Minas S/A

Bodytech
Publicado em: 14/09/20 - 11h46

Bodytech

A Bodytech Company - maior rede de academias do país, com 102 unidades -  reabriu as três unidades em Belo Horizonte. As unidades Savassi, Belvedere e Ponteio - sob o comando de Ana Gutierrez, sócia da rede Bodytech - estão funcionando com todos os protocolos de segurança e com horários especiais, mas sem a necessidade de agendamento de aulas. A quarta unidade da rede em Minas, no Serena Mall, em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte continua fechada, por enquanto. Ana garantiu que vai manter os investimentos no mercado fitness. “O negócio Bodytech exige investimentos constantes como atualizações, equipamentos, novidades e aulas. Não deixamos de investir nem durante a pandemia. Ficamos fechados e investindo em processos de TI, em aulas técnicas para professores. Isso até virou uma grade curricular para os profissionais”, explicou a executiva.
 

Tempestade

Ana Gutierrez afirmou que continua acreditando em Minas. “Acredito não só em Minas como no Brasil. Meus investimentos estão aqui. Embora estejamos enfrentando uma tempestade, uma onda econômica que pode nos prejudicar muito, eu acredito no futuro, que vamos sair dessa”, afirmou. No momento, a sócia da rede Bodytech não fala sobre expansões porque o futuro, segundo ela, é muito instável. “Precisamos sentir o mercado, sentir a economia nos próximos seis meses e sentir a retomada econômica e quando ela virá. Ai a gente fala em expansão. No momento não”, informou.

Funcionários

Com a pandemia, Ana Gutierrez desligou 30% da empresa. “A gente aproveitou a situação para dar uma enxugada no quadro, algumas aulas que a gente já ia tirar do cardápio mesmo, a gente deu uma reduzida nas pessoas que não tinham contrato, que eram estágios. Então, conseguimos reduzir 30% mas não da nossa mão-de-obra principal. A gente conseguiu segurar bastante os números”, contou a sócia da rede Bodytech.

Grupo Bodytech

A Bodytech Company nasceu em 2005 no Rio de Janeiro. O grupo tem como acionistas controladores os empresários Alexandre Accioly e Luiz Urquiza, além dos sócios Bernardo Rezende, João Paulo Diniz, fundo de private equity administrado pelo BTG, dentre outros. Composta pelas academias Bodytech e Fórmula e pelo aplicativo BTFIT, a marca conta com 102 unidades, entre Bodytech e Fórmula, está presente em vários Estados do Brasil e se encontra entre as 20 maiores empresas do setor no mundo, de acordo com dados do IHRSA – órgão acreditado mundialmente pelo segmento. São 150 mil clientes nas academias e 4,5 milhões de downloads do BTFIT. A atuação no mercado internacional se dá através do App BTFIT que já funciona em português e inglês.

Solatio Energia Livre

Uma joint-venture entre a espanhola Solatio e a mineira CMU, a Solatio Energia Livre tem capacidade projetada para abastecer mais de 162 mil casas e pontos comerciais e para reduzir a emissão de quase de 5.000 toneladas de CO2 a cada mês. São cerca de 900 hectares só em painéis solares e um potencial energético de 780.300 MWh/ano. Segundo Walter Fróes, CEO da Solatio Energia Livre e da CMU Energia, cerca de R$ 21 bilhões serão investidos, até 2023, em usinas fotovoltaicas no Estado. Desse total, R$ 1 bilhão estão destinados à geração distribuída, para atendimento a residências e pequenos estabelecimentos comerciais, e os outros R$ 20 bilhões a usinas de grande porte, para fornecimento de energia a distribuidoras e consumidores de grande porte, como indústrias e shopping centers. “Diversas cidades mineiras serão contempladas com a instalação das usinas, dentre elas Mirabela, Paracatu, Pirapora, Janaúba e Manga”, informa Fróes. Ele acrescenta que há grandes projetos em curso, como as usinas de Uberlândia, São Sebastião do Paraíso, Patos de Minas, Três Corações, Varginha entre outras cidades, que irão injetar energia limpa e mais barata para consumidores de praticamente todo o estado de Minas Gerais.

Solatio e Grupo CMU

Com mais de 20 anos de experiência no setor fotovoltaico e com mais de 120 projetos na Europa, a Solatio está no Brasil desde 2009 e conta com mais de 6 GW desenvolvidos. O Grupo CMU atua desde 2003 na área de gestão para consumidores e geradores no mercado de energia. A CMU é membro da Associação Brasileira de Comercializadores de Energia (ABRACEEL), autorizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) a atuar como comercializadora de energia elétrica, sócia e participante do Balcão Brasileiro de Energia Elétrica (BBCE) e está preparada para operar como comercializadora de gás natural através da empresa GASCOM, autorizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A CMU atua também no segmento de GD, por meio da avaliação de investimentos em geração e da estruturação e gestão do Consórcio e da Cooperativa Energia Livre.

iMedicina

Empresa belo-horizontina de soluções tecnológicas em saúde que, a iMedicina registrou crescimento de 194% nas vendas no primeiro semestre deste ano, em relação ao último semestre de 2019. Esse aumento, de acordo com o médico oftalmologista Raphael Trotta e CEO da empresa iMedicina, deve-se ao lançamento da plataforma de telemedicina e a disponibilização do prontuário eletrônico para médicos de todo o Brasil, ambos de forma gratuita. A iMedicina tem 11 mil médicos e outros profissionais da saúde cadastrados, são 5.000 adesões nos primeiros dias da plataforma de telemedicina. No primeiro mês de lançamento da modalidade de telemedicina, médicos de 22 Estados brasileiros e do Distrito Federal já utilizavam a ferramenta. Atualmente, todos os Estados e o Distrito Federal utilizam a plataforma. O modelo de negócios adotado é o freemium. Com o plano gratuito, o médico cadastrado tem acesso à plataforma para o atendimento e há também planos pagos que oferecem mais funcionalidades.

Prêmio Prudential

Jovens voluntários de todo país já podem fazer a inscrição online de suas ações no ‘Prêmio Prudential Espírito Comunitário’, edição 2020. Os candidatos deverão ter entre 14 e 19 anos, estarem cursando o ensino médio em uma instituição de ensino público ou particular, e atuar como voluntário. As inscrições das ações voluntárias podem ser feitas pelo site: www.premioprudential.com.br. O estudante poderá se candidatar também por meio de formulário solicitado pelo e-mail premioprudential@prudential.com. As inscrições vão até 31 de outubro. O Prêmio Prudential Espírito Comunitário é uma iniciativa da Prudential do Brasil, que acontece desde 2015. Neste ano, a sexta edição do evento terá uma categoria especial para premiar um jovem que tenha participado de ações para minimizar os impactos do novo coronavírus na sociedade.

 

Mundo mais justo

“A Prudential do Brasil acredita que cada um de nós tem o poder de ser um agente ativo para a construção de um mundo mais justo. Mas além disso, acreditamos que, como empresa, temos o poder e a força para estimular ainda mais essa transformação. Fazemos isso há mais de 20 anos e cuidar de vidas é o nosso propósito. Ainda mais nesse momento tão adverso que estamos vivendo”, afirma Fernanda Riezemberg, gerente de Marketing Institucional da Prudential do Brasil. Na categoria tradicional do Prudential Espírito Comunitário, serão premiados dois jovens, selecionados por um júri que inclui alunos, professores, representantes de ações sociais, pessoas civis, organizações de apoio e incentivo ao voluntariado, e a bancada da seguradora. No fim do ano, serão anunciados os finalistas e vencedores dessa edição.

Loja Elétrica

Há 73 anos no mercado, o Grupo Loja Elétrica acaba de inaugurar, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, a maior unidade da rede no Estado. “O espaço possui 5.600 metros quadrados, amplo estacionamento e está apto a comercializar mais de 30 mil itens”, destaca a supervisora de Marketing, Daniele Vinhandel. Esta é a 22ª unidade do grupo e conta com diversos segmentos em um só lugar. “Queremos facilitar o negócio do cliente, principalmente para os nichos industriais. Por isso, a unidade está estrategicamente instalada na Rodovia Fernão Dias, nº 3.700 A, à beira da BR 381, no antigo Makro. “A localização foi pensada para atender a todas as cidades próximas, além dos moradores da região”, conta Daniele.

Materiais elétricos

Especializada na distribuição de materiais elétricos, a Loja Elétrica foi fundada em 1947, e conta, atualmente, com 1.300 colaboradores, 11 filiais – localizadas em várias regiões da grande Belo Horizonte, uma em Uberlândia e uma em Ipatinga - e 10 lojas dedicadas (in company) que ficam dentro de mineradoras, siderúrgicas, cimenteiras e indústria de celulose, além do centro de capacitação em tecnologia (CCT), que oferece cursos para eletricistas e técnicos. Possui ainda o maior centro de distribuição do seu segmento, na América Latina. A empresa trabalha com produtos nas áreas de Baixa e Média Tensão, Automação e Material Elétrico Industrial, Cabeamento Estruturado, Segurança Eletrônica, Iluminação, Telecomunicação e Energia Solar. Além das lojas instaladas em cinco cidades de Minas Gerais, o consumidor pode adquirir os produtos em todo o país e pelo e-commerce do grupo: www.lojaeletrica.com.br.

Microcity

A mineira Microcity, especializada em terceirização de computadores, com mais de 200 mil equipamentos alocados em todo o país, registrou um aumento de 400% na demanda por soluções de Home Office, que contribuiu para fechar o 1° trimestre do ano com um aumento de 49% nas vendas, em relação ao mesmo período de 2019. Motivada por esse resultado, a companhia acaba de criar a oferta Home & Office as a Service (H&OaaS), que viabiliza ambientes de trabalho remotos produtivos e seguros.

 

Tecnologias

O H&OaaS da Microcity traz tecnologias especialmente desenvolvidas para garantir a segurança dos dados corporativos, ajudando as empresas na adesão a LGPD, entre elas antivírus, proteção contra ransomware, firewall e criptografia gerenciados. Além disso, a oferta traz serviços gerenciados que realizam toda a gestão da segurança de TI. “O número de ataques cibernéticos tem crescido em todo o mundo, durante a pandemia. E assim como estamos tomando cuidados para evitar ficarmos doentes, as companhias precisam proteger seus dados contra cibercriminosos, a fim de não sofrerem prejuízos, e até mesmo a falência dos negócios”, afirma Renato Castro, diretor-geral da Microcity. 

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso