Rússia

Opositor de Putin acredita que foi envenenado na prisão

Condenado a 30 dias por convocar protesto, adversário de Putin passou mal na prisão

Ter, 30/07/19 - 06h00
Opositor divulgou em seu blog foto em que aparece com o rosto inchado

O principal opositor ao Kremlin, Alexei Navalni, não descartou ontem a possibilidade de ter sido “envenenado” na prisão, onde cumpre pena por ter convocado uma manifestação a favor de eleições livres. A saúde do principal opositor do presidente Vladimir Putin deteriorou-se um dia depois de umas 1.400 pessoas terem sido detidas em uma manifestação não autorizada em Moscou, o maior número de detenções registrado em uma concentração pró-democracia nos últimos anos.

“Nunca tive alergia”, disse o opositor em uma mensagem difundida em seu blog, no qual explica seus sintomas. “Durante um passeio, meus companheiros de cela viram que estava com o pescoço vermelho. Em uma hora, senti minha testa e a pele em volta dos olhos ardendo”, acrescentou. “À noite, acordei porque meu rosto, minhas orelhas, meu pescoço ardiam e pinicavam”, acrescentou. “Me veio uma ideia: talvez tenham me envenenado?”, acrescentou Navalni, que acompanha sua mensagem com uma foto em que aparece com o rosto inchado.

Ele afirma que os médicos se comportavam “como se tivessem algo a esconder”. Navalni duvida da versão da alergia e não descarta ter sido envenenado pelos guardas penitenciários, segundo ele os mais “impressionados” com sua aparência. Mas não descarta tampouco que alguém tenha entrado em sua cela quando estava vazia e pede para examinar as imagens de videovigilância.

“Foi envenenado com alguma substância química desconhecida”, disse a advogada Olga Mijailova à imprensa na porta do hospital número 64 de Moscou, onde o opositor deu entrada. Sua médica, Anastasia Vasilieva, afirmou que “a causa da ‘doença’ de Alexei Navalni pode ser algum agente tóxico”. A médica do político foi autorizada a visitá-lo.

Navalni foi mandado de volta para a prisão, apesar de precisar seguir o tratamento e do risco que sua saúde corre na cadeia, afirmou Vasilieva. Um encarregado do hospital informou à imprensa que a saúde e a vida de Navalni não corriam risco. Vasilieva acusou os médicos do hospital de não quererem investigar o que causou a doença no opositor.

Indignação

Subestimado. Alexei Navalni, 43, foi detido na quarta-feira e condenado a 30 dias de prisão por ter convocado a manifestação no sábado, após as autoridades excluírem candidaturas independentes para as eleições locais de 8 de setembro.

Análise. The Bell, um respeitado veículo russo online, disse que o Kremlin subestimou o descontentamento dos moscovitas e sua disposição para se manifestar.

Mais um adversário é condenado, e nova manifestação é convocada

Antes da manifestação de sábado, vários opositores foram presos e suas casas e escritórios revistados. Nesta segunda, um deles, Ilia Yashin, foi condenado a dez dias de prisão. “Não tenho medo do seu sistema podre, suas prisões ou seus centros de detenção”, disse Yashin no tribunal, segundo uma publicação em suas redes sociais.

A oposição voltou a convocar uma manifestação para o sábado. Apesar da repressão policial, milhares de manifestantes, muitos jovens com entre 20 e 30 anos, tomaram as ruas do centro de Moscou e entraram em confronto com as forças de segurança. Ontem, o governo alemão instou a Rússia a libertar os mais de mil manifestantes detidos e denunciou o uso “desproporcional” da força pela polícia.

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Leia mais
LEIA MAIS
Rússia
Casa Branca
Acidente de trabalho
Vítima
Furacão
Discurso ideológico
Pacto
Capítulos do rio Doce
EUA
Rio de Janeiro