Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Cinema

Diretora prepara novo longa

Intitulado 'Copacabana Bate e Volta', filme que terá Bruna Linzmeyer no elenco ainda aguarda financiamento

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
h
Participação. “Baronesa”, que estreia nesta quinta, contou com Affonso Uchoa (“Arábia”) na montagem
PUBLICADO EM 14/06/18 - 03h00

Além das três mulheres que deram o sangue para o projeto desde o começo, o outro grande talento por trás de “Baronesa”, que estreia nesta quinta-feira (14), é Affonso Uchoa, na montagem, dividida com Rita Pestana. Mas, apesar de ter sido a própria Juliana Antunes que convidou o amigo para a função, ela não questiona a comparação entre seu filme e o “A Vizinhança do Tigre”, do diretor mineiro.

Na verdade, foi Juliana, como integrante do júri jovem, que premiou o longa de Affonso na Mostra de Tiradentes em 2014. Foi ali que os dois se tornaram amigos – ela viria a ser assistente de direção em “Arábia” – mas, na época, “Baronesa” já estava sendo filmado. “Há um desejo de filmar a periferia, mas o que aproxima os filmes é o modo de produção”, diz. 

Segundo Juliana, suas maiores referências ao filmar o longa foram “No Quarto de Vanda”, de Pedro Costa, e especialmente “Papel Não Embrulha Brasas”, em que Rithy Pahn acompanha um grupo de prostitutas. Ela reclama de certo machismo inserido nos comentários sobre o papel de Affonso em seu filme, ainda que ela reconheça a importância dele no longa e o credite como "guru espiritual". “Nunca ouvi ninguém falando sobre minha contribuição e da Marcella (Jaques, sócia de Juliana) ao ‘Arábia’”, provoca.

Projeto. Não que ela já não esteja acostumada ao sexismo da carreira que escolheu. Mesmo com o sucesso de “Baronesa” –, premiado em Tiradentes, Marselha, Mar del Plata e Cuba, entre outros – a cineasta mineira não conseguiu financiamento para seu próximo longa, “Copacabana Bate e Volta”. 

Retornando ao desejo de retratar o universo queer da periferia, o filme segue duas jovens amigas lésbicas de um bairro pobre de Belo Horizonte, que embarcam numa viagem “bate e volta” para o Rio de Janeiro. No caminho, elas encontram uma antiga conhecida e vivem um triângulo amoroso. 

Juliana já tem o elenco, uma ponta confirmada da atriz Bruna Linzmeyer (“O Filme da Minha Vida”) e um prêmio de finalização do CineMundi da mostra CineBH. Ainda assim, não conseguiu aprovar o projeto em um único edital de desenvolvimento ou produção até hoje. “O que eu vou fazer? Chorar, né?”, suspira. Quem assistir a “Baronesa” neste fim de semana, porém, vai ver que o talento e o potencial presentes ali vão encontrar alguma forma de fazer bem mais do que chorar diante das adversidades.

Prêmios

20ª Mostra de Cinema de Tiradentes: Vencedor do prêmio de melhor filme da Mostra Aurora pelo júri da crítica.

28º Festival Internacional de Cinema de Marselha: Vencedor dos prêmios de público: melhor filme pelo júri popular, o Prix Marseille Espérance e o Prix Renaud Victor.

24º Festival Internacional de Cinema de Valdívia: Vencedor do prêmio de melhor longa pelo júri da crítica.

32º Festival Internacional de Mar del Plata: Vencedor dos prêmios de melhor longa pelo júri da crítica.

Festival de Havana 2017: Vencedor do prêmio de melhor documentário.

 

O que achou deste artigo?
Fechar

Cinema

Diretora prepara novo longa
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter