Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Alimentação

Vegansexuais: sexo só com quem não come carne

Quem opta por uma vida livre da crueldade animal acha difícil testemunhar o parceiro fazendo, todo dia, algo que considera antiético

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
0
Casados, Jorge e Aline fizeram juntos a transição para o vegetarianismo e, depois, para o veganismo; hoje o casal se tornou, naturalmente, vegansexual
PUBLICADO EM 04/03/18 - 03h00

“Você é o que você come” – já dizia o ditado popular. Então, com base nessa premissa, os carnistas, pessoas que se alimentam de produtos de origem animal, se tornam uma espécie de cemitério de animais mortos. Essa é parte da visão por trás da escolha dos vegansexuais – veganos que só se relacionam sexualmente com veganos.

O conceito foi criado após um estudo realizado pela Universidade de Canterbury, na Nova Zelândia, ter observado o crescimento de uma comunidade de pessoas que alegam não fazer sexo com carnívoros por medo de serem contaminadas com partículas e proteínas animais. O estudo, encabeçado pela pesquisadora Annie Potts, baseou-se nas respostas de 157 veganos e vegetarianos (120 deles mulheres) sobre os seus hábitos de vida e opções de consumo.

Segundo o estudo neozelandês, quem se abstém do bife e do hambúrguer desenvolve uma tomada de consciência sobre seu próprio corpo e o do outro que o leva a considerar moralmente repugnante e eticamente inaceitável ter relações íntimas com carnívoros ou sequer beijar alguém por cujos lábios tenham passado pedaços de alimentos de origem animal e cujo corpo seja sustentado por restos de cadáveres.

Ainda segundo o estudo, as mulheres manifestam particular repulsa pelo envolvimento íntimo com carnistas. Algumas, apesar de não se identificarem como vegansexuais (por considerar alguns homens não veganos atraentes), têm o vegetarianismo como critério preferencial na escolha de seus parceiros. “Os corpos não vegetarianos cheiram diferente”, disse uma das entrevistadas no estudo.

A engenheira e professora Tatiana Corsini, 35, é vegana há seis anos e está à procura de um par. “Eu tentei durante quatro anos ser vegansexual, mas moro em João Monlevade, no interior de Minas Gerais, e aqui quase não tem vegano. Até hoje não consegui me relacionar com um vegano ou vegetariano”, conta.

Motivações. Quem opta por uma vida livre de crueldade animal acha difícil testemunhar todos os dias seus entes queridos fazendo algo que considera antiético. Isso pode levar à tensão principalmente em relacionamentos íntimos. Para outros, a energia dos alimentos também conta, por isso, veganos e comedores de churrasco não se atraem.

Casados, o gerente de operações Jorge Moisés Assis, 30, e a psicóloga Aline Bernardes de Oliveira, 27, fizeram a transição para o vegetarianismo e posteriormente para o veganismo juntos e, naturalmente, se tornaram um casal vegansexual. “Se tornou mais fácil e prazeroso porque, querendo ou não, é uma pessoa que vai passar muito tempo junto, compartilhar refeições. Se você é vegano, não é legal ver uma pessoa do seu lado comer um pedaço de carne ou qualquer coisa que tenha sofrimento incluído”, diz Assis.

No entanto, o gerente rejeita os rótulos. “Não acho que uma pessoa vegana e que se relaciona com quem não é vegano seja menos vegana por causa disso. Conheço muitas pessoas que têm parceiros não veganos e vivem bem assim”, afirma.

O presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), Ricardo Laurino, reforça que “o veganismo é mais do que um modelo alimentar” e analisa o interesse do grupo como “natural”. “Existe uma tendência em todos os aspectos de as pessoas se relacionarem com outras pessoas com quem elas têm alguma ligação. Não é preconceito em si, mas uma situação natural de se identificar com pessoas com pensamentos e escolhas parecidas, assim como as pessoas do movimento punk, os fitness. Não é nada extraordinário. Só uma relação natural que tem pela afinidade de pensamentos e visão”, pondera.

Veja AQUI o glossário alimentício.


Números

País. O instituto Ibope conduziu uma pesquisa, por dois anos consecutivos, que indicou que no Brasil 8% da população se declara vegetariana (2012). Isso corresponde a 16 milhões de vegetarianos. Toda semana, são cerca de 2.000 novos adeptos no país, de acordo com a SVB.

Veganos. Estima-se que no Brasil quase 5 milhões de pessoas já pratiquem o veganismo.

Alimentação. Dados do Instituto Ipsos mostram que 28% dos brasileiros têm procurado comer menos carne.

O que achou deste artigo?
Fechar

Alimentação

Vegansexuais: sexo só com quem não come carne
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (22)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter