Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Debate

Candidatos terão quatro duelos 

Agenda de debates na televisão prevê encontros nos dias 16, 25, 27 e 29

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
0
Encontro. No primeiro debate para a Prefeitura de Belo Horizonte na televisão, oito candidatos discutiram suas ideias para a cidade
PUBLICADO EM 14/09/16 - 03h00

Os eleitores indecisos terão mais quatro boas oportunidades nas próximas semanas para tirar suas dúvidas sobre os candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte. Já estão confirmados os próximo debates na televisão entre os postulantes ao Executivo municipal.

O próximo a ser realizado será promovido pela RedeTV! na sexta-feira, em parceria com a revista “Veja”, o portal Uol e a rede social Facebook. As jornalistas Mariana Godoy e Amanda Klein serão as mediadoras do debate, que terá duas horas e meia de duração e será dividido em quatro blocos, seguindo o mesmo modelo que já foi realizado em outras cidades, como Rio de Janeiro e São Paulo.

Na sequência, a semana será de agenda cheia. No domingo, 25, será realizado o debate da TV Record. Já a TV Alterosa promoverá seu encontro na terça-feira, 27. O debate terá seis blocos.

A última rodada de discussões será realizado pela Rede Globo. O debate será na quinta-feira, 29, último dia para a realização deste tipo de evento, segundo o calendário divulgado pelo Tribunal Regional Eleitoral e marcará o fim da campanha no primeiro turno.

A emissora ainda não divulgou qual será o formato de seu programa.

Ausências. Segundo as emissoras, serão convidados oito candidatos: João Leite (PSDB), Alexandre Kalil (PHS), Luis Tibé (PTdoB), Sargento Rodrigues (PDT), Délio Malheiros (PSD), Marcelo Álvaro Antônio (PR), Reginaldo Lopes (PT) e Rodrigo Pacheco (PMDB).

Ficarão fora dos debates da RedeTV! e da TV Alterosa os candidatos Eros Biondini (PROS), Maria da Consolação (PSOL) e Vanessa Portugal (PSTU). A legislação não obriga o convite para candidatos de partidos e coligações que possuem menos do que nove deputados na Câmara. A Globo e a Record não confirmaram se alguém ficará de fora de seus debates.

João Leite (PSDB)

Candidato pelo PSDB, o deputado estadual João Leite se encontrou ontem com representantes dos catadores de materiais recicláveis da cidade. Dos trabalhadores ouviu pedidos como a abertura de mais vagas em creches, melhor infraestrutura para o trabalho dos catadores e melhoria no serviço de coleta seletiva. O candidato se comprometeu a ampliar o serviço na capital: “Queremos que as pessoas tenham atendimento onde elas vivem. É impossível aceitarmos que uma pessoa não tenha possibilidade de ter acesso ao trabalho. Temos que garantir esse direito, isso é dignidade pura”.

Alexandre Kalil (PHS)

O nome do PHS para a disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, gravou ontem programas eleitorais. Na noite de anteontem, ele participou de uma sabatina com alunos da Faculdade Milton Campos. Kalil foi questionado por dizer que, se eleito, não realizará obras. “Temos que diferenciar o que é obra do que é custeio. Quando você faz uma obra – uma estrada, um viaduto, uma ponte – você entrega pra população. Quando você faz uma escola ou um hospital, isso vai fazer parte do custeio da cidade. Não se constrói uma UMEI ou um Hospital do Barreiro e se vira as costas”, afirmou.

Luis Tibé (PTdoB)

O candidato do PTdoB ao comando da capital mineira, Luis Tibé, cumpriu ontem agenda em Brasília, como deputado federal, e concedeu entrevista a O TEMPO. Hoje, o postulante irá intensificar sua agenda de campanha. Ele irá participar de um debate entre candidatos na FUMEC, conceder entrevista a dois veículos de imprensa e realizar quatro visitas a diferentes segmentos do município. “O que está ajudando muito a gente é essa base de candidatos a vereador. São várias agendas (de candidatos a vereador), e eu queria cumprir todas. Mas estamos fazendo um esforço redobrado”, disse.

Eros Biondini (PROS)

O deputado federal passou o dia em Brasília, após ter participado anteontem da cassação de Eduardo Cunha. Ontem, Biondini esteve na reunião da comissão que debate as dez medidas de combate à corrupção. “Desejamos que as medidas sejam apreciadas rapidamente”, disse a O TEMPO. Além disso, o candidato participou de uma campanha para a universalização do exame rápido de hepatite C e afirmou que, em sua gestão, os postos de saúde da capital farão esse teste. “No Brasil, são 3 milhões de pessoas que têm hepatite C e não sabem”, afirmou.

