Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Redução histórica

Polícia já prendeu 41 suspeitos de assassinatos em Betim neste ano

Delegado afirma que índice de homicídios caiu 30% em relação a 2017; um dos detidos teria cometido 10 execuções

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Positivo. O delegado Otávio Carvalho ressaltou que a redução dos índices de homicídios é histórica
Positivo. O delegado Otávio Carvalho ressaltou que a redução dos índices de homicídios é histórica
PUBLICADO EM 08/11/18 - 21h38

Neste ano, o índice de homicídios em Betim diminuiu cerca de 30,5%, em relação a 2017. De janeiro à outubro do ano passado, 177 casos foram registrados. No mesmo período de 2018, o número caiu para 123.

De acordo com o delgado responsável pela Delegacia de Homicídios de Betim, Otávio Carvalho, essa é uma redução histórica no município. “Até outubro tivemos 106 investigações concluídas, com 50 indiciados e 41 prisões decretadas. A média mensal desse tipo de crime, em 2017, era de 23 casos e atualmente, conseguimos reduzir para 12. Estamos muito satisfeitos com esses números, já que nunca houve uma redução assim na cidade”, revelou.

Segundo o delgado, embora existam algumas limitações como a redução da equipe policial, a estratégia tem sido baseada na priorização dos casos. “Cada bairro tem seus alvos e, geralmente, todo mundo sabe quem são. Porém, é complicado reunir provas. Decidimos agir com foco específico em casos de reincidência e temos tido bons resultados. Vamos manter essa estratégia”, afirmou.

As investigações reforçam que grande parte dos casos de homicídios estão relacionados com o tráfico de drogas. “Geralmente, no tráfico existem aquelas pessoas conhecidas como ‘soldados’, que têm como função matar. Estamos priorizando esses alvos, já que uma vez presos, obviamente o número de homicídios nas regiões onde atuam caem”, pontuou.

Velhos conhecidos
Nos últimos meses, velhos conhecidos da polícia foram presos em regiões como PTB, Citrolândia, Icaivera e Teresópolis. “Uma das prisões que fizemos foi do Leonardo Ferreira de Jesus, que atuava no Citrolândia e é conhecido como Angolano”.

Aos 19 anos, ele é suspeito de ter cometido mais de dez homicídios na região. Já tínhamos conhecimento do envolvimento dele em diversos casos, mas não é simples prender esses criminosos. Eles impõem o medo e, justamente por saber quem são e o que fazem, a população não tem coragem de revelar o que sabe”, ressaltou.

O que achou deste artigo?
Fechar

Redução histórica

Polícia já prendeu 41 suspeitos de assassinatos em Betim neste ano
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter