Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Secretaria de Esportes exonera 11 servidores em retaliação a denúncias de ex-secretário

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
PUBLICADO EM 24/08/18 - 03h00

Secretaria de Esportes exonera 11 servidores em retaliação a denúncias de ex-secretário

Em retaliação às denúncias feitas pelo agora ex-secretário de Esportes Ricardo Sapi, que anunciou seu pedido de exoneração do cargo na última quarta-feira, por conta da falta de apoio político e de polêmicas dentro da pasta, o governo de Minas publicou nesta quinta-feira (23), no Diário Oficial “Minas Gerais”, a exoneração de 11 funcionários da secretaria. Do total, apenas uma servidora era concursada, e os outros eram comissionados. De acordo com interlocutores da pasta, apenas três dos 11 funcionários tinham alguma ligação com o secretário ou com o PRB, partido que estava à frente da secretaria desde 2015.

“Hoje foram exonerados somente os servidores técnicos! Servidores éticos e com anos de serviços prestados ao Estado muito antes da minha chegada à secretaria; já outros servidores foram nomeados por mim e são exemplos de dedicação e comprometimento”, lamentou Ricardo Sapi.

Pelo menos seis exonerados eram funcionários antigos da secretaria, alguns com até 30 anos de serviços prestados ao Estado. Como um servidor comissionado que entrou no governo em 1993, como office boy, por recrutamento amplo. À época, a secretaria ainda era apenas de Turismo. Ele foi efetivado e locado no setor de recursos humanos e, em 2007, recebeu a designação para dirigir a diretoria de recursos humanos da pasta. Como ele era o único taxador em exercício da Secretaria de Esportes, a pasta agora nem sequer tem quem responda pelos pagamentos dos demais funcionários.

Um dos exonerados conversou com o Aparte e contou como viu os acontecimentos, que, segundo ele, pegaram a todos de surpresa. “Entrei como estagiário e fui progredindo. Me tornei analista do ICMS e segui evoluindo. Enfim, sempre resolvi tudo que a secretaria precisava. Porém, nas últimas semanas alguns servidores pediram exoneração de seus cargos, a maioria prevendo problemas como estes. Dessa forma, o cargo de assessor-chefe ficou vago, e, como possuo mestrado em ações e planejamento estratégico, me colocaram no cargo sem nem sequer alterar meu DAD4 (nível do cargo de assessoramento). Houve uma indicação política para a vaga, mas cujo indicado nunca apareceu, só então me nomearam para chefia de Planejamento, já que sou tecnocrata”, conta o servidor comissionado demitido.

Segundo ele, é uma ação comum na pasta que servidores técnicos cubram as atividades que os indicados políticos deixam, assumindo funções, mas sem receberem por isso. De acordo com o interlocutor, os servidores que não são de partidos são os primeiros demitidos. Para ele, sua exoneração se deve a uma possível confusão por ele ter trocado recentemente de posto dentro da estrutura da pasta.

“Acho que a minha exoneração tem a ver com alguma retaliação e, o pior, tem a ver com pessoas que acham que eu estou vinculado a ele (Sapi). Como assumi um cargo de chefia recentemente, provavelmente acharam que eu era contato político dele, mas nunca fiz nada político pra ninguém. Só aceitava tudo isso (mudanças de cargos) para não parar o funcionamento da secretaria”, conclui o ex-servidor.

A expectativa é que nesta sexta-feira (24) outras exonerações aconteçam na Secretaria de Esportes. Além disso, segundo interlocutores da pasta, nenhum dos funcionários-fantasma foi exonerado. (Felippe Drummond)

Escondido

FOTO: reprodução WhatsApp

Em seu primeiro evento de campanha nas eleições 2018 por uma vaga na Câmara dos Deputados, o senador Aécio Neves (PSDB) participará de um encontro com apoiadores em uma fazenda próximo a Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, a 446 km de Belo Horizonte. O encontro será restrito a convidados e acontece neste sábado (25). A cidade é terra natal do pai do senador, Aécio Cunha, que tinha como base eleitoral as regiões do Jequitinhonha e do Mucuri. O senador até agora não esteve em nenhum ato político em Belo Horizonte e também não subiu nos palanques do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), que disputa o governo estadual, nem do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que está em campanha pelo Palácio do Planalto. Para chegar ao local do encontro, promovido por um ex-prefeito de Teófilo Otoni, é preciso percorrer 2 km por uma estrada de terra. A assessoria de imprensa de Aécio informou, por meio de nota, que o evento não será uma agenda pública nem um compromisso de campanha. Na primeira semana do período de campanha eleitoral, Aécio não promoveu nenhuma agenda pública e tem realizado pequenos encontros com prefeitos em seu comitê.

Plágio

Candidato ao governo do Rio de Janeiro, o subtenente do Bope André Monteiro (PRTB) garante que recorreu a especialistas de diversas áreas para elaborar suas propostas. O texto disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral possui várias passagens que são transcrições literais de parágrafos de um artigo de um professor da Uerj sobre a crise econômica do Estado e de uma descrição sobre o Rio de Janeiro, disponível na Wikipédia. As fontes originais não são mencionadas. Apesar das evidências, o candidato nega que tenha cometido plágio. “Como eu iria saber que alguém copiou algo da internet? De fato pode ter acontecido, mas isso também não é motivo para ficar chateado”, afirmou Monteiro.

Transição

FOTO: FÁTIMA MEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO - 16.8.2018

A pouco menos de cinco meses da posse do novo presidente da República, o governo de Michel Temer já deu início ao processo de transição. Segundo técnicos envolvidos nesse trabalho, Temer (foto) quer deixar para o sucessor um raio X de todas as ações e situação de cada área da administração federal. Temer quer adotar comportamento semelhante ao do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em 2002, quando o tucano abriu os dados e as portas do governo para a equipe de Lula. Segundo auxiliares de Temer, os ministros já estão recolhendo informações e disponibilizando às equipes dos candidatos à Presidência que as solicitam. Na área econômica, os pedidos são mais frequentes. A Secretaria de Administração do Planalto está mobilizada para definir o local onde funcionarão os gabinetes da transição.

O que achou deste artigo?
Fechar

Secretaria de Esportes exonera 11 servidores em retaliação a denúncias de ex-secretário
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (2)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter