congelamento

Argentina lança outro acordo de preços para conter inflação

O país vizinho registra um aumento acumulado de preços no varejo de 66,1% até setembro

Por Agências
Publicado em 11 de novembro de 2022 | 16:27
 
 
 

O governo argentino lançou outro acordo de preços com mais de uma centena de grandes empresas, em uma nova tentativa de conter a inflação descontrolada que pode fechar em 100% este ano, uma das mais altas do mundo. 

"São mais de 1.700 produtos que nos próximos quatro meses devem valer o mesmo. Quando o esquema estiver concluído, serão cerca de 2.000 produtos", disse o ministro da Economia, Sergio Massa, em ato perante empresários e autoridades. 

A Argentina registra um aumento acumulado de preços no varejo de 66,1% até setembro, apesar de ter lançado quase uma dezena de programas de acordos de preços.

"A inflação se resolve com uma política fiscal ordenada, com acúmulo de reservas e trabalho com cadeias de insumos", afirmou Massa. 

A Argentina definiu com o Fundo Monetário Internacional um déficit fiscal de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, em um programa de crédito de 44 bilhões de dólares.

"Há um compromisso das redes de supermercados e atacadistas de rejeitar as empresas que violam o acordo sobre as tabelas de preços", explicou Massa, ministro nomeado em julho pelo presidente Alberto Fernández (centro-esquerda). 

A economia argentina crescerá 4% este ano, segundo a última estimativa do FMI.

(AFP)
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!