para as obras, quem passa pela região só acredita na mudança quando ela ocorrer de fato. "Tomara que ela saia do papel. Tem anos que estão falando sobre essa reforma. A esperança é a última que morre", afirma Luana Barbosa.

Em nota, a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), a obra de revitalização acontecerá em três trechos. No momento, está sendo feita a instalação do canteiro de obras (barracão, containers, tapume, licenças PBH e BHTRANS, ligações Copasa e Cemig) para posterior início do trecho 1, referente à esquina com a avenida Brasil, com os trabalhos de demolições e remoções de materiais e instalações para acabamentos, trabalhos que irão se repetir nos demais trechos.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!