O jogo sujo de Alexandre Kalil para impor seu Plano Diretor

É muita sordidez negociar dessa forma o futuro da cidade

Sex, 17/05/19 - 03h00

Comecei a obstruir a pauta na Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH). Meu ato, constitucionalmente legítimo e democraticamente debatido com meus eleitores, é resultado da minha indignação com o desrespeito e as manobras obscuras que ocorrem desde o início do mês na CMBH. Essa trama contra os interesses da cidade, que poderá trazer danos irreversíveis, é patrocinada pelo prefeito Alexandre Kalil e por alguns vereadores da base de governo. O alvo é o projeto de lei do Plano Diretor, previsto para ir à votação em segundo turno em junho, conforme informação da presidência da Câmara.

O que me leva a usar a obstrução é a forma antidemocrática e desleal que o prefeito adota em seu relacionamento com a Câmara. Para atender interesses alheios aos da população, ele passa por cima da autonomia do Legislativo, se alia a grupos retrógrados e com eles faz acordos não republicanos. O prefeito joga sujo e sem medir consequências, como se fosse um califa diante de seus súditos. Finge não entender que o futuro de mais de 2,5 milhões de moradores da capital depende de sua gestão.

O substitutivo ao Plano Diretor, enviado à CMBH pelo Executivo, foi aprovado em primeiro turno em 2018, mas, agora, a PBH optou por jogar no lixo o esforço do Legislativo e impor um substitutivo cheio de vícios e prejuízos para a cidade. E quais os interesses dessa ação errática e nada transparente? É justamente isso que quero saber. São muitas as hipóteses. Depois do anúncio da votação do Plano Diretor para junho, o prefeito, com a subserviência do vereador Jair Di Gregório, mudou tudo para atender interesses dos parlamentares religiosos e facilitar a mutilação das Áreas de Diretrizes Especiais (ADEs) do Cidade Jardim e  Santa Tereza, há anos cobiçadas por especuladores imobiliários.

Primeiro, Jair di Gregório anunciou a inclusão na pauta da Proposta de Emenda à Lei Orgânica  3, que implanta a claramente inconstitucional “Escola sem partido” na rede escolar municipal. Após conversas com o líder de governo, ele retirou a proposta da pauta, alegando que “a iniciativa precisava de ajustes”. Na sequência, apresentou substitutivo ao Plano Diretor na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário. O documento elimina as emendas apresentadas pelos vereadores no primeiro turno, cria privilégios para instituições religiosas e equipamentos de assistência social a elas vinculadas e abre as portas para a descaracterização das ADEs Cidade Jardim e Santa Tereza.

Pelo projeto do vereador, elaborado, na verdade, pela PBH, as instituições religiosas não precisarão pagar a outorga onerosa quando ultrapassarem o coeficiente de aproveitamento do solo, que será de 1 para o resto da população. Também “os equipamentos de assistência social” ligados às igrejas estarão livres do pagamento da outorga. Um passe livre para que a lei, que deve ser igual para todos, seja burlada. Basta uma igreja comprar um terreno, dizer que vai construir um “equipamento social”, lucrar com o imóvel e seguir em frente, adquirindo mais lotes e perpetuando a imoralidade. É ilegal, é incorreto e nada sacro.

Quanto às ADEs, que preservam boa parte da história da capital, o substitutivo visa atender interesses específicos que não os dos moradores. E, o mais grave, para aprovar esse “monstro”, conforme se comenta na CMBH, o prefeito teria prometido o apoio da base à proposta da Escola sem Partido. É retrocesso demais, é muita sordidez negociar dessa forma o futuro de nossa cidade.

(7) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
José Boné 7:20 PM May 17, 2019
Cara, você é da TURMA DO CHAPÉU! Tenha vergonha na cara! Aecista, AnastaZISTA, e tudo mais que não presta! E fica aí pagando de POLÍTICO MODERNO.
6
Denunciar

Leonardo 6:41 PM May 17, 2019
Muito bem colocado pelo vereador. BH hoje é uma cidade cara de se viver e cheia de falhas de infraestrutura que tendem a piorar com o Plano Diretor proposto pelo prefeito. Kalil , o prefeito populista e falastrão continua a afundar a cidade com seu jeito dono da verdade...
0
Denunciar

marcelo rodrigues ramos 4:32 PM May 17, 2019
Essa turma de falastrão devia fazerem igual ao Kalil trabalhar e deixar de arrumar picuinhas. Mesmo com o país na situação de merda que encontra ele Kalil está com obras pra todo lado para livrar o povo das enchentes cuidando das vias públicas que só tinham buracos más aqueles sem serviço que ao invés de trabalhar porque ganham é pra isso, nem trabalha e ainda atrapalha. Deviam ter vergonha na cara, e povo prestar atenção nesse tipo de gente que pega salário só para fuxicar com a vida dos outros.
10
Denunciar

Esteves 2:39 PM May 17, 2019
Salario de 31mil???
0
Denunciar

Andre 12:35 PM May 17, 2019
e alguém acreditou na ladainha inventada por vc mesmo e seus marqueteiros que kalil seria diferente? que não era político? que era “do bem” e pensava “nas pessoas”?
0
Denunciar

Rodrigo silva 10:53 AM May 17, 2019
Gabriel os dois lados estão errados. O kaliu está mais errado ainda. Se vocês fossem sensatos ouvida os técnicos e não apenas o lado político que norteiam suas decisões vetariam qualquer tipo de invasão na cidade. Este seria talvez o melhor e mais eficiente plano diretor que BH poderia ter. Esse lunático do kaliu em três anos de um governo pífio transformou BH em rio de janeiro piorado, sem praia. Contribuindo para o crescimento de uma cidade paralela. Esse ato inconstitucional e comunista que prevê um posto sim sobre um excedente de área construída a ser pago para a prefeitura mais parasita da face da terra que é belo horizonte e um soco na cara do palhaço e ignorante cidadão de BH aquele que vive dentro desse curral, bairrista e que diz que BH é a melhor cidade do Brasil sem conhecer outras infinitamente melhores. Esse cidadão alimenta vocês, que só vê o inconstitucional naquilo que os prejudica. Extender a cidade sem transporte eficiente, sem saúde eficiênte é a ignorância de quem só está interessado no próprio bolso. Para que cobrar tanto de quem constrói legalmente paga impostos legalmente se o ilegal chega rouba um terreno se instala constrói igual o c* dele e vocês não fazem nada!!!!!! Vocês são um bando de padrões e irresponsáveis alimentados por uma população de Zé manes. Só que a gente que pensa tá ficando de saco cheio disso. Cuidado se quisermos quebramos vocês sem sair de dentro de cada. Bando de ladrões e safados!!!!!
5
Denunciar

alexon 7:43 AM May 17, 2019
então o Bielzinho ficou mesmo de mal do Kalilzinho. Este romance é antigo. Brigas, tapas e muito amor.
13
Denunciar

LEIA MAIS
É função da prefeitura ampliar a rede de ciclovias e ciclofaixas
Impediu-se que o projeto fosse votado de forma autoritária
Tornar a cidade mais saudável em sustentável cabe a todos nós
Leia mais