Siga-nos nas redes sociais:

Opiniões e artigos eventuais de representantes dos diversos campos da política, economia, academia e sociedade

Artigos

Bienal Mineira do Livro e benefícios da leitura para a sociedade

Publicado em: Sex, 13/05/22 - 03h00
Artigo Bienal Mineira do Livro e benefícios da leitura para a sociedade, de Marcus Ferreira | Foto: Infografia O TEMPO

A leitura contribui para o enriquecimento intelectual e cultural das crianças, despertando e desenvolvendo o senso crítico para novas experiências. A importância do hábito de ler é indiscutível e, quando se fala de educação, independentemente das constantes novidades tecnológicas. Os livros continuam sendo uma ferramenta essencial no processo de aprendizagem e formação estudantil.

A última edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, feita pelo Instituto Pró-Livro (IPL), revela que o público brasileiro tem uma média de leitura inferior a cinco obras por ano, e 30% dos entrevistados nunca compraram um livro, dificultando o desafio de incutir o costume na população.

O hábito de ler contribui de maneira direta para o amadurecimento de estudantes e também da família, sendo um grande aliado no processo de aprendizagem e experiência. A prática da leitura proporciona diversos benefícios para a formação em vários âmbitos da vida.

A escola e os pais devem estimular o gosto pelos livros e apresentar infinitas possibilidades de conhecimento. A instituição de ensino é corresponsável pela educação e formação estudantil, sendo crucial manter um relacionamento próximo e aberto com os familiares, focando, principalmente, iniciativas literárias educacionais.

A pesquisa Retratos da Leitura também apontou que o “gostar de ler” é algo mais característico do público infantil, reforçando, ainda mais, a necessidade de incentivar os momentos de leitura, desde a infância.

A Bienal Mineira do Livro, por exemplo, promoverá mais de 350 horas de atividades culturais e educativas, focadas na formação de leitores e na valorização de ações de promoção do livro e da leitura, na edição que começa hoje (13) e vai até 22 de maio, no BH Shopping.

A programação inclui rodas de leitura, debates e outras iniciativas estimuladoras da reflexão e discussão sobre temas diferenciados, atividades que podem ser feitas também nas escolas pelos professores, semanalmente e, ainda são ótimas alternativas para os alunos irem além da leitura dos textos, recomendados apenas em livros didáticos.

A expectativa é receber mais de 150 mil visitantes, entre professores, estudantes, pais e população em geral para entender como propor leituras coletivas e mediar discussões de forma dinâmica, elaborando perguntas sobre a compreensão e interpretação da história, enriquecendo a atividade com temas da realidade e relacionados ao livro. O foco no ensino é tão grande que mais de 89 mil ingressos já foram distribuídos, gratuitamente, entre alunos e educadores de escolas mineiras.

Os dez dias de programação com o tema “O reencontro é real” colocam o Estado no circuito nacional cultural e do incremento da aprendizagem ao transformar Belo Horizonte na capital brasileira da literatura com oportunidades para disseminar a leitura, divulgar livros, estreitar relacionamentos entre leitores e autores e estimular a geração de novos negócios.

A Bienal é uma das principais iniciativas literárias brasileiras com autores representativos e um conteúdo educativo abrangente, consistente e inovador, realizando atividades e atrações para leitores de diversas faixas etárias. É um importante exemplo para o desenvolvimento da capacidade crítica, do conhecimento de fundo e do repertório cultural de cada leitor, conquistando mais leitores.

 Marcus Ferreira é diretor geral da Bienal Mineira do Livro 2022 e diretor presidente do Grupo Asas

---

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar.

Siga O TEMPO no Facebook, no Twitter e no Instagram. Ajude a aumentar a nossa comunidade.