Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Música

A urgência da fotografia de Lenine

Cantor lança 'Em Trânsito' e reflete sobre o presente

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
lenine
Ao vivo. Músico pernambucano inverteu a lógica tradicional ao começar pelo show e só depois lançar um álbum
PUBLICADO EM 16/05/18 - 03h00

Lenine, 59, admite a influência de Mario Quintana (1906-1994), mas se sai com uma justificativa característica das crianças, do tipo “ele começou primeiro”. “Na verdade, o Quintana se inspirou no Heráclito”, informa, em referência ao filósofo pré-socrático que cunhou a frase: “Nenhuma pessoa pode pôr os pés duas vezes no mesmo rio, pois o rio já é outro e a pessoa já é outra”. Os versos do poeta gaúcho, presentes na “Canção do Dia de Sempre”, corroboram: “Nunca dês um nome a um rio/ Sempre é outro rio a passar/ Nada jamais continua,/ Tudo vai recomeçar”. É essa perspectiva que guia o novo álbum do cantor e compositor pernambucano, posto nessa semana nas plataformas digitais. “Eu me peguei na ideia de passagem, do efêmero, volátil, mas ao mesmo tempo com um sentimento de urgência, do que é transitivo e também transitório”, filosofa Lenine. 

Com o nono disco da carreira, iniciada no mercado fonográfico em 1983, o compositor admite a intenção de, mais do que nunca, falar para o presente. A própria arte gráfica da capa procurou comunicar esse desejo. Ironicamente, ela foi criada em cianótipo, processo químico de impressão em tons azuis que antecedeu a fotografia moderna, tendo sido descoberto na Inglaterra em 1842. O entrevistado explica: “A fotografia reverbera o agora, não olha para trás nem para frente. Todas as canções do projeto estão carregadas por essa emoção”, garante. No concernente ao conteúdo, ele vai pelo mesmo caminho. 

“Como qualquer cidadão, a gente vive um momento de desesperança, no que diz respeito à sociedade de uma maneira geral. No entanto, há ainda um sentido autobiográfico, de caos interior, falando, logicamente, do macro e do micro de cada um”, destaca. Não por acaso, a recente “Intolerância” chegou antes das demais, como single, às redes sociais. “É a música que puxa, porque tem esse dado da intolerância ser a grande vedete dos dias atuais”, define o pernambucano.

Formatos. Intitulado “Em Trânsito”, o trabalho tem previsão de chegar ao mercado físico no próximo mês, no formato CD, e como vinil e DVD produzidos pelo Canal Brasil no início de agosto. Antes, no dia 14 de julho, Lenine desembarca com o espetáculo em BH, como parte da turnê que tem seu ponto de partida em Salvador (BA), neste sábado (19). “O título foi a primeira coisa que me veio, as canções foram surgindo para dar conta desse relevo que eu almejava. Tanto as canções novas quanto as que foram pinçadas se adequavam a essa ambiência de distopia e fragmentação atual”, destaca o músico. 

O repertório levado para o disco tem seis inéditas e quatro regravações. Algumas, porém, nunca tinham ganhado a voz de Lenine, como “Lua Candeia”, parceria com Paulo César Pinheiro lançada pela cantora Margareth Menezes em 2001 e que, na nova versão, recebe o piano de Amaro Freitas, revelação da música instrumental. Todo gravado ao vivo, o disco é fruto de show que alinhava 20 canções, prometidas para o registro audiovisual. “Sempre fiz meus discos em estúdio e depois de muitos anos adaptei para o palco; dessa vez peguei minha banda e disse: ‘vamos fazer um show inédito’”, conta. “Inclusive, pensei a história do show e das canções para funcionarem individualmente, assim a pessoa que quiser ouvir no modo randômico pode escolher sua narrativa”. Apesar disso, ele confessa o apego particular. “Gosto de ouvir na ordem, ver como o autor imaginou a obra, sou um senhor de quase 60 anos”, diz.

Com arte de Lisa Akerman e Bruno Tavares, o álbum “Em Trânsito” enfileira seis canções inéditas e quatro regravações e traz parcerias com Bráulio Tavares, Lula Queiroga, João Cavalcanti, Paulo César Pinheiro e Ivan Santos.

O que achou deste artigo?
Fechar

Música

A urgência da fotografia de Lenine
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter