Improbidade

Tribunal da Lava Jato bloqueia R$ 2 bilhões do MDB e R$ 800 milhões do PSB

Tribunal Regional Federal da 4ª Região também decidiu pela indisponibilidade de valores de parlamentares e executivos de empreiteiras

Sex, 24/05/19 - 12h30

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) determinou o bloqueio de valores e bens de acusados em ação de improbidade administrativa da Operação Lava Jato. A decisão alcança o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e o Partido Socialista Brasileiro (PSB), os parlamentares Valdir Raupp (MDB/RO), Fernando Bezerra (PSB/PE), Eduardo da Fonte (PP/PE), os espólios de Sérgio Guerra (PSDB/PE) e Eduardo Campos (PSB/PE), e as empreiteiras Queiroz Galvão e Vital Engenharia Ambiental.

O bloqueio foi determinado pelo Tribunal, que reconheceu a procedência de um recurso contra decisão em ação civil pública de improbidade administrativa movida pela força-tarefa da Lava Jato.

Na decisão, o Tribunal ressaltou a necessidade de "garantir a efetividade do resultado final da ação - em que apurada a existência de um amplo esquema criminoso, com prejuízos expressivos para toda a sociedade". O TRF-4 apontou "fortes indícios da prática de atos de improbidade por líderes de partidos e agentes públicos em prejuízo ao erário".

Em relação aos partidos políticos, a força-tarefa da Lava Jato e a Petrobras requereram que o bloqueio não alcance as verbas repassadas por meio do fundo partidário, que são impenhoráveis por força de lei.

Na ação que tramita na Justiça Federal foram descritos dois esquemas que desviaram verbas da Petrobras, um envolvendo contratos vinculados à diretoria de Abastecimento, especialmente contratos firmados com a construtora Queiroz Galvão, individualmente ou por intermédio de consórcios, e outro referente ao pagamento de propina no âmbito da CPI da Petrobras em 2009.

Na peça inicial apresentada pela Lava Jato, as atividades ilícitas foram enquadradas como atos de improbidade, e foram pedidas a aplicação da sanção de ressarcimento ao erário e a condenação à compensação dos danos morais e coletivos, com a agora deferida indisponibilidade de bens dos réus.

Defesas

O MDB se manifestou por meio de nota. "A decisão dada pelo TRF-4 de bloqueio de valores de R$ 1,8 bilhão não se refere ao MDB Nacional, que não é parte no processo. A decisão é para o MDB-RONDÔNIA. Pela legislação, os diretórios estaduais do partido são financeiramente e judicialmente autônomos, inclusive sendo pessoas jurídicas distintas.

A reportagem tentou contato com o PSB, com o senador Fernando Bezerra Coelho e com Valdir Raupp e tenta falar com outros citados. O espaço está aberto para as manifestações de defesa.

A Construtora Queiroz Galvão não vai comentar a decisão do Tribunal. A reportagem tentou contato com a defesa da Vital Engenharia, sem sucesso. O espaço está aberto para manifestação da companhia.

Podcasts Relacionados

(4) comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
Carlos Ed 9:33 AM May 25, 2019
Agremiações de criminosos. Este partidos, sob a liderança do pt formam a maior organização criminosa de que se tem notícia!
0
Denunciar

ADEMILSON 4:28 PM May 24, 2019
Perai, o MDB de Rondônia, teoricamente o mais fraco comparando com seus co-irmão em outros estados com essa quantia de quase 2 bilhões bloqueados? Tudo errado, por isso que nunca fazem a reforma política. Bando de ladrão. Acabar com esse negócio de fundo partidários, auxíilios, etc.
0
Denunciar

RENATO JUNIOR PEREIRA PEREIRA 2:25 PM May 24, 2019
E ainda tem imbecil que vota num partido desses ...
0
Denunciar

Ouro de tolo 1:12 PM May 24, 2019
Como Dalagnoll e Sérgio Moro estão vorazes... Depois de perderem os 2,5 bilhões que viriam dos americanos, partiram para outras tática...
18
Denunciar

LEIA MAIS
Promovido
Machismo
Santos Cruz
Reforma da Previdência
Garimpo
Governo Bolsonaro
Senado
Armas
Vazamento
Leia mais