Matheus Vieira

Empoderamento feminino nas organizações
Publicado em: Sáb, 11/05/19 - 03h00

O empoderamento feminino tem sido um dos temas mais debatidos na sociedade. Sua importância tem a ver com a quebra de paradigmas e a percepção da importância da igualdade de gênero nas organizações, em ambientes de estudo e pesquisa e nas relações sociais como um todo. Falar sobre o assunto, de forma consciente e reflexiva, é fundamental. 

No contexto corporativo, especificamente, o tema é uma das principais pautas, e alguns aspectos mostram como falar sobre ele pode gerar retornos positivos, em nível global. Afinal, empoderar mulheres é um ganho para a sociedade, para o mercado e para cada indivíduo envolvido no contexto. Não apenas em relação ao lado financeiro, mas na perspectiva do pertencimento e do reconhecimento da mulher, que, por muito tempo, foram vistos de forma limitadora.

Prova disso é o estudo “Getting to equal 2019”, divulgado pela Accenture. A organização identificou que, se as empresas colocassem em prática ações para promover a igualdade de gênero, todos os colaboradores, sendo homens ou mulheres, ganhariam mais e teriam mais chances de alcançar uma promoção. O estudo ainda apontou que uma cultura interna de igualdade é impulsionadora da inovação, sendo seis vezes maior nas culturas mais iguais do que nas menos, e também promovedora de crescimento. 

Esses são aspectos relevantes para a organização e para cada colaborador, além de ser um imperativo ético que tem, cada vez mais, respaldado as relações. A Accenture ainda calcula que, se a mentalidade de inovação fosse aumentada em 10% nos países, o PIB seria elevado em US$ 8 trilhões até 2028. Foram entrevistados mais de 22 mil profissionais de 34 países. No Brasil, 700 profissionais foram ouvidos.

Os dados desse estudo também motivam uma reflexão acerca da palavra “empoderamento”, sobre como ela tem a ver com uma construção colaborativa, e não individual, e da importância da participação do outro para gerar os resultados divulgados no levantamento. Isso porque a ideia do empoderamento feminino diz respeito à capacidade interna, social e técnica, que é própria de cada mulher, e sobre como os demais profissionais da empresa podem atuar, não porque eles devem permitir que essas competências se mostrem, mas como podem ser impulsionadores. Além dos resultados do estudo, essa cultura promove um ambiente corporativo saudável e verdadeiramente moldado pelo do trabalho em equipe.

Algumas ações podem ser adotadas pelas empresas, como o incentivo à imersão tecnológica e digital, a exemplo da campanha criada pelo Fundo Global para Mulheres. Chamada de Mulheres que Abastecem a Ciência e a Tecnologia, a proposta apresenta histórias de mulheres que estão inovando em ciência, tecnologia, engenharia e matemática. Outra possibilidade é divulgar a trajetória de profissionais mulheres de sucesso dentro da empresa, dando voz a elas por meio de convites para palestras, por exemplo.

São ações práticas que transformam boas ideias em resultados positivos e inovadores, além de impactar todos os envolvidos, reforçando como a igualdade é um dos fatores-chave para o sucesso da organização.

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
D Werneck 11:37 AM May 11, 2019
Não existe essa igualdade de gênero, deixe de ser pateta. A capacidade de trabalho e produção, não requer gênero, mas tão somente conehcimento pelno e capacidade produtiva, ela não tem cor, raça, religião ou opção sexual, tudo isso é secundário. Não faça inversão de valores. A mulher ganha menos por estar aí incluído, sua gestação e todo seu tempo perdido. Se a mulher quer produzir não pode criar família, até que esteja fora do ambiente de produção. São coisas incompatíveis.
0
Denunciar

Leia mais