Investimento

BDMG: parcerias podem trazer R$ 1 bilhão para Minas até 2020

Em entrevista a O Tempo, o presidente do banco afirma que ao menos nove acordos estão em negociação com entidades europeias e latino-americanas; O primeiro termo foi assinado nesta segunda-feira (21) e trará R$ 462 milhões para o Estado

Seg, 21/10/19 - 14h26
Em entrevista a O Tempo, o presidente do BDMG, Sergio Gusmão Suchodolski, afirma que há nove acordos em negociação

Parcerias firmadas pelo Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais (BDMG) devem trazer aportes de R$ 1 bilhão para Minas até o primeiro semestre de 2020.

Segundo o órgão, são nove parcerias que estão em negociação, sendo que ao menos quatro devem ser finalizadas até o final deste ano.

O acordo mais recente, assinado nesta segunda-feira (21) entre o BDMG e o Banco Europeu de Investimento (Bei), trará R$ 462 milhões para o desenvolvimento de projetos de energia sustentável no Estado.

Em entrevista a O Tempo, o presidente do banco, Sergio Gusmão Suchodolski, afirma que os investimentos vão acontecer a partir de linhas de crédito a longo prazo, que podem chegar a 13 anos de duração. 

O acordo firmado com o Bei, explica Suchodolski, é a primeira captação assinada e configura a maior parceria do tipo assinada pelo BDMG.

“O objetivo é ajudar no desenvolvimento de várias regiões de Minas, com avanços na área de energia renovável, que é fundamental para diversificar a matriz energética do Estado e a economia mineira”, afirma. 

Segundo ele, as conversas com o banco europeu acontecem há anos, mas a perspectiva de um acordo se acelerou entre abril e maio deste ano.

Em junho, houve a aprovação da primeira fase da negociação de termos da parceria e, no início de outubro, o diálogo se encaminhou para a assinatura.

“O Bei é uma entidade muito criteriosa e o acordo firmado dá um ‘selo de credibilidade’ ao BDMG e a Minas Gerais, que passa a ser um grande player no mercado de energia renovável”, acredita. 

Suchodolski afirma que outros cinco projetos focados no desenvolvimento de energia renovável estão em “fase avançada de negociação” com o Bei, que devem ser assinados até o final deste ano. 

Segundo ele, a expectativa é de que pelo menos outras “dezenas de milhões de reais” devem ser aportadas no Estado no primeiro semestre de 2020.

Os recursos serão, principalmente, aplicados na área de energia solar. Dois desses termos de investimento, explica, já estão em análise no banco europeu, enquanto três ainda estão em negociação.

Outros três acordos estão em fase de tratativas com entidades financeiras na América Latina, afirma Suchodolski. Entre os órgãos envolvidos, está o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).

As parcerias, que devem ser assinadas entre o final deste ano e os primeiros meses de 2020, devem trazer, somadas, mais R$ 400 milhões para Minas. 

“As linhas de crédito em negociação são focadas para o desenvolvimento de micro e pequenas empresas e para aportes nos municípios do Estado. São acordos que variam, cada um , entre R$ 50 milhões e R$ 100 milhões", revela.

Ainda, Suchodolski declara que os termos serão assinados "com certeza" até o primeiro semestre do ano que vem. Contudo, ele acredita que é possível que algum acordo seja firmado até o fim de 2019.

Investimento

Além das parcerias, o BDMG informa que há avanço de 142% de investimento em energia solar em Minas Gerais nos primeiros nove meses do ano em comparação ao mesmo período do ano passado.

O banco desembolsou, entre janeiro e setembro de 2019, R$ 31 milhões para projetos do tipo em Minas. 

 

Podcasts Relacionados

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Leia mais
LEIA MAIS
Recorde
Parceria
Projeção
Aéreo
Mudanças
Emprego
Novas regras
Profissionais
Regulamentação
Orçamento