Cristovam Buarque

As curvas da história
Publicado em: Sex, 15/02/19 - 03h00

A história da humanidade segue seu rumo, com avanços e retrocessos, em direção à eficiência e à justiça. O papel de políticos conservadores é dificultar essa marcha, como fizeram adiando a Abolição da Escravatura. O papel dos políticos progressistas é apressar a marcha rumo ao futuro. Mas a história faz curvas, independentemente da vontade dos políticos.

Nos últimos anos, o avanço técnico forçou uma curva com o surgimento do computador, da inteligência artificial, da robótica e das comunicações instantâneas. Outros movimentos fizeram o mundo ficar global na economia e a sociedade corporativizada na defesa de interesses individuais. Mas, apesar da clareza das mudanças, muitos ainda não percebem a curva feita pela história e continuam prisioneiros da ideia do avanço numa linha reta, o que já não existe.

Não entendem, por exemplo, que o Estado gigante defendido pela esquerda soviética e social-democrata ficou ineficiente na gestão e insensível às necessidades do povo. A curva da história fez o Estado gigante ser um dinossauro político. Apesar disso, muitos dos que se dizem progressistas continuam presos ao Estado burocrático, caro e divorciado do povo. Não entendem que a justiça social e o bem-estar só podem ser construídos sobre uma economia eficiente.

O desafio dos que buscam justiça social é desfazer a apartação que separa, de um lado, os incluídos e, de outro, os excluídos. O caminho para isso está na educação de qualidade igual para todos, com o filho do pobre estudando na mesma escola do filho do rico. Mas os que não perceberam a curva da história esquecem os analfabetos. Defendem a ilusão de universidade para todos, sem lutar pela educação básica de qualidade igual para todos e por uma reforma universitária para que os formandos estejam preparados para o dinâmico mundo do conhecimento em marcha.

A curva da história, que reduziu drasticamente a taxa de natalidade e aumentou a expectativa de vida, exige reforma no sistema previdenciário. Mas os progressistas, amarrados nostalgicamente às ideias do passado, no lugar de propostas que construam sustentabilidade para as próximas gerações, preferem ficar contra as reformas.

O socialismo soviético acabou porque o Partido Comunista não entendeu a curva da história, ficou prisioneiro de ideias que se divorciaram da realidade na segunda metade do século XX. O mesmo ocorre com a velha e tradicional esquerda brasileira, que não percebeu a revolução tecnológica e social do mundo global e informatizado, com o agravante da forte atração oportunista pelos votos dos eleitores seduzidos com falsas promessas.

Nesse ponto, esquerda e direita se unem, caindo na tentação populista, por oportunismo eleitoral ou por falta de conhecimento e de percepção da história e suas curvas. Foram muitos os erros que levaram os democratas progressistas brasileiros a sofrer derrota na última eleição, mas o maior foi não perceber a curva da história nas últimas décadas no mundo.

(3) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Fora Comunas 9:56 PM Feb 19, 2019
Esse cara continua com o mesmo nhem-nhem-nhem se sempre. Ele não engana ningguém. Comunista é tudo pai da mentira.
0
Denunciar

LulaTaPresoBabaca 9:33 PM Feb 17, 2019
Chamar o Fernandinho "Kit-Gay" LHADDRAD, o Marmita de Presidiário, de democrata progressista é dose, viu?
0
Denunciar

LulaTaPresoBabaca 8:20 PM Feb 17, 2019
Hipócrita, sepulcro caiado! o lULA TÁ PRESO, BABACA!
0
Denunciar

LEIA MAIS
Leia mais