Vanessa Portugal (PSTU)

Vanessa Portugal (PSTU) participou ontem de ato realizado por servidores aposentados da rede municipal na porta da prefeitura. “Foi uma manifestação dos trabalhadores exigindo que a prefeitura faça a recomposição do salário, como manda a legislação”, detalhou Vanessa. Questionada se, em uma eventual gestão sua, seria possível atender as reivindicações da categoria, a candidata foi categórica: “É uma determinação da legislação, e a prefeitura tem obrigação de fazer. Não pode deixar os aposentados com o salário congelado”.

Sargento Rodrigues (PDT)

Depois de conceder, pela manhã, entrevistas a dois veículos de imprensa, o deputado estadual recebeu a visita, em seu comitê, de membros da Associação dos Motoristas Individuais Privados de Minas Gerais (Amip), que representa o Uber. Segundo o candidato, os motoristas do aplicativo apresentaram uma proposta para legalização e se dispuseram a contribuir com o pagamento de impostos. “Isso é perfeitamente factível e razoável para os dois lados”, disse ele, aludindo também à categoria dos taxistas. “Depois, quem vai dizer quem vai se estabelecer no mercado é o consumidor”, declarou.

Délio Malheiros (PSD)

O candidato do PSD e vice-prefeito, Délio Malheiros, se encontrou ontem com membros da Associação de Bombeiros Voluntários, com movimentos sindicais e com lideranças comunitárias da região Leste. Além disso, visitou o Mercado Novo e fez caminhada na região Central. Ele disse que irá revitalizar o centro. “Dentre os nossos planos para o centro estão o prosseguimento e ampliação do projeto Mobicentro/Trânsito Melhor, a construção de uma Umei na rua Guaicurus e a implantação da escola de educação profissionalizante na avenida Santos Dumont”, disse.


Maria da Consolação (PSOL)

Maria da Consolação passou o dia de ontem panfletando em diversas regiões e concedeu duas entrevistas. Com pouco tempo de propaganda eleitoral, ela passa a maior parte do tempo nas ruas, convidando os eleitores a conhecer suas propostas na internet. Ela vê chance de crescer nas próximas semanas e ir ao segundo turno: “Não dá para ficar na mesmice, nem com a gestão do Estado, que destruiu a educação e a saúde de Minas, nem com o discurso que a política não vale nada. Somos a chapa da esperança, da luta que transforma a vida”.

Marcelo Álvaro Antônio (PR)

Na manhã de ontem, o candidato Marcelo Álvaro Antônio (PR), que é deputado federal, foi recebido pelo ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM). Na reunião, o parlamentar afirmou ter defendido a necessidade da instalação de Escola Técnica Federal no Point Barreiro. Para Marcelo Álvaro, o local possui uma estrutura capaz de abrigar uma escola profissionalizante. “A iniciativa da escola integrada é louvável. Muitas crianças têm sido beneficiadas. No entanto, poderia servir para atividades profissionalizantes de jovens e adultos, no turno da noite”, afirmou o candidato.

Reginaldo Lopes (PT)

O deputado, que estava em Brasília, retornou ontem à noite para Belo Horizonte para participar, na sede do PT estadual, no Barro Preto, de um encontro com o grupo D1 Passo, que debate a mobilidade urbana sustentável. Antes, no plenário da Câmara, Reginaldo comemorou a retirada de pauta do projeto de lei que impede creches de receberem recursos de instituições. “Achamos que temos que ampliar a rede própria, mas também garantir investimento nas creches comunitárias”, disse o candidato petista à Prefeitura de Belo Horizonte.

Rodrigo Pacheco (PMDB)

Em Brasília por conta de atividades parlamentares, como a votação da cassação do mandato de Eduardo Cunha, o candidato Rodrigo Pacheco não realizou agenda de campanha em Belo Horizonte. Por redes sociais, no entanto, ele se manifestou sobre a saída de Cunha da Câmara dos Deputados. “O exercício do mandato parlamentar é feito com independência e, acima de tudo, em obediência à consciência, que é apartidária. Diante disso, fui um dos 450 parlamentares que votaram pela cassação do deputado Eduardo Cunha”, escreveu. 

O que achou deste artigo?
Fechar

Debate

Candidatos terão quatro duelos 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (1)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter