Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Tecnologia

Novo celular do Google, Pixel 3 vai barrar ligação de telemarketing

Inteligência artificial pede a quem ligar que identifique motivo da chamada

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Novo celular da Google não tem data para estreia no Brasil
Novo celular da Google não tem data para estreia no Brasil
PUBLICADO EM 09/10/18 - 14h31

Já pensou como seria ter um celular que conseguisse filtrar aquelas insuportáveis ligações de telemarketing? Essa é uma das metas que o Google traçou nesta terça-feira, 9, ao anunciar o lançamento do Pixel 3, seu novo smartphone. Com ajuda deinteligência artificial, o aparelho poderá, por exemplo, pedir a quem liga que especifique o motivo de sua chamada, mostrando a transcrição do texto na tela do aparelho antes mesmo do usuário precisar atender à chamada. Previsto para chegar ao mercado americano em 18 de outubro, o celular vai custar a partir de US$ 799 e traz a promessa de ter integração profunda entre “hardware, software e inteligência artificial”. 

A tecnologia que consegue filtrar as chamadas é apenas um dos exemplos dessa integração entre as diferentes áreas – algo pelo qual a principal rival do Google, a Apple, é elogiada, e que a gigante de buscas tenta seguir ao aprofundar sua incursão pelo hardware. No evento desta terça-feira, 9, realizado em sua sede em Nova York, o Google também anunciou uma caixa de som com tela inteligente, o Home Hub, e um misto de tablet com laptop, o Pixel Slate. 

Outro exemplo do uso de inteligência artificial para “facilitar a vida do usuário”, como ressaltou o vice-presidente de hardware da empresa, Rick Osterloh, é a chegada do Google Duplex, tecnologia que causou assombro ao ser exibida pela primeira vez, em maio. O sistema permite que o assistente pessoal da empresa, o Google Assistant, converse com pessoas pelo telefone para marcar compromissos ou fazer reservas em restaurantes. Segundo a empresa, o serviço estará disponível no Pixel 3 a partir de novembro, com lançamento organizado em diversas fases, cidade a cidade, nos EUA. 

Câmera. Um dos principais diferenciais do Pixel desde sua primeira versão, lançada em 2016, a câmera também será bastante auxiliada pelos recursos de inteligência artificial da empresa. Um bom exemplo é o Top Shot, função que captura diversos frames de uma foto ao mesmo tempo e seleciona o melhor para o usuário – ajudando a evitar caretas, olhos fechados ou a perda daquele “instante decisivo” em uma determinada fotografia. 

Outro é o Super Res Zoom, que capta diversas imagens ao mesmo tempo e as combina em uma só, para que o usuário consiga ter boa qualidade mesmo quando o objeto está à distância – algo útil para quem gosta, por exemplo, de tirar fotos de shows e grandes eventos. Há ainda recursos capazes de tirar uma fotografia sem precisar apertar nenhum botão, apenas com o reconhecimento de uma careta ou sorriso, ou que conseguem melhorar a luz de uma foto noturna ao combinar diversas imagens em uma só. 

A câmera também será mais utilizada para o Google Lens, recurso que permite que os usuários de smartphones com sistema operacional Android usem a câmera do próprio aparelho para fotografar lugares ou objetos que querem pesquisar na web, como placas e folhetos. Agora, ele poderá sugerir ações antes da foto ser tirada – trazendo, por exemplo, um botão para ligação ao encontrar pela frente um número de telefone. 

A empresa também anunciou parcerias institucionais para mostrar com sua câmera é poderosa – entre elas, colaborações com a fotógrafa Annie Leibovitz e a editora Condé Nast, que utilizou o Pixel 3 para fotografar capas das edições de sete revistas, entre elas GQ, Glamour e Vanity Fair. 

Bem-estar. O aparelho também trará as novidades de bem-estar digital anunciadas pelo Google em maio, durante a conferência de desenvolvedores Google I/O. Entre elas, estão funcionalidades para entender quanto tempo o usuário gasta em cada aplicativo, permitindo que ele reduza ou limite seu tempo em determinados serviços. Além disso, quando o usuário estiver com a tela virada para baixo, também não receberá notificações, a não ser em casos urgentes. 

O Pixel 3 chegará ao mercado em duas versões. A mais simples traz tela de 5,5 polegadas e custará US$ 799, enquanto a maior, chamada de Pixel 3 XL tem 6,3 polegadas e sai por US$ 899 – ambas são quase sem bordas, seguindo uma tendência recente do mercado. Os dois aparelhos vêm embarcados com chip Snapdragon 845 (o mesmo do Galaxy S9), memória RAM de 4GB e duas opções de armazenamento interno: 64 GB e 128 GB – estas, US$ 100 mais caras. 

O Pixel também terá opção de carregamento sem fio – outro dispositivo anunciado pelo Google é o carregador Pixel Stand, que será vendido nos EUA por US$ 79. Ainda não há previsão de lançamento do Pixel 3 no Brasil. Em 18 de outubro, ele chega aos EUA, Reino Unido e Austrália – duas semanas depois, é a vez de outros treze países, distribuídos entre Europa e Ásia. 

O que achou deste artigo?
Fechar

Tecnologia

Novo celular do Google, Pixel 3 vai barrar ligação de telemarketing
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter