Avaliação

DATATEMPO: administração de Lula é a mais mal avaliada em Belo Horizonte

Pesquisa mostra também que avaliação do petista piorou; o mesmo ocorreu com Zema e Fuad

Por Clarisse Souza
Publicado em 12 de abril de 2024 | 06:00
 
 
 
normal

Pesquisa do instituto DATATEMPO revela que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é o que tem a maior desaprovação entre o eleitorado de Belo Horizonte se comparado com as gestões do governador Romeu Zema (Novo) e do prefeito da capital, Fuad Noman (PSD). De todo modo, a avaliação das administrações dos três gestores registrou piora em comparação com a rodada anterior da pesquisa, de setembro de 2023.

O levantamento aponta que 49,9% dos eleitores da capital desaprovam o governo de Lula, enquanto outros 42,4% dizem aprovar a gestão do mandatário petista. O índice de desaprovação dele cresceu 7,5 pontos percentuais em relação a setembro do ano passado, e o de aprovação caiu 9,8 pontos: 42,5% dos eleitores desaprovavam a gestão petista naquela época, enquanto 52,3% aprovavam. A margem de erro do levantamento é de 2,83 pontos percentuais para mais ou para menos.

 

A aprovação de Lula é maior entre os eleitores belo-horizontinos com 60 anos ou mais (52,1%), entre aqueles com baixa escolaridade (50,6%) e os que vivem na região Nordeste da capital (48,6%). Por outro lado, a aprovação entre os eleitores da região Noroeste e da Pampulha é menor – 35,7% e 31,2%, respectivamente. 

Minas Gerais 

 No caso da avaliação da administração estadual, a maior parte dos eleitores (49,6%) aprova a gestão do governador Romeu Zema, mas o índice caiu 11,5 pontos percentuais quando comparado a setembro (61,1%). A desaprovação, por sua vez, cresceu 9 pontos percentuais, passando de 32,9% para 41,9% no mesmo período. 

Ainda de acordo com informações da pesquisa, ao contrário de Lula, que é mais popular entre os mais velhos, por exemplo, a aprovação do governo Zema é homogênea entre todos os recortes analisados (faixa etária, sexo, níveis de renda e escolaridade e região). 

Análise. A cientista social Bruna Assis, analista de pesquisa do instituto DATATEMPO, considera que a piora nos resultados pode ser reflexo da percepção do eleitorado sobre as entregas do primeiro ano após a eleição de Lula e a reeleição do governador. 

“Zema venceu a eleição e foi reeleito com um percentual muito alto de aprovação dentro do Estado. Então a aprovação dele pode ter caído porque as expectativas do eleitor eram mais altas e também por causa do cumprimento ou não de promessas de campanha. A queda (de aprovação) do Lula, por outro lado, é menos brusca em relação à de Zema, porque o presidente já tinha uma aprovação menor em setembro. Mas também pode ter relação com a quebra de expectativas depois do primeiro ano de mandato”, avalia. 

Dengue pode ser problema para prefeito

A percepção do eleitorado sobre a gestão de Fuad Noman (PSD) à frente da Prefeitura de Belo Horizonte também piorou. De acordo com a pesquisa DATATEMPO, a administração da capital é desaprovada por 42,2% dos eleitores. As avaliações negativas cresceram 14,9 pontos em relação a setembro, quando 27,3% dos entrevistados diziam desaprovar a gestão municipal. Além disso, a aprovação do governo caiu 13,2 pontos. 

A queda de prestígio ocorre ao mesmo tempo que o prefeito começa a se tornar mais conhecido. Até setembro de 2023, 23,2% diziam saber quem era o prefeito, contra 39% que afirmam o conhecer na mais recente pesquisa. A respeito disso, a analista Bruna Assis, do DATATEMPO, avalia que o agravamento da epidemia de dengue pode ter influenciado a opinião do eleitorado. “Temos hospitais lotados, dificuldade de atendimento na saúde, e isso tudo, provavelmente, impactou a avaliação do governo do Fuad”, explica Bruna.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!