Recuperar Senha
Fechar
Entrar
29/06/15

Servidores da PBH denunciam “funcionários-fantasma” 

Miranda chegou a assumir o mandato de deputado estadual na Assembleia Legislativa de Minas Gerais como suplente, em 2011, mas sua legislatura durou poucos meses

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 29/06/15 - 03h00

Dois servidores da Prefeitura de Belo Horizonte foram denunciados à Ouvidoria da administração municipal por, supostamente, serem “funcionários-fantasma”. Bruno Fukino e Luiz Carlos Miranda, lotados na Secretaria Adjunta de Trabalho e Emprego, não trabalhariam no local, de acordo com denúncia.

Segundo um trabalhador da pasta, em denúncia anônima ao Aparte, os dois servidores recebem o salário da prefeitura, constam na lista de empregados da secretaria, mas nunca sequer “apareceram para trabalhar”. “Eles estão lotados na prefeitura, mas nunca apareceram, ninguém conhece. Parece que ficam mais circulando pelos partidos”, diz, revoltado.

Coordenador do PSDB Sindical e nomeado na Gerência de Equipamentos de Intermediação de Trabalho, órgão que responde à secretaria adjunta, Bruno Fukino participou ativamente da campanha de Pimenta da Veiga ao governo de Minas.

Já Luiz Carlos Miranda, lotado no gabinete da secretaria adjunta, é um dos fundadores do partido Solidariedade em Minas. Atualmente, ele ocupa o cargo de primeiro secretário da sigla. Ele e Fukino recebem um salário mensal de cerca de R$ 5.000.

Miranda chegou a assumir o mandato de deputado estadual na Assembleia Legislativa de Minas Gerais como suplente, em 2011, mas sua legislatura durou poucos meses.

Em contato com o Aparte, a Secretaria Municipal de Trabalho e Emprego informou que as alegações apresentadas “não são verdadeiras e que não é prática da Prefeitura de Belo Horizonte, nem dessa secretaria, ter ‘funcionários-fantasma’ em seu quadro de pessoal”.

Câmara com polêmica

A Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Câmara Municipal de Belo Horizonte debaterá, nesta terça, às 13h30, as diretrizes do Plano Municipal de Educação em Belo Horizonte (PME). O tema tem se tornado polêmico por conta da formalização de que o combate à discriminação de gênero, raça e orientação sexual foi estabelecido, pela Conferência Nacional de Educação de 2010, como um dos pontos essenciais aos planos municipais. Nas primeiras discussões na Casa, alguns vereadores da chamada “bancada evangélica” anunciaram repúdio pelo tema, indicando que o plano pertence a uma “ideologia de gênero”. Já Arnaldo Godoy (PT) defendeu a criação de mecanismos para debater sobre a discriminação no ensino básico.

Condenado

O ex-prefeito de Januária João Ferreira Lima (PSDB) foi condenado por desvio e apropriação de recursos públicos pela Justiça mineira. O empresário Luciano André Magalhães, dono da Construtora Terranorte, e o engenheiro Eualdo Lima também receberam penas. João Lima e Luciano Magalhães receberam, cada um, pena de quatro anos, dois meses e 12 dias de prisão. Já Eualdo Lima foi condenado a três anos e seis meses. A condenação resultou de irregularidades cometidas na execução de três convênios firmados com a Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf), no ano de 2002, para a construção de barragens nas comunidades rurais de Sumidouro, Capivara e Marreca, na zona rural de Januária, município do Norte de Minas.

FOTO: REPRODUÇÃO/ TV TRIBUNA
01
Cesare Battisti, ex-ativista italiano de 70 anos

Casório. Cesare Battisti, ex-ativista italiano de 70 anos, casou-se na noite deste sábado, em um camping localizado em Cananéia, no Vale do Ribeira, litoral de São Paulo. Os noivos chegaram à cerimônia em uma Kombi e foram recebidos por cerca de 100 convidados. O casamento foi celebrado por uma mãe de santo. Após a celebração, os noivos foram para um churrasco e Battisti anunciou que em breve deve lançar um livro narrando suas histórias. Acusado de participação no assassinato de quatro pessoas na Itália, Battisti integrava o grupo terrorista ‘Proletariados Armados pelo Comunismo’. Ele foi julgado e condenado à prisão perpétua, mas fugiu. O Supremo Tribunal Federal chegou a autorizar sua extradição para a Itália, onde cumpriria a pena, mas o então presidente Lula não autorizou.

44% É A PORCENTAGEM que representa a redução de investimentos feitos pela União nos ministérios. Ao todo, R$ 14,5 bi foram aplicados entre janeiro e maio de 2015.

Amamentação

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Federal aprovou uma proposta que transforma em infração o ato de impedir a amamentação materna, punível com multa de três a 20 salários mínimos. Inicialmente, a proposta sugeria uma punição de um a dois anos de detenção mais multa, mas para a relatora na comissão, deputada Dâmina Pereira (PMN-MG), o texto original pune com muito rigor. “Somente para comparação, a contravenção prevista na Lei de Contravenções Penais que consiste em molestar alguém tem pena prevista de prisão simples, de 15 dias a dois meses”.

Nomeado na ALMG

A Polícia Civil de Minas Gerais afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o ex-vereador de Ipatinga Célio Francisco Aleixo, nomeado na última semana no gabinete da deputada Rosângela Reis (PROS), está aposentado da corporação desde o ano passado e, atualmente, responde a processo administrativo. Em 2008, foi alvo de investigações da Corregedoria Geral da Polícia Civil. Na época, Célio Aleixo trabalhava no setor de identificação foi acusado de emitir documentos de identidade de graça em caráter eleitoreiro.

O que achou deste artigo?
Fechar

Servidores da PBH denunciam “funcionários-fantasma” 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter