Ricardo Sapia

Centrão: o inimigo
Publicado em: Sex, 14/06/19 - 03h00

Como podemos acreditar que haja pessoas que torcem para o país dar errado? Infelizmente existem, sim, e são muitas. O que os deputados do centrão estão fazendo com as reformas propostas e encaminhadas ao Congresso pelo governo é, no mínimo, um ato criminoso, e eles deveriam ser indiciados por crime contra o livre exercício dos poderes constitucionais. No capítulo II, artigo 6º, inciso 8 da Lei 1.079 de 10 de abril de 1950, fala-se sobre “intervir em negócios peculiares aos Estados ou municípios com desobediência às normas constitucionais”.

O fato de retirarem da reforma da Previdência os Estados e municípios vai agravar, e muito, a situação econômica dos já combalidos e alguns saqueados por quadrilhas de criminosos do colarinho-branco. Tudo isso por obsessão pelo poder.

Muitos deputados são candidatos a prefeito no próximo ano e não querem levar para os currais eleitorais durante as campanhas a “culpa” de ter votado contra os interesses de alguns marajás, ops, funcionários públicos.

São esses que ficam nas redes sociais, se passando por defensores de um país melhor, com mais emprego, menos desigualdades – “mas que não mexam no meu bolso”.

Quanta hipocrisia dos deputados do centrão que querem agradar a gregos e troianos ou ao bolso deles e dos funcionários públicos, afinal de contas, qualquer medida, ou melhor, voto impopular que venham a assumir, pode acabar com a popularidade e, consequentemente a mais um ou dois, com a reeleição (que tem que acabar) e com mandatos em prefeituras.

Um Poder Judiciário que não pode interferir no Legislativo, mas que o faz e vem fazendo constantemente. Um Poder Legislativo que não pode intervir no Executivo, mas que o faz e vem fazendo constantemente. E, por último, um Poder Executivo que nada pode fazer porque sempre esteve e está mais do que nunca “amarrado” aos totalmente desacreditados pelo povo, Poderes Legislativo e Judiciário.

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Leia mais
LEIA MAIS