Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Fake news

WhatsApp alerta abusos em eleições na Índia

Empresa diz que políticos estão usando app para disparos em massa

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Capturar.JPG
Modi foi pioneiro em mídias sociais nas eleições
PUBLICADO EM 12/02/19 - 03h00

São Paulo. Partidos políticos da Índia estão violando as regras de uso do WhatsApp na campanha para a eleição do país, que se realiza entre abril e maio, e devem parar com esses abusos, disse um executivo do aplicativo de mensagens à agência Reuters.

Segundo o WhatsApp, que não quis especificar as violações nem identificar os partidos envolvidos, há uma preocupação crescente de que integrantes das campanhas estejam violando as regras da plataforma ao usar sistemas automatizados para fazer disparos em massa de mensagens no WhatsApp ou para espalhar fake news.

O WhatsApp é uma das armas da campanha do BJP, partido do atual primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, e do Congresso, o principal partido de oposição, que se acusam mutuamente de espalhar notícias falsas para influenciar eleitores.

“Vimos muitos partidos tentando usar o WhatsApp para fins que não são os previstos pela empresa, e nossa mensagem firme para eles é: se usarem nosso serviço desse jeito, serão banidos da plataforma”, disse Carl Woog, diretor de comunicações do WhatsApp.

Na Índia, há 500 milhões de usuários de internet, 300 milhões no Facebook, cerca de 200 milhões no WhatsApp – são 127 milhões no Brasil. Narendra Modi foi o pioneiro no uso de mídias sociais nas eleições, no pleito de 2014, quando obteve vitória acachapante contra o partido do Congresso. A eleição será a maior disputa online por eleitores jamais realizada.

O que achou deste artigo?
Fechar

Fake news

WhatsApp alerta abusos em eleições na Índia
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter