Tostão

Divagações e discussões
Publicado em: Qua, 27/07/16 - 03h00

Na sessão diária “Há 50 anos”, da “Folha” de segunda-feira, a manchete era: “Sem atrair torcedores, seleção chega ao Brasil cheia de críticas”. O fim do texto falava: “Pelé, caçado na Copa, declarou: ‘Não irei em 1970’”. Foi, brilhou e conquistou o título. A reação parece a de Messi, após perder o título da Copa América. O fim da história será o mesmo? A expressão “caçado na Copa” não refletia a realidade. Pelé sofreu duras faltas seguidas na derrota para Portugal, mas não foi caçado nesse jogo nem contra a Bulgária. Essa foi uma boa desculpa para o fracasso do Brasil em 1966. Eu estava lá. Era reserva do Rei.

Pego uma carona em uma discussão no programa “Seleção SporTV”, para dizer também que Paulo Bento foi dispensado pelo Cruzeiro sem ninguém entender bem o que ele pensa sobre futebol. Tento deduzir. O técnico só falava nas entrevistas tumultuadas pós-jogo, e não vi nenhuma entrevista com ele mais aprofundada.

A falta de discussões mais detalhadas sobre futebol é mais um entre tantos motivos dos 7 a 1. Quase tudo é superficial, espetaculoso, festivo, um show de imagens. Pouco se debate, a não ser nas reuniões fechadas entre treinadores, onde, socialmente, todos se abraçam, trocam elogios, concordam entre si, tomam cafés com brioches e acham que está tudo bem.

Paulo Bento organizou o Cruzeiro de uma maneira moderna. A equipe marcava mais à frente, tinha boa posse de bola, criava muitas chances de gol, mas perdia o jogo. Errava demais as finalizações, por falta de confiança e de qualidade, além de sofrer muitos gols em contra-ataques, pois a defesa adiantada deixava muitos espaços, ainda mais que os zagueiros são fracos e lentos. Várias vezes, Paulo Bento escalou e substituiu mal. Com Mano Menezes, o time deve melhorar.

O Grêmio, dirigido por Roger, não é o melhor time do Brasil – é um dos candidatos ao título –, mas é o que mais gosto de ver, pela aproximação dos jogadores, pela troca de passes, por ser compacto e por atacar e defender com muitos atletas. O volante Maicon, desde a época do São Paulo, é pouco valorizado. Por outro lado, o time faz poucos gols e sofre muitos em bolas paradas. Contra o São Paulo, Negueba jogou muito bem.

Anos atrás, muito antes dos 7 a 1, quando Negueba começava a jogar pelo Flamengo e já tinha se destacado nas categorias de base da seleção brasileira, escrevi que o Brasil havia se transformado em um país de Neguebas, símbolo do novo jeito de jogar, com jogadores rápidos, dribladores e habilidosos, porém, com pouca lucidez, técnica e inventividade, qualidades essenciais para se formar um craque.

Entre o grande número de jogadores que se destacam pela habilidade, velocidade e dribles, há uma variação de qualidade. Neymar é o melhor deles, o único craque, pois, além dessas características, possui muita técnica, lucidez e criatividade. No Brasileirão, há inúmeros Neguebas, apenas bons jogadores.

Os treinadores, desde as categorias de base, deveriam mudar o olhar para formar também jogadores mais que apenas habilidosos, dribladores, velozes, que atuam pelos lados e que recompõem muito bem. Faltam os pensadores, os meio-campistas brilhantes, que atuam de uma área à outra e que não dependem tanto das ordens dos professores.

Esperança

Mano Menezes é o novo técnico do Cruzeiro. Além da experiência e da competência, ele conhece quase todo o elenco. A turma dos medianos argentinos chegou depois da saída de Mano, no fim do ano passado. O time tem boas chances de melhorar, mas não para disputar os primeiros lugares do Brasileirão, o que seria uma grande surpresa.

A vitória do Atlético, fora de casa, sobre o líder Palmeiras, chegou na hora certa, não só porque o time ficou apenas seis pontos atrás do líder e a três do quarto colocado. A escalação de três volantes funcionou muito bem para esse jogo. O time, que não tinha um bom reserva para a zaga e para as laterais, tem agora o regular e bom marcador Fábio Santos, o substituto de Douglas Santos. Com a volta de Luan, o time fica mais forte.

(4) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Osmar Dias Filho 5:20 PM Jul 29, 2016
Permita-me discordar...mas, acho que, o Cruzeiro com a chegada do Mano, não só irá jogar um grande futebol, como também irá disputar uma vaga no G4. Aí passo a concordar com seu raciocínio, será a Grande Surpresa do returno. Cruzeiro é o único time, dos 20 da série A, que, se encorpou, melhorando consideravelmente o elenco e ainda não jogou o que pode. Com 5 ou 6 vitórias no início do returno (adversários fracos), brigará na parte de cima.
1
Denunciar

rodrigo s 9:08 PM Jul 27, 2016
Desculpe mas dizer que o Grêmio faz poucos gols, ele é o 3 melhor ataque, atras apenas do Santos e do Palmeiras, como pode fazer poucos gols??? Teve um momento a pouco tempo atras que era o time que mais tinha feito gols no Brasil, um pouco de pesquisa já lhe informaria isso.
2
Denunciar

Décio Werneck 8:33 AM Jul 27, 2016
É ruim eleger o Negueba, que ainda está atuando, como exemplo da ruindade que assola o futebol nacional. Isso é preconceito odioso. Você é alatamente capaz de fazer esse comentário sem citar referências, e deixe o Neymar em paz. Por comentários rídiculos é que ele chegou na Europa, devendo explicações e dando o direito a todos de execra-lo, o que é uma pena. Chamá-lo de "filé de borboleta", "monstro", só por que ele é diferente dos outros, até dos antigos jogadores, e com idade menor já fazia.
12
Denunciar

Décio Werneck 8:27 AM Jul 27, 2016
Se o PB escalou o time de forma moderna, só resta entender que os jogadores são medianos pra ruins. Ele não teve culpa nesta situação, mas a diretoria tem. Ao compor o elenco que já era fraco, tornou-o mais fraco ao trazer estrangeiros sem qualificação, até mesmo para um clube como o Cruzeiro. O Alano era o jogador que mais foi usado e nem está mais no elenco. Que coisa! Jogador mais eficiente, o bigode, nem de longe se parececom aquele que a torcida elegeu como ídolo. Nem Mano vai dar conta.
3
Denunciar

LEIA MAIS
Leia mais