20°C | Belo Horizonte, 19/05/2019

Disputa

Cruzeiro é excluído de torneio de base por suposto aliciamento; entenda

Raposa nega irregularidade em contrato de formação assinado com promessa do América; Coelho, por sua vez, garante que o time celeste sofrerá consequências e será boicotado em outros torneios de base

Vítor Roque deixou o América após completar 14 anos
PUBLICADO EM 17/04/19 - 16h11

O Cruzeiro foi excluído da Copa Nike, tradicional torneio de base, por conta da acusação de aliciamento do jogador Vitor Roque, de 14 anos, que atuava no América. O clube, por meio de Guilherme Cruz, diretor das categorias de base, destacou que a situação está nas mãos do jurídico, uma vez que o Cruzeiro compreende que não houve nenhum tipo de infração no procedimento para contar com o atleta. 

O Cruzeiro ainda aponta que o próprio pai de Vítor destacou que não existia nenhum impedimento para a mudança de time, tanto que o atleta passou por uma das peneiras da Raposa. 

Ao site Uol Esporte, Eduardo Freeland, gerente das categorias de base do Flamengo e presidente do Movimento dos Clubes Formadores do Futebol Brasileiro (MCFFB), pontuou que o Cruzeiro também pode ser excluído de outras competições de base. 

"Se a situação continuar como está, vamos manter o boicote ao Cruzeiro nas próximas competições das categorias de base", avaliou. 

Guilherme Cruz viu com surpresa a postura de Freeland, que já passou pela base celeste até ser demitido no início do ano passado. "Ele foi, inclusive, diretor aqui das categorias de base durante minha passagem, conheço como ele trabalha e ele também conhece a nossa ética. Nós nunca cometeríamos nenhum tipo de infração, ainda mais sabendo de todos os processos que envolvem a base. Não acredito em nenhum tipo de retaliação", concluiu o dirigente celeste. 

A palavra do América 

O Super FC entrou em contato com Paulo Bracks, diretor das categorias de base do América, para ouvir o posicionamento do clube alviverde sobre o assunto. De acordo com o dirigente, o Coelho possui o apoio de todos os clubes do Brasil na disputa e salientou que desde 2015 não existia aliciamento de jogadores no país. 

"O Viítor Roque é um menino que desde os 10 anos de idade estava integrado à base do América, e na véspera de completar 14, quando a lei permite a formulação de um contrato de formação, ele simplesmente desapareceu do clube. Entramos em contato com seu pai, mãe, com o atleta, mas ele simplesmente desapareceu. O América então comunicou à CBF e os times que fazem parte Movimento dos Clubes Formadores do Futebol Brasileiro sobre o sumiço do garoto porque acontece do menino estar insatisfeito e querer atuar por outra equipe. Então passou uma semana e o Vítor apareceu treinando no Cruzeiro. Eles tinham ciência do fato, mas não nos comunicaram em nada. Entramos em contato para que o Cruzeiro se posicionasse, mas nada foi dito. Comunicamos então o fato para o Movimento dos Clubes formadores para que uma punição fosse estabelecida ao Cruzeiro e a exclusão da Copa Nike foi o primeiro passo", disse Bracks. "Não vamos parar por aí. O Movimento vai boicotar o Cruzeiro em todas as competições de base. O que aconteceu foi um assédio financeiro. Desde 2015 não tínhamos um caso assim no Brasil e o Cruzeiro quebrou essa estatística", salientou o dirigente americano. 

Bracks ressaltou que o garoto está liberado para atuar em qualquer lugar que quiser, mas o Cruzeiro sofrerá as consequências do ato. 

"O registro do atleta não existe mesmo, o Cruzeiro procurou na CBF e realmente não encontrou. Ele vai jogar pelo Cruzeiro, mas eles vão sofrer as consequências porque todos os 45 clubes do Movimento estão ao lado do América. O Cruzeiro diz que está resguardado, tudo bem, ótimo, mas nós possuímos o respaldo do país e eles, a partir de agora, são conhecidos como um time aliciador", completou Bracks, que ainda respondeu a uma denúncia contra o América que foi feita pelo pai de Vitor Roque, Juvenal Ferreira, ao Ministério Público da Infância e Juventude da Comarca de Belo Horizonte, alegando que a decisão da mudança de time foi uma decisão do garoto. A informação foi publicada pelo site Superesportes após declaração de Marcone Barbosa, gerente de futebol do Cruzeiro. 

"Toda hora o Cruzeiro coloca alguém para falar sobre o caso. Eles vão se revezando. O América vai responder à essa denúncia no Ministério Público. Me surpreende o Cruzeiro abrir isso para todos, mas estamos também resguardados juridicamente", encerrou Bracks.  

Enviar Comentário
Leia mais