Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Governo encerra Farmácia de Minas em Casa e pede que pacientes busquem remédios

O governo do Estado encerrou recentemente o Farmácia de Minas em Casa, programa que entregava, de graça, medicamentos de alto custo a pacientes em sua própria residência em municípios da região metropolitana de Belo Horizonte. Tinham direito à medicação em casa pessoas portadoras de asma grave, Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), esclerose lateral ou alterações no colesterol ou triglicérides. O atendimento presencial visava a minimizar o sofrimento dos pacientes com dificuldade de locomoção e diminuir a fila por remédios nas farmácias populares.

Segundo uma fonte da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o Núcleo de Assistência Farmacêutica colocou os funcionários para ligar para os pacientes e informar que “deveriam comparecer à farmácia para pegar os medicamentos para garantir seu abastecimento”, sem dizer que o programa teria acabado. Nenhum comunicado impresso foi feito, e os funcionários foram orientados a negar que a entrega havia sido encerrada. Os servidores que atuavam no programa teriam sido direcionados para outros setores. A ordem, segundo uma fonte, foi encerrar o programa sem gerar material escrito, estratégia para dificultar a mobilização de opositores, principalmente do deputado estadual Antônio Jorge (PPS), ex-secretário de Saúde (entre 2010 e 2014), que idealizou o programa durante gestão tucana de Antonio Anastasia. A coluna ainda apurou que a empresa contratada para realizar a entrega dos medicamentos, a Primar Logística, não consta mais no faturamento do governo.

A Secretaria de Saúde, hoje presidida pelo deputado licenciado Sávio Souza Cruz (PMDB), não confirmou o encerramento do programa, mas informou que o Farmácia de Minas em Casa está sendo reformulado. “Cada uma das 6.000 pessoas que fazem parte do programa de entrega de medicamentos em casa foi devidamente avisada, por meio de ligação telefônica, de que deveria voltar a buscar o medicamento de forma presencial na farmácia situada à avenida do Contorno, 8.495, bairro Gutierrez”, informou a nota enviada à coluna. A SES ressaltou que, se o paciente tiver dificuldade em comparecer pessoalmente, pode autorizar até cinco pessoas de sua confiança para comparecerem mensalmente e retirar o medicamento.

Ainda na nota, a secretaria diz que o contrato com a empresa responsável pelas entregas terminou no primeiro semestre deste ano e que o órgão está providenciando uma nova licitação. O governo, porém, não informou o que será reformulado no programa nem quando voltará a funcionar. De acordo com a SES, “de 2011 a 2017, 6.000 pacientes foram incorporados ao programa, sendo a adesão voluntária, de modo que o paciente ou seu autorizado assinavam um termo de adesão”. A dívida da Saúde com os municípios mineiros chegou R$ 2,4 bilhões em outubro, segundo relatório do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde. (Angélica Diniz)

R$ 90 mil

É quanto vão custar aos cofres públicos apenas as diárias de viagem da comitiva de dez deputados que visitará Israel e Portugal por nove dias. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), comanda o grupo. O custo com o percurso, que está sendo feito num avião da Força Aérea Brasileira, não foi divulgado pela Casa. 

Benito não gostou

O cantor Benito Di Paula, 75, diz que se sentiu desrespeitado com a paródia que o deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS), um dos aliados mais fiéis do presidente, fez de sua música “Tudo Está no Seu Lugar”. “Tô muito puto. E olha que sou calmo. Mas vem o cara e mexe num negócio desse numa hora errada”, disse ao jornal “Folha de S.Paulo”. Batendo palmas e dançando, Marun se aproximou de jornalistas no plenário e entoou o refrão da música, comemorando vitória antes mesmo do fim da votação. Segundo Benito, a canção parodiada por Marun foi composta em homenagem a sua mãe, logo depois que ele conseguiu comprar uma casa para ela, no início de sua carreira. “Ela e meus irmãos viviam numa casa com goteiras. Depois foram morar no corredor de um prédio, acredita? Aí, quando eu consegui colocá-los numa casa, me veio a inspiração: ‘Tudo está no seu lugar, graças a Deus’”, relata. Em um vídeo salpicado de palavrões que gravou para publicar em suas redes sociais, o artista revela o valor sentimental existente na música. “Isso não é música de político, não, rapaz. Isso é música de família!”, reclama ele na gravação. “Eu diria que ele (Marun) é um... um babaca?! Não tem o que fazer, não? Vai trabalhar! O cara merecia até um processo. Mas não vou fazer isso. Sou um homem do bem”, disse Benito.

FOTO: reprodução / INSTAGRAM Romário

No ataque. O senador Romário (PODE-RJ) publicou no Instagram uma foto ao lado do deputado estadual do Rio de Janeiro e também ex-jogador Bebeto (PDT), afirmando que a antiga dupla de atacantes tetracampeã pela seleção brasileira, em 1994, pode estar “junta novamente”. No texto, o parlamentar destaca, em maiúscula, a palavra PODEMOS, sugerindo que a parceria será no partido que recém o recebeu, antigo PTN. “As conversas já começaram, e a possibilidade é muito grande de estarmos juntos de novo. Juntos PODEMOS sempre”, diz o senador. A assessoria de Romário confirmou que Bebeto deve migrar para o Podemos, com seu mandato de deputado estadual, mas não respondeu sobre eventual parceria para concorrer ao governo do Rio de Janeiro em 2018. Romário já indicou, anteriormente, sua pretensão de ser candidato a governador. A confirmação também veio do senador Álvaro Dias (PODE-PR), líder do partido no Senado e um dos principais nomes da legenda. “Ele (Bebeto) já comunicou seu desejo. Na janela (partidária) deve se filiar”, disse. A reportagem não conseguiu contato com a assessoria de Bebeto.

Material de campanha

A equipe de filmagem e fotografia que acompanha o ex-presidente Lula por sua caravana em Minas é de causar inveja a muita campanha. Nos eventos presenciados pela reportagem de O TEMPO em Ipatinga e Periquito, no Vale do Aço, sempre havia ao menos quatro fotógrafos em torno do petista, que se revezavam entre a produção de imagens e a transmissão ao vivo. Até um drone foi utilizado. Além de se esforçar para captar momentos espontâneos, a equipe também produziu diversas fotos. No ato de abertura da caravana em Ipatinga, Lula e a ex-presidente Dilma desceram do palco para um cercadinho onde havia algumas pessoas selecionadas do público que se aglomeraram junto aos políticos para tirar fotos. Já em Periquito, Lula andou livremente pelo acampamento Liberdade, do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra. Foi abordado diversas vezes por homens, mulheres e crianças – que segurava no colo. Os fotógrafos estavam muito próximos do ex-presidente para registrar os momentos em detalhes. Se ele for mesmo candidato em 2018, parte do material de campanha está garantido.