Combustível

Petrobras reduz diesel em 4,6% e acaba com frequência mínima de reajustes

Com redução de R$ 0,10 por litro, o óleo diesel passará nesta quinta (13) a ser vendido pelas refinarias, em média, a R$ 2,0664 por litro

Qua, 12/06/19 - 21h42
A Petrobras informou que não respeitará mais o prazo mínimo de 15 dias para mexer no preço do diesel

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (12) corte de 4,6% no preço do diesel e o fim do intervalo mínimo de reajustes, que já havia sido modificado em março.

Com redução de R$ 0,10 por litro, o óleo diesel passará nesta quinta (13) a ser vendido pelas refinarias da Petrobras, em média, a R$ 2,0664 por litro. Segundo a empresa, a medida acompanha a evolução das cotações internacionais.

O último reajuste no preço do diesel havia sido anunciado pela empresa no dia 31 de maio, quando o valor de venda pelas suas refinarias caiu em média 6%.

De acordo com dados da agência estatal americana EIA, de informações em energia, o preço do óleo diesel no Golfo do México caiu 1,7% entre o fim de maio e o início desta semana.

Em comunicado ao mercado, a Petrobras informou que não respeitará mais o prazo mínimo de 15 dias para mexer no preço do diesel, regra estabelecida em meio a crescentes ameaças de greve de caminhoneiros em março.

A insatisfação da categoria com a escalada dos preços na época levou o presidente Jair Bolsonaro (PSL) a telefonar ao presidente da estatal, Roberto Castello Branco, para alertar sobre riscos de paralisação após anúncio de reajuste de 5,7% em abril. O recuo no aumento fez a companhia perder R$ 32 bilhões em valor de mercado no dia seguinte.

Na nota ao mercado, a Petrobras diz que a mudança na política de preços lhe permite competir "de maneira mais eficiente e flexível". A política anterior engessava a área comercial da estatal e abriu janelas de oportunidades para importações privadas diante da queda das cotações internacionais.

A mudança pegou de surpresa as importadoras, que esperavam redução do preço do combustível apenas após o fim do prazo de 15 dias estabelecido em março -que se encerraria no dia 16.

A Petrobras disse que sua política de preços continua baseada no conceito de paridade de importação, que consiste no acompanhamento das cotações internacionais, incluindo o custo para trazer os produtos ao país.

Na segunda (10), a estatal havia anunciado corte de 3% no preço da gasolina, o terceiro desde o dia 24 de maio.

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Maria Silva 10:11 PM Jun 12, 2019
Finalmente desconfiou que as pessoas não têm mais de onde tirar. O caminho não é deixar todo mundo na miséria. Tem que ter sacrifício de TODOS e não só dos mesmos de sempre, enquanto a casta não abre mão de nenhuma mordomia!
0
Denunciar

Leia mais
LEIA MAIS
Fique atento
Fundo de Garantia
Se liga
Estímulo
Jogo legal
Profissionais do Ano
Anatel
Segundo trimestre
Não perturbe
Carteira digital