Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Sertão mineiro

Minas Gerais ganha Museu das Culturas em margem do Rio São Francisco

Tradicional casarão de 105 anos foi projetado por arquiteto italiano e chama atenção por sua grandeza

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Museu das Culturas do Rio São Francisco
Acervo será composto por vestimentas, peças artísticas, instrumentos musicais, ferramentas rudimentares que fazem parte da história do povo barranqueiro, bem como arquivos físicos e digitais
PUBLICADO EM 11/01/19 - 18h17

Uma das mais tradicionais e imponentes construções do sertão mineiro, com mais de um século de história, tornou-se oficialmente Museu das Culturas do Rio São Francisco. Na casa, tombada como Patrimônio Histórico Estadual de Minas Gerais, também funciona o Centro Educacional de Buritizeiro, da Fundação Caio Martins (Fucam), instituição que completou 70 anos de existência em 2018.

Situado na margem esquerda do “Velho Chico”, em Buritizeiro (território Norte), o prédio, que chama a atenção pela grandeza, está distante 365 km da capital Belo Horizonte.

A estrutura de 105 anos foi projetada pelo arquiteto italiano Miguel Micussi e erguida pela Marinha do Brasil para abrigar a Escola de Aprendizes Marinheiros de Minas Gerais, curso oferecido durante dez anos.

Em seguida foi Escola de Agricultura, Hospital Regional Carlos Chagas, referência no combate às epidemias presentes no sertão daquela época e, posteriormente, unidade da Fucam, que ainda trabalha com cursos complementares para jovens em seis municípios mineiros.

Segundo o presidente da Fucam, Gildázio Alves dos Santos, existe um movimento da comunidade, formado por servidores da Fucam, ex-servidores e ex-alunos do entorno, que se mobilizou pelo museu. “Isso nos inspirou a criar um espaço de fruição conhecimento, troca de saberes, resgate de valores e de costumes. Um lugar para sistematizar o que é produzido ali na barranca do São Francisco”, explica.

Gildázio Santos ressalta que existe uma riqueza cultural da região que precisa ser sistematizada no espaço definido, valorizando o que se faz ali, referindo-se às artes, produção de alimentos, culinária, literatura e outras formas de expressão do povo barranqueiro.

A coordenadora do Comitê de Implantação do Museu detalha que atualmente o espaço está recebendo exposições da arte que é produzida na região. Ao mesmo tempo, os servidores da Fucam estão recebendo capacitação do Sistema Mineiro de Museus, ligado à Secretaria de Estado de Cultura, para que a implantação ocorra dentro das normas estabelecidas para esse tipo de equipamento cultural.

O acervo do Museu das Culturas visa contemplar Buritizeiro, Pirapora e todos os municípios da extensão do Rio São Francisco, inclusive de outros estados. “Nossa equipe vai receber o acervo que pode ser composto por vestimentas, peças artísticas, instrumentos musicais, ferramentas rudimentares que fazem parte da história do povo barranqueiro, bem como arquivos físicos e digitais”, conclui.

 

O que achou deste artigo?
Fechar

Sertão mineiro

Minas Gerais ganha Museu das Culturas em margem do Rio São Francisco
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter