Morto por policiais

Filadélfia tem toque de recolher por confusões após morte de outro homem negro

Em maio, a morte de George Floyd, outro homem negro, asfixiado por um policial branco causou protestos

Qua, 28/10/20 - 20h22
Um homem negro foi morto pela polícia do Estado da Filadélfia, nos EUA, atingido por dez tiros disparados, na última segunda-feira (25)
audima

 

A cidade americana da Filadélfia, sacudida por saques e protestos violentos após a morte de um homem negro nas mãos da polícia, anunciou nesta quarta-feira (28) um toque de recolher.

O toque de recolher vai vigorar entre as 21h locais (22h em Brasília) desta quarta-feira e as 06h (07h em Brasília) de quinta, anunciou o governo municipal, depois de o presidente republicano, Donald Trump, culpar o prefeito democrata, Jim Kenney, pela violência.

Milhares de pessoas têm ido às ruas da Filadélfia protestar desde a segunda-feira, quando a polícia matou a tiros Walter Wallace, um homem de 27 anos que estava armado com uma faca.

Em um bairro do norte da Filadélfia, lojas e caixas automáticos foram destruídos. Mais de 170 pessoas foram detidas desde a noite de segunda, segundo a polícia da cidade, que reportou 53 agentes feridos e 17 veículos policiais danificados.

A família de Wallace disse que ele era bipolar e chamou uma ambulância pelo serviço 911 (telefone para emergências nos Estados Unidos), mas quem atendeu foi a polícia. Os familiares se perguntam porque os agentes não usaram uma pistola Taser no lugar de armas de fogo.

A morte de Wallace e os protestos na Pensilvânia, um estado pendular chave na eleição presidencial de 3 de novembro, reacenderam as tensões entre republicanos e democratas.

"O que vejo é terrível e, francamente, o prefeito ou quem quer que seja que autoriza as pessoas se manifestar e saquear sem detê-las é igualmente terrível", disse Trump em Las Vegas, durante ato de campanha.

Em 2016, Trump venceu por apenas 40.000 votos a eleição na Pensilvânia, estado tradicionalmente democrata.

"Não comento coisas sobre Donald Trump, temos muito o que fazer nesta cidade, não traz nada positivo", respondeu o prefeito durante coletiva de imprensa, após qualificar a violência de "inaceitável". Segundo ele, o toque de recolher será estendido, se for necessário.

Em maio, a morte de George Floyd, um homem negro, asfixiado por um policial branco que se ajoelhou durante vários minutos sobre o seu pescoço, em Minnesota, deu origem a uma série de protestos em todo o país contra o racismo e a violência policial.

Trump, enquanto isso, promete a seus seguidores que defenderá "a lei e a ordem" se for reeleito.

Nesta terça, seu adversário, o democrata Joe Biden, e a candidata dele a vice, Kamala Harris, disseram em um comunicado que estavam com "o coração destroçado" pela morte de Wallace. Mas também pediram aos manifestantes para protestar pacificamente.

O caso

Dois policiais mataram Wallace com vários tiros na segunda-feira por volta das 16h locais (17h de Brasília), depois que ele se negou a soltar a faca.

Um vídeo gravado com um celular e publicado nas redes sociais mostra Wallace empurrando sua mãe, que tenta controlá-lo, e depois caminhando na direção dos policiais.

"Largue a faca!", grita um dos agentes filmados no vídeo, antes de abrir fogo.

Tropas da Guarda Nacional serão enviadas à cidade, disse o governador Tom Wolf.

O chefe da polícia da Pensilvânia abriu uma investigação sobre o caso.

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Gustavo de Almeida Carvalho 8:48 AM Oct 29, 2020
Por que não usaram taser? Taser funciona efetivamente em cerca de 50% dos casos (o taser é disparado, mas a pessoa não sente nada). Considerando que uma pessoa com uma faca a 10 metros de distância pode ser mais letal do que um homem armado na mesma distância, o difícil é entender este tipo de questionamento.
0
Denunciar

LEIA MAIS
Imunizante
Comemoração restrita
Raridade
Homenagem
Despedida
Despedida tumultuada
Mais familiar
Animais mortos
Reivindicação
Práticas discriminatórias