Motoristas de app cobram taxa extra por ar-condicionado em meio a onda de calor

 
TRANSPORTE POR APP

Motoristas de app cobram taxa extra por ar-condicionado em meio a onda de calor

Motoristas de aplicativo começam a cobrar taxa pelo uso do ar-condicionado em dias quentes, gerando discussões sobre quem deve arcar com os custos

 
 
 

Pedir uma viagem por aplicativo nos dias de calor, como os vividos atualmente no Brasil, pode agora implicar um custo adicional inesperado para os passageiros. Alguns motoristas estão implementando uma taxa extra para ligar o ar-condicionado durante o trajeto, cobrando-a por meio de Pix.

Segundo o relato de internautas nas redes sociais, a nova "taxa" é informada aos passageiros por meio de placas afixadas na segunda fileira dos veículos, com dados da chave Pix do motorista e o valor da cobrança. Em São Paulo, os valores para deixar o ar-condicionado do carro ligado durante a viagem variam de R$ 1 a R$ 5.

O surgimento dessa prática tem gerado debates acalorados. Enquanto alguns argumentam que o passageiro tem o direito de viajar em um carro climatizado sem custos extras, outros defendem que isso sobrecarrega os motoristas, uma vez que o funcionamento do ar-condicionado aumentaria o consumo de combustível do veículo.

Em entrevista ao portal Uol, Eduardo Lima, presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativo de São Paulo (Amasp), explicou as razões por trás da nova cobrança.

  • Janelas abertas ou ar-condicionado ligado: Qual economiza mais combustível?22 de setembro
  • Uber atualiza lista de carros aceitos para categorias Comfort e Black em 202431 de agosto
  • Onda de calor: Veja como proteger seu carro da atual alta nos termômetros20 de setembro

"No final do dia, a diferença entre usar ou não o ar-condicionado pode representar de R$ 15 a R$ 20 a menos no bolso do motorista. Embora possa parecer pouco, é importante lembrar que esse valor se multiplica pelo número de dias trabalhados por mês, o que pode resultar na perda de até três tanques de combustível completos", argumenta Lima.

O presidente da Amasp ressalta que as plataformas de aplicativos repassam uma parcela cada vez menor aos motoristas, o que o leva a pedir a colaboração dos passageiros com a cobrança do valor para ligar o ar-condicionado.

Chefe da Divisão de Motores e Veículos do Instituto Mauá de Tecnologia, Renato Romio esclarece como o ar-condicionado afeta o consumo de combustível.

"O compressor, responsável por refrigerar o ar no radiador, aumenta o consumo de combustível, ao ser acionado pelo motor a combustão. Portanto, quanto menos o compressor trabalhar, menos combustível o motor gastará. Isso explica por que o ar-condicionado pode aumentar o consumo em até 10%, especialmente em áreas urbanas", garante o especialista.

A empresa InDrive, alinhada com a Amasp, defende a cobrança da taxa pelo ar-condicionado e argumenta que os motoristas precisam compensar o aumento de custos decorrente do uso do ar-condicionado.

A 99, outra empresa de transporte por aplicativo, declarou que a utilização ou não do ar-condicionado deve ser acordada entre motorista e passageiro, priorizando o conforto de ambos. A Uber ainda não se pronunciou sobre a nova polêmica.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!