Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Candidatos distribuem cartilha defendendo o Escola sem Partido e causam polêmica

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
PUBLICADO EM 05/10/18 - 03h00

Candidatos distribuem cartilha defendendo o Escola sem Partido e causam polêmica

Um material com aproximadamente 20 páginas contra o ensino politizado e partidário em escolas, distribuídos pelos candidatos a deputado federal Lincoln Portela (PR) e a deputado estadual Léo Portela (PR) na região metropolitana, causou polêmica nas redes sociais nesta quinta-feira (4).

A cartilha traz um aluno que “adora aprender e que ama a escola” sendo abordado em sala de aula pelo líder de um movimento de ocupação ao lado de uma mulher vestindo uma camisa com o escrito “manas” e um rapaz com uma blusa vermelha com uma estrela centralizada. O líder, nomeado como “Boina”, chama o aluno para participar de manifestações e ocupação que têm o objetivo de uma educação mais democrática. A professora ilustrada no material autoriza a participação do aluno e garante que ele vai receber presença e ponto se participar da manifestação. Outros estudantes são influenciados pela fala da professora e aderem ao movimento.

Chegando ao local do protesto, o líder manda os estudantes queimarem pneus para chamar atenção da mídia e pede ainda que eles amarrem uma camisa no rosto para se protegerem da fumaça e impedirem a identificação por parte da polícia e dos meios de comunicação. O vandalismo, confronto com policiais e liberação das drogas e do aborto também são abordados no material.

No outro dia, os pais e alunos aparecem na escola, que tem uma faixa de “escola ocupada”. Os líderes do movimento de ocupação afirmam que não haverá aulas e que palestras serão dadas por eles. Nesse momento, aparecem os desenhos de personagens personificando Léo e Lincoln Portela como a solução dos problemas.

“Vocês estão doutrinando e usando as crianças como massa de manobra. Seu movimento está utilizando professores mal-intencionados que se aproveitam da audiência cativa dos alunos”, diz o personagem de Léo Portela. As propostas de ambos para implementar o Escola sem Partido finalizam o material, distribuído na porta de escolas de Belo Horizonte e região metropolitana.

Alguns internautas criticaram a cartilha. “O estrago maior já está feito, com certeza alguns pais vão ler esse lixo e concordar com tudo”, disse uma usuária do Twitter. Outros criticaram o fato de estarem usando as escolas como alvo nas respectivas campanhas à reeleição.

Procurado pelo Aparte, o deputado federal Lincoln Portela (PR) afirmou que a ideia foi da coordenação da campanha. “Esse material mostra a podridão que os governos vêm fazendo. Sem generalizar, mas os professores e diretores estão influenciando as crianças até sobre as relações homoafetivas. Nós queremos conscientizar os pais aqui, do Estado, que essas questões ferem o Código Penal, estamos trabalhando com o Escola sem Partido”, explicou Lincoln.

O deputado afirmou também que o material é positivo para quem tem pensamento conservador. “Já aqueles que têm posicionamentos ateístas, marxistas e liberais são contrários”, afirmou.

Já o deputado estadual Léo Portela disse que a cartilha não tem público-alvo e que todas as pessoas devem saber o que está acontecendo nas escolas do Estado. “O objetivo é mostrar principalmente o que acontece nas escolas públicas, que são pagas com dinheiro público e estão doutrinadas por um professor que usa o espaço para pregar ideias partidárias. Nas (escolas) particulares, os pais, ao matricularem, conhecem a grade curricular, o que vai ser ensinado. Na escola pública não tem outra opção”, disse. 

Procurado, o Tribunal Regional Eleitoral disse que não há irregularidades no material. (Lucas Henrique Gomes)

Começou

FOTO: Ramon Bitencour

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) começou nesta quinta-feira (4) a distribuição das urnas eletrônicas que serão utilizadas na eleição. As urnas ficam em batalhões da Polícia Militar (PM) ou em outros imóveis sob a guarda da PM até a madrugada do domingo. Em Belo Horizonte estão reservadas 4.739 urnas para 4.587 seções eleitorais. A diferença entre o número de urnas e o número de seções refere-se às urnas de contingência, utilizadas para substituição, caso algum equipamento tenha defeito de funcionamento. Nas eleições de 2016, 404 urnas foram substituídas por outras no primeiro turno. Na semana passada, as urnas receberam os dados das eleições 2018 e foram devidamente lacradas. No interior, o cronograma de carga, lacração e distribuição das urnas segue procedimentos específicos definidos por cada zona eleitoral, sempre com apoio de instituições de segurança. No sábado (6) o TRE-MG vai sortear 15 seções eleitorais do Estado cujas urnas serão auditadas em dois procedimentos.

Segurança nas eleições

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou nesta quinta-feira (4) que 280 mil agentes públicos das polícias estaduais e municipais e de órgãos federais vão atuar para garantir a segurança da população na eleição. A afirmação do ministro foi feita durante a inauguração do Centro Integrado de Comando e Controle (CICCN) da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Sediado em Brasília, o CICCN possui representantes de todos os Estados e vai centralizar e coordenar as informações e ações relacionadas à segurança pública durante as eleições. Essas informações vão nortear a atuação das polícias militares e civis dos Estados e, também, das guardas municipais.

Barba, Cabelo e Bigode

FOTO: reprodução YouTube

O candidato à Presidência Cabo Daciolo (Patriota) compartilhou e agradeceu nesta quinta-feira (4) o jingle produzido pelos humoristas do programa Barba, Cabelo e Bigode, da rádio Super Notícia 91,7 FM. No vídeo, ilustrado com paisagens naturais, Daciolo é descrito como aquele que combate o mal, que tem os melhores memes e que vai combater a Ursal (União das Repúblicas Socialistas da América Latina), sigla fictícia que virou piada nas redes sociais após ser citada por ele no primeiro debate entre os presidenciáveis na TV. O jingle destaca ainda o perfil religioso de Daciolo e vídeos que viralizaram nas redes. “Candidato diferente, competente e capaz. Sempre girando contra o satanás. Sobe o monte só para jejuar, usando a lanterna de seu celular. Os Illuminati ele vai derrotar. A estátua da Havan ele quer derrubar”, diz a letra. O vídeo pode ser assistido no canal do YouTube.

O que achou deste artigo?
Fechar

Candidatos distribuem cartilha defendendo o Escola sem Partido e causam polêmica
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (1)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter