Proteção provisória

Serra de Pedra Grande é tombada em Igarapé para frear avanço da mineração

A medida ocorre em meio às ameaças de mineração no monumento natural, que abriga fauna, flora, nascentes e cavernas

Por Raíssa Oliveira
Publicado em 29 de agosto de 2023 | 08:58
 
 
 

A serra de Pedra Grande, em Igarapé, na região metropolitana de Belo Horizonte, será tombada provisoriamente nesta terça-feira (29). O decreto da prefeitura prevê que a área de proteção, atualmente de 231.000 metros quadrados, será ampliada em mais de sete vezes. Conforme apuração de O TEMPO, a medida ocorre em meio às ameaças de mineração no monumento natural, que abriga fauna, flora, nascentes e cavernas. 

A medida ocorre após a Mineração Usiminas conseguir, em janeiro deste ano, uma licença ambiental para instalar empreendimento próximo à Pedra Grande, em Itatiaiuçu, também na região metropolitana. A expansão da atividade minerária revoltou moradores que temem impactos da mineração no local. Para evitar que uma nova expansão das atividades ocorra e chegue ao território de Igarapé, a prefeitura decidiu ampliar a área tombada. 

“A Pedra Grande já tem um perímetro tombado desde 2010 e isso deu certo em relação a proteção ambiental e turística de um perímetro de mais de 231 mil metros quadrados. No entanto, com o anúncio da Usiminas de expandir a mineração no município vizinho, decidimos nos antecipar e definir um tombamento provisório em área de mais de 1,8 milhões de metros quadrados até que os estudos de um tombamento definitivo seja feito”, explica o  vice-prefeito de Igarapé, Daute Henriques Alvim (Dautinho).

O tombamento provisório da área que liga a Pedra Grande a Pedra do Cristo Deitado será anunciado em evento na prefeitura de Igarapé, na manhã desta terça (29). Segundo Dautinho, o procedimento dará proteção ao monumento natural provisoriamente, até que os estudos, que devem durar seis meses, sejam finalizados. Ainda coforme o gestor, a ideia é que o território de proteção seja alvo de investimento em turismo sustentável, 

“É uma ação de prevenção, atualmente a Usiminas afirma que a área não é economicamente rentável para mineração e não há planos para trabalhos no local, mas ninguém sabe a 20 e trinta anos. O decreto é assinado pelo prefeito Arnaldo Chave, ele pode ser contestado pela mineração porque a área é privada. Mas vamos continuar na luta para transformar o local em uma área de ecoturismo e preservação”, garante. 

O procedimento, no entanto, não impede a mineração da área da Pedra Grande em Itatiaiuçu. Para tentar barrar a atividade minerária na região e discutir os efeitos da ação para a região, uma audiência pública foi marcada para esta tarde, na Câmara Municipal de Igarapé. O encontro contará com a presença de deputados e entidades defensoras do meio ambiente. 

A reportagem questionou a Mineração Usiminas sobre o caso e aguarda retorno. 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!