Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Bastidores

Lugar cativo para a comédia 

“Prêmio Multishow de Humor” arranca risos por mais tempo no ar na quarta temporada do programa

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
G-H
Para revelar. Time de jurados do “Prêmio Multishow de Humor” busca revelar um novo humorista
PUBLICADO EM 15/03/15 - 03h00

O “Prêmio Multishow de Humor” funciona como uma espécie de teste para humoristas iniciantes. E a aposta em descobrir novos talentos da comédia, com o respaldo de jurados que entendem do assunto, parece que tem dado certo para o Multishow. Prova disso é que, além de ter chegado à quarta temporada – com estreia marcada para 19 de março –, o programa ganhou mais tempo no ar. Antes exibido em 45 minutos, desta vez terá uma hora de duração. E ainda contará com cinco jurados fixos, em vez de apenas quatro, como antes. Ao lado dos já conhecidos Fernando Caruso, Sérgio Mallandro e Natália Klein, que fizeram parte das outras edições, passam a integrar o júri os comediantes Daniele Valente e Bento Ribeiro – Miá Mello se despediu da produção. “Dani, além de ser sensível, tem uma opinião inteligente. Já Bento é meu amigo de infância. Desenvolvemos nossas referências cômicas ao mesmo tempo, então é engraçado ter essa mistura de algo pessoal com o trabalho”, opina Fernando Caruso.

A intenção do programa é ir atrás de pessoas que querem fazer comédia, mas ainda não conquistaram seu espaço. Até chegar o dia de revelar um novo humorista na final, os competidores passam por diversas fases. A primeira delas é a seleção dos 24 participantes, que concorrem ao prêmio de R$ 25 mil. Os candidatos precisam se inscrever pela internet, mas o diretor Pedro Antônio Paes alega que a produção também faz um trabalho importante de seleção em sete cidades do país. “Somamos todas as inscrições entre o site e as praças para fazer a seleção. Depois, avaliamos se o candidato tem número para todas as fases”, explica o diretor.

Gravado em oito dias, o programa foi captado no estúdio Boas Novas e na casa onde os participantes ficam confinados. Essa experiência de mantê-los juntos durante a competição acontece desde a segunda temporada do “Prêmio Multishow de Humor”. Para Pedro Antônio, a casa é um recurso que possibilita um intercâmbio entre os candidatos sobre diferentes formas de fazer comédia. Além disso, traz um clima de harmonia, uma vez que, em algumas etapas, eles precisam atuar em dupla.

Rigor com sensibilidade

Na hora de criticar as apresentações, os jurados tentam expor um olhar sensível tanto ao mostrar os lados negativos quanto os positivos de cada candidato. Mesmo após estrelarem seus próprios projetos no Multishow, eles se colocam no lugar do avaliado. “Você pode ser honesto sem ser cruel com a pessoa”, assegura Bento Ribeiro.

Já Natália Klein é um pouco mais dura com a sua visão de como os participantes devem ser julgados. Para ela, a apresentação ao vivo causa um efeito por conta da plateia, que ri até quando o número do candidato não é tão bom. Isso acaba influenciando o júri. “Quando a gente vê na TV o mesmo número que achou mais ou menos aqui, ele fica dez vezes pior”.

O que achou deste artigo?
Fechar

Bastidores

Lugar cativo para a comédia 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter