Serviços públicos: a forma mais cara de não se prestar um serviço

Os resultados são evidentes: o Estado é péssimo gestor

Seg, 11/03/19 - 03h00

Quero manter o desafio: que serviço prestado pelo poder público, no Brasil, é melhor que seu correspondente prestado pela iniciativa privada?

Vão responder que as universidades federais são a excelência da educação superior no Brasil, mas os alunos custam mais do que os de Harvard e, enquanto isso, os estudantes do ensino público fundamental amargam um dos piores resultados do mundo nas provas de proficiência.

Vão listar alguns hospitais de referência, como certos atendimentos de urgência e alta complexidade, mas continuamos tendo fila de exames simples, atraso nas consultas de rotina e falta de insumos básicos em postos de saúde.

Alguém terá coragem de falar de transporte?

Os resultados são evidentes, e os fatos não comportam enfeite ideológico: o poder público é péssimo gestor, não é capaz de garantir resultados aceitáveis mesmo administrando orçamentos elevados e nem mesmo se compromete com padrões mínimos de qualidade de serviço.

O oposto também se evidencia: as Emeis, em Belo Horizonte, prestam um serviço de educação infantil de qualidade reconhecida internacionalmente, exatamente porque o serviço foi entregue à iniciativa privada, com parâmetros de qualidade na gestão da infraestrutura das escolas e a um preço inferior ao das instituições mantidas pela prefeitura. Para não haver dúvidas, temos Emeis, construídas à mesma época, que são mantidas pelo poder público, e é vergonhosa a comparação.

BH tem a oportunidade de fazer o mesmo com os postos de saúde, e espero que a prefeitura dê andamento a essa iniciativa da gestão passada. Os postos estão em situação lamentável de conservação, com equipamentos precários. Manter por vaidade a administração das unidades sob a gestão da Secretaria de Saúde é um erro e custa caro ao usuário desses serviços na capital.

O projeto das PPPs dos cemitérios da cidade, infelizmente, foi paralisado, mas pergunto ao leitor que esteve em um dos cemitérios municipais recentemente se é comparável a situação dos velórios e dos serviços de sepultamento dos cemitérios públicos com os privados. Uma vergonha que, no momento de maior sofrimento na vida de uma família, as pessoas tenham de ser agredidas pela prestação de um serviço precário. Não estamos discutindo luxo, mas dignidade. E, pior: não é como se o serviço fosse gratuito – ele é pago. Só é ruim, como tudo o que o governo se mete a gerir.

Recentemente, circulou o resultado de um estudo que demonstra o movimento de reestatização de quase 800 serviços antes cedidos à iniciativa privada, e fui muito questionado sobre a minha defesa aberta da desestatização. Os exemplos, no entanto, foram de serviços em que o próprio poder público, ao fazer a “privatização”, garantiu ao particular o monopólio do serviço… Ou seja: trocamos a ineficiência pública pela ineficiência privada, e, portanto, fica claro para mim que a eliminação da concorrência é tão perigosa quanto a prestação de serviço pelo Estado. Mas esse erro não justifica a presença do poder público na economia gerindo, quando, sabidamente, ele não sabe gerir.

Mantenho firme a minha conclusão, que não é ideológica, mas empírica: vender o que não tem utilidade, conceder os serviços que possam ser prestados pela iniciativa privada e desburocratizar a vida do cidadão. Desestatização é isso: é garantir que mais possa ser feito com o dinheiro de quem paga impostos, concentrando esforços e recursos no essencial, que, aliás, não tem sido feito.

(43) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Nestor Martins Amaral Júnior 8:19 AM Mar 12, 2019
Eternamente 9X21, você sabia que a Vale foi praticamente reestatizada por Dilma, mediante investida na Bolsa via Fundações de Previdência e Bancos Estatais? Hoje o Estado é dono de cerca de 60% das ações. Sob a gestão do Bradesco, outrora principal acionista, comandada por Roger Agnelli a Vale tornou-se a maior empresa de mineração de ferro do mundo. O que ela recolhia de impostos era maior que o faturamento que ela tinha antes da privatização. Sem falar na geração de empregos diretos e indiretos, e de divisas - commodities. Aquele acidente que vitimou o Roger até hoje não foi explicado dentre outros casos similares da gestão petista. Veja Celso Daniel, Toninho do PT, etc. Por ser contrária ao modus operandi do Roger, Dilma o substituiu e de lá para cá só deu apaniguados do PT, como o atual presidente responsável pelos desastres de Mariana e Brumadinho. Dilma tentou emplacar até o corrupto Bendini como presidente da Vale, autêntico picareta e ladrão. Quanto às teles veja quantos brasileiros tinham acesso à comunicação telefônica relativamente aos de agora. As falhas verificadas e que você aponta são tributáveis às Agências Controladoras que nunca funcionaram. Não passaram de cabides de emprego para políticos petistas derrotados e corruptos. Ainda assim você fala em reestatizações? Misericórdia!...
3
Denunciar

Nestor Martins Amaral Júnior 9:27 PM Mar 11, 2019
Prezado Luiz Roberto, gostei da sua explanação. Há pontos cruciais a observar no processo de privatizações, nos quais você toca ligeiramente. Um deles é a identificação do papel do Estado e consequente descarte daquilo que estiver fora. É o que você chama atividade meio. Hoje as empresas já fazem isso. Verticalização em lugar da horizontalização. O que é atividade meio para uma empresa é a atividade fim da sua parceira. É na atividade fim que a qualidade do produto é mais aprimorada e o empregado é mais bem remunerado. Por exemplo, numa mineradora o departamento de informática não é tão valorizado quanto o de produção. Mas, numa empresa de informática a valorização é outra. O Estado é ineficaz por imperícia, desmazelo e corrupção. Assim, quanto menos eficiente ele fosse menos estragos produziria. Portanto cabe ao Estado centrar seus esforços nas atividades fins, grande maioria no social e privatizar tudo quanto for de interesse da iniciativa privada. Naturalmente ele terá nesse caso o papel de regulador, fiscalizador e facilitador. Quanto menor o Estado, melhor para o desenvolvimento do país. Claro, a implantação disso tem um preço, como você chega a citar até caso de suicídios. Isso resulta de erro na condução do processo. Pois o objetivo jamais poderá ser o de prejudicar quem quer que seja.
3
Denunciar

Eternamente 9 X 2! 9:12 PM Mar 11, 2019
A VALE deu tão certo como empresa privada que é uma das MAIORES DEVEDORAS do BNDES que é um Banco ESTATAL cujo dinheiro emprestado foi do contribuinte, OU SEJA, NOSSO e é UMA DAS EMPRESAS QUE MAIS SONEGAM IMPOSTOS AO FISCO (dinheiro que deveria ir para os cofres públicos a serviço da educação, da saúde e da segurança pública!) A OI deu tão certo que está EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL e quem é cliente dessa operadora sabe a EXCELÊNCIA QUE ELA PRESTA AOS SEUS USUÁRIOS! E esse sujeito vem dizer que o problema são as estatais e não OS POLÍTICOS QUE AS SURRUPIAM COM TODA SORTE DE CORRUPÇÕES! COMO PODE UMA ESTATAL CUMPRIR SUA FUNÇÃO PRECÍPUA SE OS RECURSOS DESTINADOS A ELA VÃO PARAR NO BOLSO DESSES QUE AFIRMAM SER NECESSÁRIAS PRIVATIZA-LAS? TALVEZ NÃO HAJA MAIS A ROUBAR DESSAS ESTATAIS PORQUE TALVEZ JÁ AS TENHAM DEIXADO A MÍNGUA. QUE O DIGA SÉRGIO CABRAL NO RIO DE JANEIRO. ESSE SACRIPAN*A AINDA COLOCA A CULPA NOS SERVIDORES PÚBLICOS COMO SE ESTES FOSSEM OS RESPONSÁVEIS PELO ESTADO DE COISAS NEFASTO QUE ASSISTIMOS. NÃO SERIAM OS SERVIDORES DO JUDICIÁRIO OS QUE "REALMENTE" GANHAM ESTRATOSFÉRICOS SALÁRIOS? NÃO SERIAM OS VEREADORES COMO O SENHOR QUE PESAM NO ERÁRIO MUNICIPAL? NÃO SERIAM OS DEPUTADOS ESTADUAIS E FEDERAIS COM SEUS EXÉRCITOS DE ASSESSORES E PRIVILÉGIOS OS VERDADEIROS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS QUE TÊM PRIVILÉGIOS? NÃO SÃO OS SENADORES QUE COM ESTABILIDADE DE 8 ANOS NÃO PESAM NO ORÇAMENTO DA UNIÃO?Agora, vocês são TÃO CRÁPULAS QUE FAZEM A POPULAÇÃO ACREDITAR QUE OS PROFESSORES E TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO SÃO OS GRANDES MARAJÁS, MARAJÁS QUE NÃO GANHAM SEQUER 2 MIL E 500 REAIS E VÃO AUMENTAR A CONTRIBUIÇÃO DESSES PROFISSIONAIS DE 11 PARA 14 OU 16% PARA TAPAR O ROMBO, QUE VOCÊS, CANALHAS DEIXARAM! FALTOU DIZER SOBRE OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DA SAÚDE, MAS FICA PARA A PRÓXIMA.
0
Denunciar

Eternamente 9 X 2! 8:48 PM Mar 11, 2019
A VALE deu tão certo como empresa privada que é uma das MAIORES DEVEDORAS do BNDES que é um Banco ESTATAL cujo dinheiro emprestado foi do contribuinte e é UMA DAS EMPRESAS QUE MAIS SONEGAM IMPOSTOS AO FISCO (dinheiro que deveria ir para os cofres públicos a serviço da educação, da saúde e da segurança pública! A OI deu tão certo que está EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL e quem é cliente dessa operadora sabe a EXCELÊNCIA QUE ELA PRESTA AOS USUÁRIOS! E esse sujeito vem dizer que o problema são as estatais e não OS POLÍTICOS QUE AS SURRUPIAM COM TODA SORTE
0
Denunciar

Eternamente 9 X 2! 8:11 PM Mar 11, 2019
Vocês não tenham dúvidas: esse NOVO (QUE É VELHO NÃO, VELHACO) vai privatizar a CEMIG, a COPASA e só Deus sabe o que mais. Mas não demorará para todos pedirem que elas voltem a condição de empresas públicas porque os serviços serão PÉSSIMOS e os preços: BEM CAROS! Os que defendem essas privatizações apenas por reproduzirem o discurso dos tecnocratas da mídia nacional crendo que com isso são intelectuais serão os primeiros a descobrirem que não passaram de PAPAGAIOS E GADO!
1
Denunciar

Eternamente 9 X 2! 7:59 PM Mar 11, 2019
Mateus Simões você é um mau intencionado, cujo discurso é MELÍFLUO! países como EUA, França, Inglaterra, Alemanha, etc estão reestatizando empresas que foram privatizadas no passado próximo. E o motivo é o mesmo em todos esses países: PÉSSIMOS SERVIÇOS PRESTADOS PARA A POPULAÇÃO E PREÇOS ASTRONOMICOS QUE OS EUROPEUS PAGAM! O que você está recebendo para reproduzir esse DISCURSO ASQUEROSO? Você engana os IDIOTAS (A MANADA ACÉFALA), não os que se informam SOBRE O QUE ESTÁ ACONTECENDO LÁ FORA. Quem não acredita no que afirmo, procure informações na BBC e nas principais mídias mundiais SÉRIAS. Infelizmente por causa de LESA PÁTRIA COMO ESSE SENHOR O BRASIL VAI CONTINUAR ESCRAVO POR MUITO TEMPO! Ao invés de defender os interesses dos brasileiros prefere prejudica-los com doutrinas vans. Se você fosse sério ao invés de pedir sacrifícios aos cidadãos mineiros como tem feito deveria dar o exemplo. Você está disposto a abrir mão do salário que recebe na Câmara Municipal de Belo Horizonte? Não? Era o que pensei. PROCUREM SE INFORMAR PESSOAL! NÃO ACREDITEM EM TUDO O QUE ESSES "BURROCRATAS" DIZEM! Eles GANHAM PARA OS ESCRAVIZAR E OS TEM COMO BURROS DE CARGA OS QUAIS CONDUZEM A BASE DA CHIBATA!
2
Denunciar

Luiz Roberto de Oliveira Pereira 7:41 PM Mar 11, 2019
Trabalhei, ao longo de minha vida profissional, em instituições públicas e empresas privadas. Participei do processo de privatização de uma empresa de telefonia celular, como consultor e assessor. Ao contrário do que se propaga, a privatização não é um mar de rosas, nem leva o povo eleito à terra onde jorram o leite e o mel. É um processo traumático para quem está dentro dele e gera muito sofrimento para as pessoas que trabalham nas empresas. Houve casos de suicídio, inclusive. E a universalização do serviço de telefonia não foi acompanhada de um grande ganho em qualidade. Hoje as empresas de telefonia privatizadas são campeãs de reclamações nos Procons de todo o país. A Oi, sucessora da Telemar, que era a antiga Telemig, está em recuperação judicial. O vereador deveria refletir um pouco sobre o risco de louvar a desestatização e a privatização, como se fossem panaceias miraculosas. Elas não são. Trabalhei no CPqD, o maior centro de pesquisas em telecomunicações do hemisfério sul, uma instituição exemplar do ponto de vista da capacidade técnica de seus membros, da criação de produtos inovadores e conduzido por gestores de altíssima competência, que pertencia ao Sistema Telebrás e foi transformado em uma fundação, quando a privatização do Sistema Telebrás ocorreu. Todo o processo de seleção tecnológica para implantação da TV digital no Brasil, foi conduzido pelos cientistas do CPqD, com testes rigorosos, elogiados por americanos, europeus e japoneses. Próximo ao CPqD, está instalado o LNLS - Laboratório Nacional da Luz Síncroton, um centro de pesquisas em Física, que construiu o maior acelerador de partículas do hemisfério sul e dá apoio ao desenvolvimento de produtos avançados para a indústria, especialmente fármacos. É perfeitamente possível ter instituições de pesquisa e desenvolvimento tecnológico no Brasil, no ambiente estatal, desde que os políticos incultos, oportunistas e demagogos deixem as pessoas trabalharem em paz e que haja orçamento destinado à pesquisa e inovação, sem cortes estúpidos. A NASA, louvada e incensada por seus grandes feitos espaciais, é uma agência do governo americano. Milhares de empresas nos EUA só existem hoje, porque existe a NASA, que compra peças e componentes, encomenda projetos e assim mantém milhares de empregos privados. Não passa pela cabeça de nenhum governante americano, muito menos de seus cidadãos, privatizar a NASA. Aliás, toda a máquina de guerra americana depende das relações próximas e estreitas entre as agências do governo e as indústrias que vivem de suas encomendas de armas, munições, equipamentos de apoio, alimentação e fardamento de soldados. É melhor ir devagar com esse andor, porque a doença do Estado brasileiro não é causada pelos servidores públicos, mas pelos políticos que fazem negociatas escandalosas, roubam e desviam recursos e deixam sucatear os equipamentos e prédios públicos. Os maus gestores estão dentro dos gabinetes das câmaras de vereadores, nas prefeituras, assembleias legislativas, governos estaduais, ministérios, etc.
0
Denunciar

Eternamente 9 X 2! 7:30 PM Mar 11, 2019
Mateus Simões você é um mau intencionado cujo discurso é MELÍFLUO! Segue endereço que prova que países como EUA, França, Inglaterra, Alemanha, etc estão reestatizando empresas que foram privatizadas. E o motivo é o mesmo em todos esses países: SEE
1
Denunciar

Luiz Roberto de Oliveira Pereira 7:11 PM Mar 11, 2019
O colunista tem uma visão hobbesiana do Estado, como se este fosse um imenso Leviatã, que devora e destrói tudo o que toca. Essa demonização do Estado, que muitos advogam como sendo "liberalismo", é uma armadilha que esconde a defesa de grandes interesses privados. O Estado brasileiro é ineficiente e ineficaz, sem dúvida. Mas não por ser Estado, mas por ter se estabelecido em bases patrimonialistas. Os políticos brasileiros ainda são prisioneiros de uma visão colonialista do próprio país e de seu povo. Ainda estão no tempo das Capitanias Hereditárias, em pleno século XXI. Redigem leis que são herdeiras diretas das Ordenações Manuelinas e Pombalinas e ocupam e preenchem os cargos públicos como os barões que cercavam D. João VI, disputando entre si as prebendas distribuídas pelo Imperador. Então, o problema não é existir o Estado, ele é necessário para canalizar pressões sociais, distribuir recursos de forma racional e lógica, estabelecer e executar as prioridades nacionais. O problema é a visão dos políticos que nós temos, para quem a ineficiência e a ineficácia do Estado são extremamente proveitosas, pois lhes dão meios de distribuir de forma discriminatória e injusta, os recursos que o Estado arrecada e deveria aplicar de forma justa e racional. Desestatizar todos os serviços públicos, ou a maioria deles, parece uma solução maravilhosa, mas ela peca pelo simplismo e rasa profundidade. Há que se considerar a existência daquilo que os próprios economistas chamam de "monopólio natural", aquelas atividades que demandam investimentos de grande monta, por longos períodos e cujo retorno financeiro é incerto e imprevisível, mas são importantes para garantir a existência de outras atividades econômicas, ou para trazer benefícios intangíveis e de difícil mensuração para toda a sociedade. Nenhum empresário aceita assumir tais riscos e tão alto grau de incerteza. Nessas situações, somente o Estado, referendado pela sociedade, tem como assumir tais atividades e dar-lhes o devido curso. Assim é em diversos outros países. Quando o Estado é bem gerido, quando as prioridades são bem estabelecidas e negociadas com a sociedade e os mecanismos de controle estão desobstruídos, são ágeis e transparentes, os resultados aparecem. É preciso, antes de demonizar o Estado e os serviços públicos de má qualidade, retirar todo o entulho legislativo patrimonialista, que foi produzido por décadas de política coronelista e populista. Remover todo esse lixo é um trabalho penoso, mas necessário. A maior parte das despesas que os órgãos públicos têm, estão concentradas nas atividades-meio, na estrutura inchada de vários níveis decisórios, nos processos extremamente burocratizados que alimentam fogueiras de vaidades imensas e abrigam os apaniguados dos políticos patrimonialistas e carreiristas que temos hoje. Mas é perfeitamente possível haver uma outra realidade, um outro modelo de Estado, administrado com competência, honestidade e transparência e que traz resultados e riqueza para toda a sociedade que vive sob suas leis. Um bom exemplo e bem recente, foi publicado há poucos dias: O Fundo Soberano da Noruega, o maior do mundo, constituído por decisão do povo norueguês para aproveitar os recursos da exploração de petróleo do Mar do Norte, avisou que não investirá mais em empresas petrolíferas. Sabedores do impacto de tal decisão, fixaram prazos e metas com transparência e clareza, para que o povo norueguês possa acompanhar os rumos e efeitos da decisão tomada. Isso é gerir bem, é dar resultado para a sociedade. Ainda temos muito para aprender e precisamos trabalhar firme nessa direção.
0
Denunciar

Érika Verônica 6:04 PM Mar 11, 2019
Que o diga a Fernanda Salles - assessora do deputado Bruno Engler - do PSL, que ocupa cargo na ALMG. Hoje, por exemplo, já saiu notícia sobre as fake news que a servidora do Estado prestou à sociedade, defendendo o laranjal e a milícia Bolsonaro. Quanta hipocrisia!
2
Denunciar

Esteves 6:35 AM Mar 12, 2019
Ve depois no Youtube John Oliver fazendo piada do Bolsonaro por causa do Carnaval. Ate nos Estados unidos onde ele fez continencia pra bandeira.
2
Denunciar

Leonardo 5:50 PM Mar 11, 2019
O saudoso Roberto Campos já dizia isso . Em seu livro "Lanterna na Popa" , um livro que todo brasileiro deveria ler, ele já alertava para o perigo do Estado se tornar empresário através das onerosas e incompententes estatais, e não conseguem entregar uma educação de base satisfatória. Desde o fetiche do brasileiro com matéria prima, minério de ferro, petróleo, até as areias de Guarapari, o Estado brasileiro quando cria uma Estatal com a desculpa de proteger a matéria prima tupiniquim, cria uma conta enorme para as próximas gerações, quando apenas arruma cabides de empregos para os amigos do rei. Parabéns pelo texto vereador!
6
Denunciar

Maria Isabel Azevedo 5:41 PM Mar 11, 2019
O serviço público, normalmente, não é fonte de lucro , isso fica para o setor privado... O servidor púlico mesmo,carrega mais a parte social, saúde , educação, segurança, previdencia, justiça... Quem quer? Ninguem! Na hora que é atropelado, ou tem cancer cai no SUS, pq quem tem 400 mil pra pagar hospital como o presidente? Quem quer pagar aos servidores, tipo um legislativo, vereadores , deputados, desse, em março, e que nada fez até agora? Nisso eu concordo, se paga para nada fazer...
0
Denunciar

Esteves 5:45 PM Mar 11, 2019
Estado Minimo e Meritocracia que Bolsonaro fala, agora os 400mil do tratamento deve sobrar pro Povo.
0
Denunciar

Maria Isabel Azevedo 5:33 PM Mar 11, 2019
Esse senhor não depende do dinheiro público? Ou é vereador ou deputado, se não estou errada...Seus argumentos são falhos, vide a VALE, a privatização mais cruel e mal feita...E MG...pra variar perdeu...Serviço privado, muitas vezes é mais bem feito, tem mais rendimento, por ter gestão, gerente, diretor, presidente, etc...No serviço público não existe gestão e autonomia...Se existisse funcionaria, e bem...Até pq os funcionários são capacitados, e não há rotatividade...Gostaria apenas de dar um pequeno exemplo...Se o dedo está doendo, se corta a mão? É isso?
1
Denunciar

Nestor Martins Amaral Júnior 4:41 PM Mar 11, 2019
José Boné, privatizações mal conduzidas realmente não têm como dar certo. Mas, sendo feitas de forma correta é o melhor dos caminhos para a economia. Erros acontecem, mas não invalidam a regra. Devem ser reparados. Há coisas que não despertam o interesse da iniciativa privada, aí sim o Estado tem a obrigação de assumir, desde que de utilidade pública. Mas, só em tais casos.
5
Denunciar

walter junior 4:38 PM Mar 11, 2019
Dicotomia inútil, nobre vereador. Temos universidades de ponta e vc diz mas não mostra que os alunos custam mais que os de Harvard. Muito melhores que as universidades privadas. A saúde pública é credora dos planos de saúde privados que extorquem o usuário que quando necessitam têm que recorrer ao hospital público para fazer intervenções para câncer e outras doenças graves que a iniciativa privada não faz. A questão não é se é público ou privado e sim se é bom. A telefonia brasileira privada e oligopolizada é uma das piores e mais caras do mundo. A industria automobilística brasileira não precisa nem falar, exemplo de iniciativa privada extorsiva, abusiva e aproveitadora dos recursos do contribuinte através de inúmeros refis e outros privilégios fiscais. A energia elétrica era ruim pública e continua ruim na mão de privatas onde foi privatizada. Os bancos privados... agiotas oficiais que ainda têm um freio porque existem bancos públicos, ou existiam para fazer políticas de estado. Precisamos de servidores públicos profissionais, de fiscalização rígida sobre o uso do dinheiro público e de boa gestão seja pública seja privada. E acabar com esse mimimi de 8 ou 800 que só divide e não leva a lugar nenhum.
2
Denunciar

Nestor Martins Amaral Júnior 4:31 PM Mar 11, 2019
Maria Simões, o problema está nas leis trabalhistas severas para a iniciativa privada e paternalista para o servidor público. Na iniciativa privada quem não matar o seu leão de cada dia não sobrevive no emprego. O mesmo não ocorre no serviço público. Se a empresa entregar produtos de má qualidade não se mantêm no mercado. O Estado não precisa se preocupar com qualidade para manter-se. Aí é que está a diferença. Quem perde com isso é o público.
2
Denunciar

Maria Isabel Azevedo 5:37 PM Mar 11, 2019
O serviço público, normalmente, não é fonte de lucro , isso fica para o setor privado... Carregam mais a parte social, saúde , educação, segurança, previdencia...Quem quer? Ninguem! Na hora que é atropelado, ou tem cancer cai no SUS, pq quem tem 400 mil pra pagar hospital como o presiente?
2
Denunciar

Nestor Martins Amaral Júnior 4:44 PM Mar 11, 2019
Tais brincando!!! Isso é bom ou ruim? rsrsrs.
2
Denunciar

Esteves 4:38 PM Mar 11, 2019
Mitou!!!
2
Denunciar

José Boné 4:26 PM Mar 11, 2019
O moço autor do texto deveria ler os dois textos publicados 5 dias atrás na Folha de S Paulo, em seu caderno de Economia. Eis os títulos, para procura no Google, caso se interessem: "Privatizar é ideal? 884 serviços caros e ruins foram reestatizados no mundo" "Reestatização cresce porque empresa privada tem serviço ruim, diz instituto" No mais, é aumentar o abismo social, eliminar qualquer probabilidade do pobre ascender socialmente, e claro, entregar tetas gordas nas mãos de amigos que bancam as campanhas políticas via caixa 2...
3
Denunciar

Nestor Martins Amaral Júnior 4:19 PM Mar 11, 2019
Não há dúvidas de que o Brasil só irá pra frente quando reduzir o tamanho do Estado e adotar a economia liberal no seu inteiro sentido; livre concorrência, licitações justas orientadas pela meritocracia. Deve prevalecer o jogo da procura versus oferta e nada de precificações fora do mesmo. O Estado sempre foi e continuará sendo mau gestor por falta de perícia e excesso de desmazelo e corrupção. Não há comprometimento com resultados. Caberia ao Estado o papel de regulador e facilitador. Hoje ele não regula nada, não fiscaliza nada e dificulta tudo, naquela máxima "criar dificuldades para vender facilidades". Basta ver os casos dos rompimentos das barragens. A culpa é dos outros e não dele o Estado. Essa é a imagem do Estado brasileiro. Atrapalha mais que ajuda. E ai de quem se revoltar contra o mau atendimento do servidor público. É crime de desacato.
2
Denunciar

Maíra Simões 4:05 PM Mar 11, 2019
Eita, mas esse NOVO quer continuar com a endemonização do serviço público e do servidor público. Aí eu pergunto: se o particular pode ganhar fornecendo o mesmo serviço, porque não profissionalizar o serviço e os servidores e o Estado ganhar por esse serviço?? Qual a dificuldade??
3
Denunciar

Walter Oliveira 3:26 PM Mar 11, 2019
O Estado brasileiro vive de empregar bandidos e semear a corrupção. São uma multidão de parasitas sugando o imposto de quem trabalha. Minas Gerais FALIU graças as esquerdas canalhas que atraves de PSDB, PT e PMDB que são FARINHA DO MESMO SACO assaltam o erário ha 30 anos da abertura politica IDIOTA e inoportuna.
6
Denunciar

Alexandre Maciel 3:21 PM Mar 11, 2019
Parabéns Mateus! Excelente e sensata análise, perfeita a conclusão. Foi por isso que votei e continuarei votando em você. O Brasil precisa mesmo de menos Marx e mais Mises. No mais, não desanime com os bafos de mortadela de plantão. Todo cachorro late quando alguém tenta lhe tirar o osso. É a velha política e seus parasitas reagindo ao novo. Deixa estar. Libertas quae será tamen! Saudações liberais!
6
Denunciar

Ouro de tolo 2:05 PM Mar 11, 2019
Esse sujeito sempre foi PSDB... Era inclusive filiado. Tem a mesma visão estúpida dos tucanos... Entrou nesse partido NOVO para disfarçar o verdadeiro conteúdo. Não é a toa que o Governo Zema está totalmente dominado pelo PSDB. Ele é e sempre foi tucano. Moralismo para os outros e as velhas práticas para si mesmo. Assim é fácil. Demagogo como os tucanos e incompetente como eles!
4
Denunciar

Walter Oliveira 3:22 PM Mar 11, 2019
Comentario tipico de viado esquerdista! CONTESTE COM ARGUMENTOS seu jumento. Tem algum? Claro que não. Esquerdoides são vagabundos desdevo útero e gostam do Estado provedor para substituir papai e mamãe deles.
4
Denunciar

Antônio Jair 12:36 PM Mar 11, 2019
Em 1903, Monteiro Lobato revelou-se profundamente pessimista com o potencial do povo brasileiro, por ele assim definido: “O Brasil, filho de pais inferiores – destituídos desses caracteres fortíssimos que imprimem – um cunho inconfundível em certos indivíduos, como acontece com o alemão, com o inglês, cresceu tristemente – dando como resultado um tipo imprestável, incapaz de continuar a se desenvolver sem o concurso vivificador do sangue de alguma raça original.”
2
Denunciar

Antônio Jair 12:34 PM Mar 11, 2019
Com a máquina pública e os dados completos em mãos, por que AGORA o SEU AMIGO governador ZEMA não divulga minuciosamente o que TRÁGICO Pimentel fez com os milhões de reais MENSAIS do povo mineiro, já que não repassou às Prefeituras os MILHÕES DE REAIS a que tinham/têm direito (crime de apropriação indébita, passível de impeachment), bem como também não pagou o 13º salário dos servidores do Executivo (só do Executivo? Por quê?). O POVO QUE EXPULSOU A QUADRILHA DO GOVERNO MINEIRO MERECE ESCLARECIMENTOS ADEQUADOS. PELA SÉTIMA VEZ SEGUIDA ESTOU PEDINDO SUA EXPLANAÇÃO.
3
Denunciar

Antônio Jair 12:33 PM Mar 11, 2019
"NÃO FUI ELEITO PARA FAZER AMIGOS". (MATEUS SIMÕES) AINDA ESTOU ESPERANDO QUE REALMENTE CUMPRA O QUE DISSE, E ESCLAREÇA ADEQUADAMENTE O QUE O INCOMPETENTE/DESQUALIFICADO PIMENTEL FEZ COM OS MILHÕES DOS IMPOSTOS. PRINCIPALMENTE O QUE ROMEU ZEMA FARÁ PARA RETIRAR MINAS GERAIS DO FUNDO DO POÇO DE LAMA FÉTIDA PETISTA, ONDE O LAMENTÁVEL EX-DESGOVERNADOR NOS DEIXOU. "LIVRE DE LULA". "LIVRE DE PIMENTEL". "LIVRE DE DILMA".
6
Denunciar

Antônio Jair 12:32 PM Mar 11, 2019
Dulce Maria Baptista, Professora adjunta Departamento de Ciência da Informação e Documentação Universidade de Brasília: “A conhecida frase de Lobato: ‘Um país se faz com Homens e livros...’, poderia, se transposta para os dias de hoje, ser formulada nos seguintes termos: ‘Um país se faz com cidadãos e conhecimento’. Como se sabe, além do grande escritor, Monteiro Lobato foi também um patriota, sempre preocupado com as questões do Brasil. Por essa razão, se vivo estivesse, ele talvez concordasse com essa mudança. Em seu tempo, por exemplo, a palavra ‘Homens’ constituía o termo mais abrangente para designar a espécie humana como um todo. Ainda hoje é assim, porém observa-se atualmente uma valorização crescente do conceito de cidadania, e, por conseguinte, de cidadão, como sendo alguém que, a par de cumprir deveres e exercer direitos, é capaz de empreender ações conscientes e deliberadas em favor da coletividade. Em outras palavras, poder-se-ia inferir que o progresso de uma Nação está intimamente ligado ao nível de cidadania de seus habitantes.”
1
Denunciar

Bolsominion Arrependido 11:54 AM Mar 11, 2019
Se o Bom é a iniciativa privada, manda o povo pro Albert Einstein e depois paga a conta de meio milhão de reais pelo SUS.
1
Denunciar

Esteves 1:31 PM Mar 11, 2019
Mitou!!!
1
Denunciar

Érika Verônica 11:35 AM Mar 11, 2019
Faculdades particulares são ótimas ... principalmente aquelas que te mandam diploma pelo e mail ... serviço público que não presta, é aquele em que os políticos metem a mão no orçamento, dão palpites em assuntos que nada entendem, reestruturam áreas que nem conhecem, apadrinham pessoas incompetentes em detrimento de funcionários de carreira que conhecem tudo sobre o assunto ... Exemplo vem de cima! Se está bagunçado "embaixo", é por incompetência e ingerência de maus gestores.
3
Denunciar

Esteves 10:45 AM Mar 11, 2019
Eu nao Entendo porque tem Cobrança de Iluminaçao Publica na Conta de Luz se o Estado ja cobra 30% de ICMS, Pasep e quase 8% de COFINS. Oque tem de Publico nessa Ilmuniçao sendo que é cobrada mesmo ja tendo Impostos na Conta de Luz??? O Certo era o Estado Fornecer a Iluminaçao Publica em forma de Retorno dos 30% de ICMS Pagos.
0
Denunciar

Esteves 10:47 AM Mar 11, 2019
"O que"
0
Denunciar

Antonio 10:38 AM Mar 11, 2019
Aberto disso muito bem. Acrescento que nada, absolutamente nada disso vai para frente se o estado não investir em educação. Qual grande nação se desenvolveu sem investimento na educação? Qual a proposta do Matheus Simões e do partido NOVO nesta área? Alguém sabe?
2
Denunciar

Esteves 10:11 AM Mar 11, 2019
Pelo que eu entendi seria melhor então Privatizar o Executivo e Legislativo.
2
Denunciar

Walter Oliveira 7:01 PM Mar 11, 2019
Nao precisa. Vc esta mal informado. Os poderes ja foram tomados pela burocracia corrupta e inutil desde o descobrimento do Brasil
2
Denunciar

Érika Verônica 11:41 AM Mar 11, 2019
Touché!
2
Denunciar

Alberto 9:11 AM Mar 11, 2019
Mateus Simões. Por acaso você já pisou em uma universidade federal? Já viu quanto custa um laboratório de física ou nanotecnologia? Pergunto, porque pelo seu comentário parece que nunca fez isso é acredita que faculdade particular vai preencher o espaço de universidades públicas. Pesquisa custa caro e o resultado é incerto e de longo prazo, coisa que o mercado não priligegia (alias coisa que sabe, mas omite). Agora tem outro ponto. Muita gente é pobre e vive com salário mínimo, de modo que dependendo do tipo de doença jamais terá dinheiro para pagar um tratamento. Então, antes de sair defendendo irrestritamente o livre mercado eu sugiro que você faça algumas visitas à realidade brasileira. Tire o pé do mármore e coloque o pé na terra, porém não é terra de fazenda é terra de quintal. Além disso, cabe mais uma pergunta: o Estado oferece péssimos serviços públicos por que é essa característica inerente do estado ser assim, ou é por que governadores que pregam nova politica mudam o discurso é colocam para dentro do estado tucanos, ex executivos de mineradora, pai de deputado paulista dentre outros?
6
Denunciar

mauro 8:52 AM Mar 11, 2019
O estado deve ser o estado-empresário. A própria definição de empresa, envolve a palavra "lucro". Dizer que o estado não tem condições de administrar empresas, significa dizer que ninguém tem. Se, com todas as vantagens, poderio financeiro, legal, o estado não pudesse bem administrar, quem mais poderia? Um cidadão comum? Então, não podemos ter empresas e empresários. O estado deve ser rico, de preferência, sem que isso se dê às custas de tributos, pois o ideal é que ele produza. Esse seria um meio de enriquecer e baixar e até eliminar impostos, tributos e taxas. O que avacalha a administração do estado são os cargos políticos, o presidente, os diretores, de empresas estatais e mistas. Coloque isso privativo de funcionários de carreira, escolhidos em eleições em que votam funcionários estatutários, e grande parte do problema estará resolvido. No mais, é só administrar com mãos de ferro e leis rígidas e fielmente obseravadas.
3
Denunciar

LEIA MAIS
Leia mais