Recuperar Senha
Fechar
Entrar
02/10/15

Deputado gasta R$ 3.000 em hotel e termas de luxo

Pelos confortáveis três dias de hospedagem do deputado, a Câmara Federal, ou seja, o contribuinte brasileiro, desembolsou a exata quantia de R$ 2.902,16

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 02/10/15 - 03h00

O deputado federal mineiro Stefano Aguiar (PSB) gastou quase R$ 3.000 da verba indenizatória para se hospedar, no feriado de Páscoa, em um luxuoso hotel-fazenda em Araxá, município do Triângulo Mineiro. Lá, ele teve direito a uma ampla suíte, que contava com quarto de casal, um quarto para crianças e uma antessala. Além da instalação, o pessebista usufruiu de uma grande estrutura de termas, com piscinas e banheiras de “águas sulfurosas e radioativas”.

Pelos confortáveis três dias de hospedagem do deputado, a Câmara Federal, ou seja, o contribuinte brasileiro, desembolsou a exata quantia de R$ 2.902,16. Isso porque o parlamentar considerou que seu fim de semana no hotel se enquadrava em gastos cobertos por verba de gabinete, utilizada para auxiliar nas atividades parlamentares.

Coincidentemente, na mesma época em que Stefano Aguiar ficou hospedado no hotel, entre os dias 3 e 6 de abril, o local recebia o evento religioso Páscoa Iluminada, “um grandioso projeto em que são apresentados espetáculos de padrão mundial com muita música, luzes, tecnologia de ponta e arte”, segundo definição do site oficial da cerimônia. Em seu Facebook, o deputado postou, ainda, uma foto, no dia 6, de um “culto de Páscoa”, realizado na Igreja Evangélica Quadrangular de Araxá. Ele também é pastor da entidade.

Em conversa com o Aparte, a assessoria do deputado informou que Stefano Aguiar foi “convidado pela base política a se reunir em Araxá” e que, aproveitando a viagem, acabou indo aos eventos da igreja. Segundo o gabinete parlamentar, foram os próprios aliados políticos da cidade que fizeram a reserva no hotel para o pessebista. A equipe afirmou, ainda, que não há qualquer tipo de ilegalidade no fato, já que a verba indenizatória também serve para custear as hospedagens dos parlamentares.

Manifestação petista

Integrante da Frente Brasil Popular (FBP), o PT está convocando a população a se manifestar em defesa da Petrobras e da democracia no dia 3 de outubro. A convocação para as manifestações foi reforçada pelo presidente do PT, Rui Falcão. O Dia Nacional de Mobilizações será realizado em todo o país em defesa da democracia, dos direitos dos trabalhadores e de reformas populares. De acordo com o secretário nacional de movimentos populares do PT, Bruno Elias, o partido tem acompanhado todas as mobilizações e convocado a militância a se engajar plenamente no processo de defesa das garantidas democráticas. “O momento político exige um estado permanente de mobilização da nossa militância e do nosso partido”, ressalta Elias.

Políticas para Mulheres

A Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) nomeou, na semana passada, a ativista Larissa Amorim Borges como nova subsecretária de Políticas para Mulheres. Colocada em cargo estratégico da pasta, ela terá um salário de cerca de R$ 9.500. Essa não será a primeira experiência de Larissa em ações governamentais. Desde maio, ela está lotada como diretora de Programas da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), órgão do governo federal. Apesar da nomeação no governo mineiro, ainda não houve exoneração na Seppir. Na gestão Dilma, Larissa tinha vencimentos de mais de R$ 11 mil para coordenar o programa Juventude Viva.

FOTO: José Cruz/AGÊNCIA Brasil
10
Produzido em campanha da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp)

Bonecos de protesto. A crise econômica que atinge o Brasil tem dificultado a vida de todos, menos a dos fabricantes de bonecos infláveis. Depois de serem produzidos o Pixuleko, que caracteriza o ex-presidente Lula em uma roupa de presidiário, dois bonecos da presidente Dilma, um do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e outro, este ainda em produção, do governador de Minas, Fernando Pimentel, chegou a vez do Pato. Produzido em campanha da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), o boneco foi colocado na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. A ação faz parte de um protesto contra o aumento de impostos e a volta da CPMF. O nome da manifestação é “Não Vou Pagar o Pato”.

R$ 37,7 mil É o valor que a Câmara Federal reservou para adquirir 123 resmas de papel offset branco. O material será destinado à Coordenação de Serviços Gráficos.

Prado contra

Na última quarta-feira, o deputado estadual Elismar Prado (PT) votou contra o projeto do governador Fernando Pimentel (PT) que aumentou o ICMS de determinados produtos, mesmo com a insistente orientação do partido e do governo sobre a necessidade de aprovação do texto. A manobra lembra, coincidentemente, a o irmão de Elismar. Deputado federal, Weliton Prado (PT) ignorou a orientação do governo Dilma (PT) e se posicionou de forma contrária à medida provisória que restringe o acesso ao seguro-desemprego, que foi a plenário em maio. Ambos devem, em breve, deixar a sigla.

Ritmo lento

Apenas duas das 11 reuniões de comissões da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) agendadas para nesta quinta aconteceram. Os colegiados de Educação, Ciência e Tecnologia, Segurança Pública, Defesa do Consumidor e Proteção dos Animais sequer começaram, já que nenhum dos deputados membros apareceu. Já a Comissão de Saúde aconteceu, contando com a presença apenas de Arlen Santiago (PTB). Um outro colegiado, que avaliava a indicação de Henrique Dourado para a presidência da Loteria Mineira, contou com a presença dos deputados Ivair Nogueira (PMDB), Inácio Franco (PV) e Cássio Soares (PSD).

O que achou deste artigo?
Fechar

Deputado gasta R$ 3.000 em hotel e termas de luxo
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (3)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter