16°C | Belo Horizonte, 22/05/2019

Estádio pra garotada

'Acima da lei': Galo e Cruzeiro levaram quase 30 mil crianças no Mineiro

Rivais têm 7,7% do público total do Estadual composto por crianças abaixo dos 12 anos; Lei de Gratuidade rege 1% do público para os "torcedores-mirins"

Lei Municipal de junho de 2016 libera entrada de crianças até 12 anos nas arenas de BH
PUBLICADO EM 18/04/19 - 07h08

A cena dos jogadores entrando em campo com número incontável de crianças dá um tom estético para os momentos pré-jogo no futebol mineiro, mas também reflete em uma arquibancada mais infantil. No Estadual 2019, para os finalistas Atlético e Cruzeiro, a lei é burocracia e o que vale é "abrir as portas" para as crianças terem contato com Independência e Mineirão. 28.038 torcedores abaixo dos 12 anos viram os jogos domésticos de Galo e Raposa.

Neste sábado, os rivais se enfrentam na finalíssima do Mineiro às 16h30, no Horto. Nesta sexta-feira, na véspera, crianças com menos de 12 anos poderão retirar os ingressos de forma gratuita na bilheteria Ismênia e ajudar essa marca a ultrapassar os 30 mil jovens torcedores. A isenção da entrada se deve a Lei Municipal 10.942/16, sancionada pelo ex-prefeito Márcio Lacerda. 

Ela rege que toda criança abaixo dos 12 anos, desde que acompanhada pelos pais ou responsável legal, tem direito a acessar estádios e ginásios de Belo Horizonte de forma gratuita. O autor do projeto de lei, Pelé do Vôlei, lembra que, apesar de hoje ser respeitada sem dificuldade, a ideia da lei teve entrave nos clubes.

"Eu criei este projeto de lei pensando por alguns  fatores. Primeiro na questão econômica para os pais. Hoje, uma família com duas, três crianças pequenas fica difícil de levá-las ao estádio, por conta do preço dos ingressos. Além do mais, a lei incentiva uma arquibancada mais familiar, com a criança tendo mais contato com o esporte desde cedo, com seu clube de coração, o que ajuda a fomentar novas gerações de torcedores", afirmou o ex-vereador, ao Super FC

Catraca liberada. A Lei Municipal rege que 1% da capacidade total da arena deverá ser reservada para os ingressos para crianças abaixo de 12 anos. Mas este percentual foi quebrado pelos rivais. Principalmente o Atlético. O Galo colocou 21.474 crianças gratuitas em oito jogos, no qual o total de público presente foi de 199.388 torcedores. São 10,7% do público.

O Cruzeiro, por sua vez, não foi tão incisivo em encher o estádio de crianças, mesmo assim ficou acima do 1%. Sem contabilizar a primeira final do Estadual, uma vez que o borderô da partida não está publicado no site da FMF, a Raposa soma 6.564 crianças menores de 12 anos em sete jogos. 4,07% dos 163.573 torcedores totais que presenciaram a caminhada do técnico Mano Menezes no Mineirão, pelo Mineiro 2019.

Enviar Comentário
Leia mais