De volta

Copa Airlines retoma operações em Confins no dia 23 de novembro

Capital mineira é a quarta cidade brasileira a receber voos da companhia após a retomada das atividades

Ter, 27/10/20 - 14h57
audima

A Copa Airlines confirmou a retomada das atividades em Belo Horizonte a partir do dia 23 de novembro - informação divulgada em primeira mão pelo portal O Tempo em 14 de setembro. Inicialmente, os voos sairão da capital mineira pelo Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, três vezes por semana em direção ao Aeroporto Internacional de Tocumen, localizado na Cidade do Panamá. A cidade é a quarta a receber voos da companhia após o reinício das atividades no Brasil.

Carlos Antunes, gerente regional de vendas, disse que a Copa Airlines está feliz em poder voltar à Minas Gerais, um mercado muito importante para a companhia. "Queremos compartilhar com os nossos clientes que estamos tomando todas as medidas de biossegurança necessárias para garantir uma experiência de voo segura para nossos passageiros e colaboradores, do check-in até o desembarque", destacou.

Jaqueline Ledo, gerente de vendas para Belo Horizonte, relembrou o início da operação na cidade para celebrar o momento atual. "Assim como aquele agosto de 2008, quando o primeiro voo da Copa chegava a Belo Horizonte, a emoção é inevitável! Depois de oito meses de operações suspensas em função da pandemia, conectaremos de novo nossa cidade às Américas", comentou.

Para consultar os voos disponíveis em novembro e dezembro, é possível acessar o site da Copa para conferir todos os itinerários e fazer a reserva. A Copa Airlines ainda informou que os passageiros que possuem bilhetes poderão gerenciar as mudanças de data sem qualquer taxa de alteração.

Podcasts Relacionados

Comentários

Deixe seu comentário
* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso
LEIA MAIS
Flexibilização
Mudanças
Webinar
Viagem
Rio Grande o Sul
Porto de Galinhas
Coletiva internacional
Osaka
Pandemia
Aéreo