Escândalo

Associação britânica suspende atividades após acusações de racismo na realeza

Presidente da associação denunciou comentários racistas de Susan Hussey, 83, amiga da falecida rainha Elizabeth II

Por Agências
Publicado em 10 de dezembro de 2022 | 14:38
 
 
 
normal

A Sistah Space, uma associação britânica de apoio a mulheres negras vítimas de violência de gênero, anunciou na sexta-feira a suspensão temporária de suas atividades por questões de segurança, após se ver no meio de uma polêmica sobre acusações de racismo contra a família real.

A presidente desta associação, Ngozi Fulani, denunciou em novembro comentários racistas de Susan Hussey, de 83 anos, amiga íntima da falecida rainha Elizabeth II, durante uma recepção no Palácio de Buckingham.

“Infelizmente, os acontecimentos recentes nos obrigam a suspender temporariamente muitas das nossas atividades para garantir a segurança de quem utiliza os nossos serviços e equipamentos”, escreveu a Sistah Space no Instagram na sexta-feira.

Ngozi Fulani havia denunciado esta semana "os horríveis abusos nas redes sociais" que ela, seus familiares e sua equipe haviam sido vítimas desde a polêmica.

Segundo Fulani, durante uma recepção organizada pela rainha consorte Camilla em novembro, Susan Hussey a perguntou repetidamente de onde ela "realmente" era. “De onde você é na África?”, “De onde vêm pessoas como você?”, perguntou Hussey à feminista e ativista antirracista.

Após a polêmica, o Palácio de Buckingham denunciou os "comentários inaceitáveis" e anunciou o afastamento de Susan Hussey, dama de companhia da rainha Elizabeth II por mais de 60 anos e madrinha do príncipe William.

(AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!