Região Metropolitana

Entenda como foi o assalto de cinco minutos à joalheria em shopping de Contagem

Assaltante chegou ao local se passando por um cliente e aguardou que uma das funcionárias abrisse o mostruário para anunciar o crime

Por José Vítor Camilo
Publicado em 20 de maio de 2022 | 21:45
 
 
 
normal

Treze dias depois do assalto registrado no BH Shopping, um novo roubo à joalheria foi registrado nesta sexta-feira (20) na região metropolitana da capital mineira, desta vez no Itaú Power Shopping, em Contagem. Diferentemente do primeiro crime, quando nove homens armados renderam funcionários e seguranças, desta vez, o roubo foi executado por apenas um homem, que contou com um comparsa para a fuga. 

Premeditado

Dias antes da execução do crime, o assaltante esteve na joalheria e pediu para ver uma coleção de joias, possivelmente para colher informações e planejar melhor a ação. Em entrevista à O TEMPO, uma das funcionárias relatou que o homem se passou por cliente antes de anunciar o assalto, iniciando o diálogo pedindo para ver a peça vista na outra visita. 

"Na hora do assalto, ele falou que voltou para ver essa peça. Mas aí uma funcionária lembrou e falou que ela que tinha atendido ele. Isso o desconcertou um pouco", detalhou. 

O assalto

Desde a chegada do suspeito até a fuga, a ação durou apenas cerca de 5 minutos. Enquanto uma das funcionária ia do lado de fora da loja para pegar a coleção de joias pedida pelo homem, ele disse que gostaria de dar um relógio para o pai. 

Assim que a outra trabalhadora abriu o mostruário, ele anunciou o assalto. "Quando abaixei para abrir o mostruário, ele anunciou o assalto. Eu achei que era uma brincadeira, aí ele me mostrou a arma e vi que era sério mesmo", conta a mulher, que preferiu não ser identificada, por medo.

Funcionária passou mal

Durante o assalto, uma das três funcionárias que foram feitas reféns pelo homem armado acabou passando mal.  Segundo a funcionária, isso acabou o desconcentrando. "A minha colega pediu para ajudá-la, pegar uma água, e ele acabou fechando a bolsa. Ele ainda sentou na cadeira novamente, deu uma olhada para trás, e saiu da loja", lembra. 

Fuga 

Logo após o suspeito deixar a joalheria, a funcionária saiu e gritou por socorro. Neste momento, um dos seguranças do shopping chegou a se aproximar para abordá-lo, de acordo com um trabalhador do centro de compras que não quis ser identificado.

"O segurança aproximou e ele só engatilhou a arma e disse 'nem vem' e continuou o caminho em direção à saída. Nessa hora, as pessoas viram a arma e se assustaram", detalhou a testemunha. 

Em seguida, ele montou em uma moto Honda CG Fan, de 160 cilidrandas, de um comparsa que já o aguardava do lado de fora. O veículo estava sem placas, ainda de acordo com a Polícia Militar (PM). 

Investigação

O caso será investigado pela Polícia Civil, sendo que a perícia técnica já compareceu na noite desta sexta e fez os levantamentos iniciais no local. Impressões digitais foram colhidas na mesa onde o suspeito sentou. 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!