Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Cinema

Filme nacional traz anti-herói mascarado

‘O Doutrinador’ é baseado na história em quadrinhos de mesmo nome criada por Luciano Cunha

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Capturar.JPG
Kiko Pissolato é Miguel, o justiceiro que inicia caçada a corruptos
PUBLICADO EM 01/11/18 - 03h00

Produção nacional com jeito de filme internacional, “O Doutrinador” chega aos cinemas para contar a trajetória de um justiceiro que anda pelas ruas escuras do centro de São Paulo para combater, com muita violência, uma quadrilha formada por empresários, políticos e outros funcionários públicos de alto escalão que comandam a corrupção no país.

O longa é baseado na história em quadrinhos de mesmo nome criada por Luciano Cunha, que foi sucesso no Brasil e chegou também a outros países como Estados Unidos, Argentina e Inglaterra com críticas positivas e edições esgotadas.

Com direção de Gustavo Bonafé (de “Legalize Já! – A Amizade Nunca Morre”, ainda em cartaz nos cinemas) e codireção de Fábio Mendonça, o filme tem cenas de ação convincentes que não ficam atrás de produções internacionais. Aliás, a trilha sonora com músicas de bandas como Soundgarden faz o espectador esquecer que trata-se de uma produção nacional. É um filme que traz roteiro, temática e enredo bem diferente do que costuma ser feito por aqui. O cenário é interessante e mostra a cidade de São Paulo como uma espécie de Gotham City, sombria e dominada pelo crime.

No enredo, Miguel (Kiko Pissolato) é um agente das forças especiais treinado para todo tipo de situação. Quando a história começa, o público acompanha a equipe de Miguel numa operação anticorrupção que coloca um governador atrás das grades. A investigação aponta também para outras figuras do poder público, mas a chefia arquiva o caso por suposta falta de provas.

O problema é que Miguel não quer arquivar nada. Depois de viver uma tragédia, ele busca justiça a qualquer custo. Ainda mais quando um político que desviou dinheiro destinado à saúde pública sai da cadeia e anuncia sua candidatura à presidência. Essa é a primeira vítima do Doutrinador, um anti-herói mascarado que, numa cena de extrema fúria, acaba com a vida do corrupto.

A partir daí, o Doutrinador passa a perseguir todos os membros da quadrilha com a ajuda da hacker Nina (Tainá Medina), enquanto sua própria equipe recebe a missão de caçar o justiceiro.

O elenco conta ainda com Eduardo Moscovis, Marília Gabriela, Samuel de Assis, Helena Rinaldi e Natália Lage, entre outros.

Além do filme, a HQ também vai ganhar a tela da TV com a série homônima que deve estrear em 2019 no canal pago Space, da Turner. Série e filme têm o autor Luciano Cunha na equipe de roteiristas. A série conta com a direção-geral de Bonafé e Fábio Mendonça dirige alguns dos episódios.

 

O que achou deste artigo?
Fechar

Cinema

Filme nacional traz anti-herói mascarado
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter