João Vitor Cirilo

Mineiro: o céu e o inferno bem próximos
Publicado em: Qua, 20/03/19 - 03h00

A fórmula de disputa do Campeonato Mineiro 2019, já criticada anteriormente neste espaço, acabou deixando uma dose de emoção para esta última rodada do torneio, a ser disputada por completo hoje, às 21h30. Com um regulamento que propiciou a proximidade absurda entre as zonas de classificação e de rebaixamento, aliado ao baixo nível técnico de grande parte dos times, muitas equipes que há duas ou três rodadas viviam profunda crise hoje aparecem em situação de tranquilidade, ainda que ilusória.

Vejam só a situação da Caldense, por exemplo. Estive em Poços de Caldas para o confronto da sexta rodada, contra o Atlético. Na ocasião, verifiquei ânimos exaltados e um descontentamento claro por parte do torcedor da Veterana contra diretoria e comissão técnica. Pelo que pude conversar com alguns torcedores fanáticos do time do Sul de Minas, a eliminação na primeira fase ou o rebaixamento eram as únicas possibilidades observadas naquele momento, há pouco mais de um mês.

Zezito, que assumiu interinamente o comando após a demissão de Ito Roque, ainda depois da terceira rodada, foi substituído por Mauro Fernandes, igualmente experiente. E nos últimos quatro jogos a Caldense venceu três vezes. Saiu de uma situação de possibilidade de queda para a quinta colocação.

O Villa Nova é outro exemplo. Passou toda a competição lutando contra o rebaixamento. Nos últimos cinco confrontos pelo Estadual, venceu três vezes e já conseguiu se salvar daquele que seria um lamentável descenso para uma das instituições esportivas mais tradicionais de Minas Gerais.

Aliás, o Villa já até se garantiu na elite na próxima temporada, posicionando-se momentaneamente na zona de classificação e dependendo unicamente de suas forças.

O Boa Esporte, por outro lado, manteve-se na parte superior, sem sustos, durante todo o tempo. É o que se esperava de uma equipe que está na Terceira Divisão do futebol nacional. O Boa, ao lado de Atlético, Cruzeiro, América e Caldense, já está garantido nas quartas.

Três equipes lutam contra o descenso na última rodada: Tombense, Guarani e URT. Se analisarmos jogo a jogo, aparentemente, quem se complicou mais foi o Guarani, que vencia o Tombense em casa, acabou sofrendo o empate e agora vai ter que jogar pela vitória contra o América, em Belo Horizonte, para não depender dos adversários. Porém, o Bugre pode até terminar classificado! Já a URT pega um Tupi totalmente destruído e já rebaixado, enquanto o time de Tombos recebe um irregular Patrocinense e precisa de um empate ou um tropeço dos rivais.

A noite será de encerramento da primeira fase de um torneio em que o céu e o inferno estiveram bem próximos o tempo todo, situação permitida pela fórmula de disputa.

Estarei ao vivo comandando o Show de Esporte, da rádio Super 91,7 FM, a partir das 20h, ao lado de Frederico Jota, Leandro Cabido e Fernando Martins y Miguel, no pré-jogo, e com a equipe completa quando a bola rolar no Mineirão, no Mário Helênio e no Independência. Fique ligado pelo dial em 91,7 FM, pelo aplicativo da rádio Super e também no supernoticiafm.com.br.

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
LEIA MAIS
Fala, Cirilo!
Leia mais