Recuperar Senha
Fechar
Entrar

pesquisa

DataTempo aponta para duelo entre PHS e PMDB em Betim

Vittorio Medioli lidera pesquisas, com 30,3%, seguido de Ivair, com 16,3%

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 26/08/16 - 03h00
p.FCKEditor { R transient java.lang.Object _data = 'com.polopoly.cm.app.policy.SingleValuePolicy'; R static java.lang.String p.publicInterfaces = 'com.polopoly.cm.app.policy.SingleValued'; R static java.lang.String p.mt = 'com.polopoly.cm.app.policy.SingleValuePolicy'; R static java.lang.String p.beanClass = 'com.polopoly.cm.app.policy.SingleValuePolicy'; RW java.lang.String value = '

A primeira pesquisa de intenções de votos registrada em Betim pelo instituto DataTempo/CP2 mostra que o município, localizado na região metropolitana de Belo Horizonte, caminha para ter um duelo entre os partidos PHS e PMDB.

Segundo o levantamento, realizado entre os dias 13 e 19 de agosto, com 1.300 eleitores, o empresário Vittorio Medioli (PHS) larga na frente no cenário com todos os candidatos. Ele aparece com 30,3% das intenções de votos. Em seguida, vem o deputado estadual Ivair Nogueira, do PMDB, com 16,3% das intenções.

O terceiro colocado é o vereador Welinton Abreu, o Sapão (PPS), que obteve 11,5% da preferência do eleitorado. Em seguida, vêm os concorrentes Beto do Depósito (PSDC), com 6,8%; Eutair dos Santos (PT), com 4,3%; Wenceslau Moura (PSB), com 2%; Erasmo Carlos (da Academia), do PSC, com 1,1%; Wilson de Souza (PSOL), com 0,7%; Fernando Mendonça (PSL) e Dorinha (PSTU), ambos com 0,5%; e Zulu (PCB), com 0,4%. Um índice de 17% das pessoas questionadas disse que votaria em branco ou anularia seu voto no dia da eleição. Já o número de indecisos entre os entrevistados foi de 8,8%.

No levantamento espontâneo, no qual os eleitores citam livremente os nomes das pessoas em quem pretendem votar, Medioli surge com uma vantagem maior. Nessa simulação, ele conta com 14,8% dos entrevistados. Em segundo, com 3,5%, aparece Ivair Nogueira, seguido do vereador Welinton Abreu, que teve o nome citado por 2,8% dos ouvidos. Em seguida, vêm Pinduca, com 2,4% das citações; Carlaile Pedrosa (PSDB), com 2,2%; Maria do Carmo Lara (PT), com 1,7%; Eutair dos Santos, com 1,1%; Beto do Depósito, com 1%; Wenceslau Moura, com 0,9%; Vinícius Resende (PHS), com 0,4%; e Rômulo Veneroso (PV), com 0,1%. Outros nomes mencionados somaram 1,8%. De todas as pessoas abordadas, 61% se disseram indecisas ou não responderam, e 6,3% afirmaram que votariam em branco ou anulariam o voto.

Inusitado. O quadro atual da política em Betim está bem diferente daquele das últimas eleições na cidade, que ficaram marcadas pela disputa entre PSDB e PT.

Outra mudança significativa do cenário local é em relação à quantidade de candidaturas majoritárias registradas: nestas eleições, são 11 ao todo, a maior da história de Betim.

Até então, o número mais expressivo de concorrentes ao cargo de prefeito que os betinenses já haviam visto foi em 1988, período da redemocratização do país. Na ocasião, sete candidatos brigaram pelo principal posto do Executivo municipal.

Tudo isso ocorre mesmo numa conjuntura de grave crise financeira e admistrativa que o município enfrenta – em março deste ano, a administração decretou calamidade financeira, o que a obrigou a promover cortes em setores essenciais, como saúde e educação.

Perfil. O referido levantamento foi realizado em 52 bairros de Betim e abrangeu todas as regiões da cidade – são dez ao todo. Estratificada em cotas de sexo, idade, escolaridade e renda mensal familiar, a sondagem abordou eleitores betinenses maiores de 18 anos.

';},ModelStore=com.polopoly.model.ModelStoreInMap

O que achou deste artigo?
Fechar

pesquisa

DataTempo aponta para duelo entre PHS e PMDB em Betim
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (2)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter