Empresa nega

Fechamento de filiais da Dataprev eleva atraso de benefícios, diz Fenadados

Passados dois meses desde a reforma da Previdência, sistemas do INSS ainda não estão adaptados de acordo com as novas regras

Por Rafaela Mansur
Publicado em 15 de janeiro de 2020 | 03:00
 
 
 

Entidades de trabalhadores da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev) afirmam que o fechamento de 20 filiais, inclusive a de Minas Gerais, e o desligamento de 493 empregados (83 no Estado) podem atrasar ainda mais a análise e a concessão de benefícios do INSS, como a aposentadoria. Conforme O TEMPO mostrou no último dia 8, passados dois meses desde a reforma da Previdência, os sistemas do órgão ainda não estão adaptados de acordo com as normas vigentes. A Dataprev nega.

“Acreditamos que estão enxugando a Dataprev para prepará-la para a privatização”, diz o diretor da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Processamento de Dados, Serviços de Informática e Similares, Célio Stemback.

Em nota, a Dataprev informou que as medidas fazem parte do Programa de Adequação de Quadro, um conjunto de incentivos ao desligamento dos empregados das 20 filiais, que devem ter as atividades operacionais encerradas até fevereiro. Segundo a empresa, essas unidades “tiveram queda expressiva de produtividade”, e os trabalhos serão concentrados em regiões estratégicas.

Ainda conforme a Dataprev, o fechamento das filiais “não afeta de nenhuma maneira” o trabalho de adaptação dos sistemas à reforma da Previdência, e existe uma equipe dedicada a implantar as adequações. A empresa nega também que o programa tenha relação com a intenção de privatização.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!