Saúde

Campanhas de vacinação contra sarampo, pólio e multivacinação são prorrogadas

Até o dia 4 de dezembro, o público-alvo para se imunizar contra essas doenças deve comparecer a uma das UBSs da cidade

Qui, 26/11/20 - 21h45
Adesão do público-alvo está baixa em toda Minas Gerais
audima

Por recomendação da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), as campanhas Nacional de Vacinação contra o Sarampo e a Poliomielite e a  de Multivacinação serão prorrogadas em Betim até o dia 4 de dezembro.

Nesse período, o público-alvo para se imunizar contra essas doenças deve comparecer a uma das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da cidade, portanto um documento de identificação com foto e o cartão de vacinação.

Para garantir a proteção contra o sarampo, devem ser vacinadas as pessoas de 20 a 49 anos de idade, independentemente de já terem recebido doses anteriores. Para  imunizar contra a poliomielite, devem ser vacinadas crianças de 1 ano a menores de 5 anos. E, na multivacinação, são ofertadas todas as vacinas do calendário básico de vacinação da criança e do adolescente com menos de 15 anos de idade.

“A prorrogação das campanhas é necessária diante da baixa cobertura vacinal em todo o Estado. Em Betim, até o dia 24 de novembro, foram aplicadas só 15.396 doses da vacina contra o sarampo para as pessoas de 20 a 49 anos, o que corresponde a cerca de 8% do público-alvo. Para a vacina contra a poliomielite, foram aplicadas 12.030 doses, o que corresponde a 52,75% das crianças de um ano a menores de 5 anos de idade”, informou a referência técnica em imunização da Saúde, Úrsula Rodrigues.

“Ressaltamos aos pais e responsáveis sobre a importância de atualizar o cartão de vacinação para garantir a proteção contra diversas doenças”, finalizou a especialista. 

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
LEIA MAIS
Violência
Oportunidade
Combate à pandemia
Sepa
Flagrante
Pandemia
Levantamento
Saúde