Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Genética

App analisa DNA e revela cor de pele, olho e cabelo

Software pode ser usado em investigações policiais para identificar criminoso

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
n
Expectativa. Nova ferramenta pode ajudar na perícia técnica e na solução de alguns crimes
PUBLICADO EM 15/05/18 - 03h00

Um novo software pode prever, com precisão, a cor dos olhos, do cabelo e da pele utilizando qualquer material biológico humano – até mesmo uma pequena amostra de DNA. A inovadora ferramenta web de perfil de pigmentação, chamada de HIrisPlex-S System, pode analisar sequências de DNA, comparando fenótipos de cores contidas em um banco de dados, e informar o perfil de pigmento do doador do material genético. O resultado do estudo foi publicado na revista científica “Forensic Science International: Genetics”.

O programa – desenvolvido por cientistas da Escola de Ciências da Indiana University Purdue – University Indianapolis (Iupui) e da University Medical Centre Rotterdam, na Holanda – é importante porque fornece uma descrição física da pessoa de uma maneira que anteriormente não era possível: gerando as três características de pigmento juntas. 

Até então, informaram os cientistas, determinar a cor da pele costumava ser o maior desafio. “Já fornecemos ferramentas de DNA para a cor dos olhos e para a cor dos olhos e cabelos combinados, mas a cor da pele tem sido mais difícil”, disse a geneticista Susan Walsh, da Iupui, ao site Science Daily.

Funcionamento. A cientista explicou o processo. “Podemos prever a cor real da pele em cinco subtipos: muito pálido, pálido, intermediário, escuro e escuro a preto – usando marcadores de DNA dos genes que determinam a coloração da pele de um indivíduo”, afirmou.

No entanto, segundo Susan, isso não seria o mesmo que identificar ancestralidade genética, por exemplo. “Você pode dizer que é mais semelhante a especificar uma cor de tinta em uma loja usando hardware do que determinar raça ou etnia. Se alguém perguntar a uma testemunha ocular o que ela viu, a maioria menciona a cor do cabelo e da cor da pele. O que estamos fazendo é usar a genética para dar um olhar objetivo a isso”, pontuou.

De acordo com Manfred Kayser, co-líder da pesquisa, o resultado pode promover avanços em qualquer tipo de investigação. “Pela primeira vez, geneticistas forenses e antropólogos genéticos poderão ser capazes de gerar simultaneamente essas informações, incluindo DNA de baixa qualidade e quantidade frequentemente encontrado em cenas de crimes e estudos antropológicos”, disse ao site Science Daily. 

O software está disponível de graça, mas não é exatamente o aplicativo mais amigável na internet. Para usá-lo, é necessário saber informações específicas sobre o tema que serão aplicadas no objeto de teste online.

Tecnologia

Pioneirismo. Em 2010, a mesma equipe de cientistas desenvolveu o sistema IrisPlex, que usava seis marcadores de DNA para determinar se alguém tinha olhos azuis ou marrons.

 

Imagem completa da face já é alvo de experimentos científicos

Testes que envolvem fenotipagem de DNA têm avançado rapidamente, podendo, inclusive, determinar a imagem de uma face completa. Em outro estudo, no ano passado, pesquisadores da Universidade de San Diego, na Califórnia (EUA) fizeram medições detalhadas dos atributos físicos de cerca de mil pessoas. O resultado foi publicado no site da Academia Americana Nacional de Ciências dos EUA.

Genomas inteiros (código genético completo) foram sequenciados e os dados combinados para fazer modelos que previam a estrutura facial em 3D, além da voz, da idade biológica, da altura, do peso, do índice de massa corporal, da cor dos olhos e da cor da pele. O experimento pareceu prever rostos comuns baseados em sexo e ancestralidade, em vez de rostos específicos de indivíduos.

O que achou deste artigo?
Fechar

Genética

App analisa DNA e revela cor de pele, olho e cabelo
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter