Vacinação infantil

Bolsonaro chama técnicos da Anvisa de 'tarados por vacina'

Presidente voltou a afirmar que não vacinará a filha Laura, de 11 anos

Qui, 06/01/22 - 16h09
O presidente da República, Jair Bolsonaro | Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou nesta quinta-feira (6) a criticar a vacinação de crianças de 5 a 11 anos. Ele também afirmou que não vacinará a sua filha mais nova, Laura. Em entrevista à rádio pernambucana Nova FM, minimizou a necessidade de proteção do grupo.

"A Anvisa lamentavelmente aprovou a vacina para crianças entre 5 e 11 anos de idade. A minha opinião, quero dar para você aqui, a minha filha de 11 anos não será vacinada", afirmou. "O que está por trás disso? Qual é o interesse da Anvisa por trás disso aí? Qual o interesse daquelas pessoas taradas por vacina? É pela sua vida? É pela sua saúde? Se fosse, estariam preocupados com outras doenças no Brasil, que não estão."

Decisão sobre prescrição

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, informou que não será cobrada a receita médica no ato de vacinação das crianças, mas manteve a orientação para que os pais consultem um médico antes da vacinação.

Também está mantida a exigência de autorização assinada pelos pais ou responsáveis de crianças com deficiências ou comorbidades, mas apenas caso eles não estejam presentes no ato de imunização contra a Covid-19.

---

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar.

Siga O TEMPO no Facebook, no Twitter e no Instagram. Ajude a aumentar a nossa comunidade.