Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Ciência

Mineiro cria aplicativo para distúrbios da fala

Software possibilita comunicação do usuário com família e amigos

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Capturar.JPG
Auxílio. José Afonso Braga, 47, vê na tecnologia a possibilidade de oferecer autonomia às pessoas com problemas na fala

Veja Também

PUBLICADO EM 07/12/18 - 03h00

A incapacidade de se comunicar e se movimentar transformou a vida do programador mineiro José Afonso Braga, 47, em um verdadeiro drama. Em 2013, ele foi diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). A doença ataca o sistema nervoso central e provoca paralisia motora progressiva e irreversível. Ainda no primeiro ano após o diagnóstico, Braga perdeu todos os movimentos do corpo e também a voz.

Mesmo com todas as dificuldades, a esclerose não lhe tirou as esperanças. Com ajuda da tecnologia e de sua experiência como programador, ele se viu numa corrida contra o tempo para desenvolver uma forma de conversar com a esposa e os três filhos. Nasceu, então, o aplicativo WeCanSpeak.

“Por um ano, testei vários aplicativos, e não fiquei satisfeito com nenhum deles. Foi aí que tomei a decisão de desenvolver o meu próprio aplicativo”, afirma Braga, que respondeu às perguntas utilizando o software.

Disponível para download gratuito, o WeCanSpeak funciona em computadores e tablets e já contabiliza mais de 500 downloads desde o mês passado, quando foi lançado. Uma versão paga é oferecida a “usuários mais exigentes”, como o próprio criador define.

Versatilidade

Entre as premissas fixadas para o desenvolvimento do aplicativo estavam: ser universal; ser configurável (o usuário pode criar seu próprio dicionário com palavras e frases completas adequadas ao seu cotidiano); ser simples, prático e intuitivo (o usuário não precisa passar por vários comandos para falar uma simples frase); e ser acessível (pessoas com qualquer tipo de poder aquisitivo podem ter acesso à ferramenta).

Braga pontua os benefícios do software. “Além da necessidade diária de comunicação com as pessoas que são responsáveis pelos meus cuidados, a comunicação é a base da socialização, e perder essa capacidade é muito dolorido, afeta psicologicamente a pessoa”, diz. Segundo ele, o WeCanSpeak permite ao usuário voltar a interagir com as pessoas, aumentando sua autoestima.

Quanto aos próximos passos para aprimoramento, Braga se mostra otimista. “Já existem estudos iniciais para portabilidade para outras plataformas (como os smartphones)”, afirma. Ele frisa que está em contato com duas associações, a fim de conseguir investimentos para viabilizar a propagação do WeCanSpeak.

 

Origem da doença ainda é desconhecida

A Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) se tornou mais conhecida depois de ser diagnosticada no cientista Stephen Hawking, que morreu em março deste ano, aos 76 anos. De acordo com o Instituto Nacional de Transtornos Neurológicos e do Acidente Vascular Cerebral, nos EUA, a enfermidade, neurodegenerativa, ainda não tem cura. Sua origem permanece desconhecida, e ela costuma surgir por volta dos 50 anos.

A ELA é resultado de uma degeneração progressiva de neurônios, principalmente dos que controlam as atividades motoras do corpo. É por isso que um dos seus primeiros sintomas é a perda de força e o endurecimento dos membros.

Além de não ser possível prevenir a doença, ainda não há remédios ou outras técnicas capazes de combatê-la diretamente. Atualmente, o tratamento consiste em amenizar os sintomas, prevenir complicações e dar suporte de vida para os casos mais avançados.

Flash

Amplitude. Muitos outros podem se beneficiar. De acordo com o programador José Afonso Braga, o WeCanSpeak não é exclusivo para portadores de ELA. Qualquer pessoa com limitações de fala e de movimento corporal pode utilizar o aplicativo.

O que achou deste artigo?
Fechar

Ciência

Mineiro cria aplicativo para distúrbios da fala
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter